E o governo agradou aos gregos quanto ao salário mínimo. Que se lixem os troianos.

Como não é possível agradar a ambos, o governo escolheu agradar aos patrões, generosamente, ainda mais do que se antevia, em troca de uns tostões no salário mínimo. A TSU vai baixar 1,25 pontos percentuais, o que significa que os patrões, não precisam de reflectir os ganhos nos salários.

Como não existem milagres, a Segurança Social leva um rombo, que há-de ser compensado com menos anos de reforma, graças a mais anos de trabalho, ou com mais cortes nas reformas e nos apoios sociais. Ou em ambos!

Dirão que a política é feita de compromissos, mas isso implica  cedências em ambas as partes. Não é o que se passou nesta negociação. Com esta redução na TSU, os trabalhadores perdem muito no longo termo.

Há, ainda, um spin engraçado que afirma que o Passos teve uma enorme oposição quando tentou mexer na TSU e que agora isso não aconteceu. Como spin que é, não diz a verdade toda. Passos tentou baixar a TSU em maior dimensão e sem nenhuma vantagem para os trabalhadores. Na verdade, estes, juntamente com os pensionistass, até estavam a ver os seus rendimentos cortados. Mexer na TSU e aumentar o salário mínimo não é uma solução boa, mas cortar na TSU e nos rendimentos ainda é pior. Só para que conste.

low-wage-snapshot-updated-05-07-2015_1

A discussão sobre o salário mínimo não é uma excentricidade nacional. Veja-se este exemplo nos States, realçando o que é o spin e o que é a realidade.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    O Spin deve ser o do costume, Jorge?
    Ainda ontem, na quadratura do círculo, António Lobo Xavier, envergonhado, só lhe faltava uma burka para se esconder de Assunção Crsitas, dizia que António Costa é alguém que consegue estar “a comer uma feijoada à transmontana e beber “Sumás de Ananol” ao mesmo tempo!”
    Como eu só como feijoada bebendo um bom vinho tinto, imagino a “pancada de Costa” ao assinar o Acordo de Concertacão Social com tanto açúcar no sangue. Ele, ou o seu ministro Vieira da Silva. Depois queixam-se dos diabetes…
    O PS sempre teve a mania do contorcionismo, e fazer a espragata é algo que lhe está no sangue.
    Espero bem que não danifiquem o escroto, com tanta ginástica!!

  2. joão lopes says:

    sem ofensa,sem ofensa,mas com esta ,o PS deve-se julgar o Benfica da politica,até parece que os arbitros(nós) não vislumbramos o Antonio em nitido fora de jogo,neste caso.Já o Passos levou cartão vermelho,este fica para já,com o amarelo…


  3. Muito estranho e desagradável esta cedência aos que mais dinheiro tiram do País e mais exploram quem lhes dá a riqueza. Não percebo porque não fixaram a descida da TSU, já que “tinha” que ser, a partir de um valor superior ao SMN. Nas condições deste acordo faltou quem estabelece-se que a TSU seria reduzida aos empregadores que, cumpridos os diversos pressupostos, pagassem 30 ou 40% acima do SMN (€557,00 X 30%=+€167,00 =€724.10). Deste modo o rombo da Seg. Social e no IRS seria menorizado e os usurários seriam “incentivados” a ser menos agiotas. Digo eu que sou analfa.

Trackbacks


  1. […] intrigas palacianas, a imprensa com Rui Rio em ombros, os sucessivos trambolhões nas sondagens e até o chefe da Geringonça já pisca o olho aos patrões, oferecendo-lhes uma simpática descida da TSU, qual capitalista com pele de […]


  2. […] Com efeito, o governo agradou aos gregos quanto ao salário mínimo. Que se lixem os troianos. […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.