O Leão já não ruge


Faz hoje 25 anos que morreu um grande campeão. Joaquim Agostinho, uma força da natureza, preparado a pão e água, com jornas de enxada nas mãos na sua terra natal. Atacava quando tinha forças, o que era quase sempre. “Doucement”, dizia-lhe Merckx ao empinar a bicicleta montanha acima. Ali, em Espanha, roubaram-lhe uma Vuelta e ficou várias vezes nos três primeiros lugares no Tour. Jogava as cartas que sabia serem os seus trunfos. Essa paixão pela vitória, pelos riscos inerentes a quem quer ganhar, morreu em Alvalade com o leão das estradas.
O Simon Vik tem força, é um cavalo sem freio, corre para a baliza e marca golos? É preciso pôr-lhe rédea curta e pô-lo a defender!Mas olha que no Dragão há lá um tipo que se chama Hulk e que é como ele, mas lá dão-lhe o campo todo para ele dar largas à força, correr, rematar e marcar golos! Pois é, não quer vai para o banco. Resultado? O Leão já começa derrotado. Quer ficar em segundo! Querem que o Leão jogue como o treinador que foi um jogador medíocre. Bola para o lado e para trás! Está sempre, matematicamente, na luta, embora não diga para que lugar. O Moutinho precisa de mobilidade no meio campo? Prende-se numa das extremas, a jogar por dentro, para dar lugar a esse craque de força e violento pontapé que se chama Romagnoli. Pois é, enquanto houve obras, muitas e grandes, negócios, acotovelavam-se para serem dirigentes. Como agora só há déficites e passivos, procura-se de lamparina na mão para ver se se encontra uma saída!
E o Pinto da Costa tem a culpa toda, como não pode deixar de ser!

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Ricardo, o Dragão com aquela imagem magnífica , a Águia com dois miseráveis galhardetes e o pobre do leão com umas meias rotas nos calcanhares!Muito isento me saíste tu!


  2. 🙂


  3. As imagens são o significado dos dias de hoje dos clubes em causa. Foram bem escolhidas. E isenção, no futebol, não existe. Pelo menos enquanto continuarmos a ganhar.


  4. […] Luis Moreira chamou a atenção, no Domingo, para os 25 anos sobre a morte de Joaquim Agostinho. Afogueado com o tetracampeonato do […]

Deixar uma resposta