Abriu a temporada das Aquisições:

Quando me perguntaram se podia fazer uma apresentação do novo membro do Aventar, não hesitei.
Mas antes de falar dele vou falar-vos de uma outra pessoa. O Paulo Jorge apresentou-me o Ricardo nos idos de noventa em Santiago de Compostela, local onde também fiquei a conhecer o Paulo. É verdade, em terras galegas. Um grupo de jovens, todos dirigentes do movimento associativo universitário do Porto, foram convocados para um fim-de-semana de paintball no Monte do Gozo. Tudo rapaziada solteira. Ou dito de outra forma, todos sem as respectivas. Todos? Todos não. Eu, que não fora avisado das regras ao estilo “turma do bolinha”, levei a minha parceira. Escusado será dizer que fui motivo de gozo. No monte do dito.
O Paulo Jorge foi o organizador. Como sempre. Como amigo do seu amigo, como poucos o sabem ser. Poucos sabem o motivo de tal ajuntamento mas eu sei: foi para ajudar um amigo de um amigo que se tornou, também, um grande amigo. O Paulo é um dos meus poucos Grandes Amigos. E é uma das grandes figuras da história do movimento estudantil universitário do Porto nos anos noventa. É o Papa. Para ele se adaptou a velha anedota do Papa e do Silva dos Plásticos: “quem é aquele tipo de branco ao lado do Paulo Jorge”. Quando eu e o Ricardo falamos sobre o Paulo lembra-mos o seu velho queixume depois de tudo estar a arder à nossa volta: “A culpa não é minha”. Com ele partilhamos algumas das mais extraordinárias conspirações da Federação Académica do Porto. A ele devo ter hoje, entre os raros Grandes Amigos, o Ricardo. Mas quem é o Ricardo? Pois o Paulo todos sabem quem é (é o que está ao lado do tipo de branco na janela do Vaticano) e, em breve, se essa for a vontade do Aventar, também por cá andará.
O Ricardo foi o Presidente da Associação de Estudantes da Faculdade de Engenharia do Porto sucedendo a outra grande figura, o eterno Sebastião. Pouco tempo depois, foi Presidente da Federação Académica do Porto, sucedendo ao actual Secretário de Estado do Trabalho e Segurança Social, Fernando Medina. Como Presidente da FAP foi responsável por uma das mais lucrativas e melhor sucedidas Queima das Fitas do Porto, foi o homem das multidões na Queima. Pouco tempo depois, foi eleito Deputado nas listas do PSD para a Assembleia da República, pelo círculo do Porto. Mais tarde, renunciou ao mandato para dirigir a conhecida empresa municipal “Porto Lazer”, lugar onde se encontra actualmente e com um trabalho fantástico.
É um dos mais brilhantes da minha geração. Engenheiro de formação, o Ricardo é um brilhante organizador de eventos, um excelente gestor de equipas e um grande coração. Um tipo com humor, polémico qb e com uma enorme lista de amigos e admiradores. Uma lista que rivaliza, taco a taco, com uma outra, a de inimigos. Que nestas coisas da política é mesmo assim. Lagarto até à medula mas cujo segundo clube é o FCP, o que só lhe fica bem.
Para o Aventar, estou certo, é uma grande aquisição com um sabor especial, é o primeiro blogue onde participa. Para mim, é um motivo de enorme orgulho e satisfação ter aqui o Ricardo Fonseca de Almeida, mais conhecido como Ricardo Almeida. Uma estreia na blogosfera que, aposto, não vai deixar ninguém indiferente. E mais não digo, caso contrário ele fica todo vaidoso e ninguém o atura.
Caro Ricardo, venham de lá esses ossos e essas postas.

Comments

  1. dalby says:

    on dira une gaiete heureuse amizade e queima das fitas….

  2. Luis Moreira says:

    Bem vindo Ricardo. Por acaso já temos o problema resolvido da duplicação do nome.O Ricardo passou a r.

  3. Luis Moreira says:

    Fernando, tudo mostra que se trata de um “10” à antiga.


  4. Aqui vai uma provocação: que o Aventar cumpra os limites de velocidade. Queremos voar, pois, mas como sou um bocadito medroso, sem excessos.

  5. Luis Moreira says:

    Estou contigo, José.Com calma e com segurança.Nada de azelhices com a pressa:vejam no que deu a pressa no Freeport!!!

  6. Ricardo Almeida says:

    Obrigado pelo convite. Não sei se estarei a altura, mas tentarei…Relativamente à apresentação do Fernando apenas tenho q referir que os amigos são assim… parciais… e ainda bem… pois se assim não fosse… não eram amigos. E eu… sou assim… com poucos amigos…. mas todos eles de grande categoria. Tb aqui sou exigente!Um forte abraço para todos.

Deixar uma resposta