Mário Soares, o pai de todos nós

Mário Soares é intocável, faça o que fizer, diga o que disser. Já fez mais do que o suficiente para prestar contas à Justiça, mas esta nunca sequer lhe tocou. Se fosse um de nós, há muito que estava preso.
Porquê? Porque tornou-se normal dizer ou pensar que Mário Soares é o Pai da Nação, é o pai de todos nós. E fez tanto por nós que lhe devemos tudo. E que, por mais atropelos à lei que ele cometa, o seu passado justifica, por si só, que se passe uma borracha sobre todos os atropelos cometidos.
Já escrevi muito sobre Mário Soares. Muitos antes de mim já o escreveram, como Rui Mateus, cujo livro proibido ainda hoje está longe, muito longe das bancas.
No entanto, o que ouvi sobre Mário Soares em 1994, quando estava em Madrid, no âmbito da inauguração de uma Exposição Ibérica de Fotojornalismo, inaugurada pelo rei, e que em Portugal fora coordenada por Luis Filipe Madeira e inaugurada, no Palácio Foz, pelo Presidente da República Mário Soares, é demasiado grave para ser dito sem provas. Quem o disse, em público e para todos ouvirem, foi um diplomata que, num jantar, já tinha bebido um bom bocado.
O que ouvi nesse dia é tão grave que nunca o disse a ninguém. Mas agora que entramos num período de férias, vou aproveitar para investigar a fundo esse assunto. E se for verdade, podem crer que vou publicar.
Não sei se estou a medir os riscos, mas sei que publicarei se tiver a certeza do que estou a dizer. Se não tiver, não publico.
Seja como for, a minha investigação começa aqui. Com este aviso, feito sobretudo para minha salvaguarda. Até lá, sobre isto não digo mais nada.

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Tambem já ouvi muita coisa mas não te esqueças do primeiro principio do Aventar. Não há calúnias ! Ou tens provas ou calas-te para sempre.

  2. Adão Cruz says:

    Força Ricardo! Rigor e verdade acima de tudo!

  3. Adão Cruz says:

    AMIGO RICARDOO BELO POEMA “UM CRAVO VERMELHO”, ATÉ PARECE DECORRER DO TEU POST, MAS NÃO EM HOMENAGEM A MÁRIO SOARES. ERA O QUE FALTAVA!


  4. «A verdade é sempre revolucionária». No entanto, amigo, certifique-se de que pisa terreno seguro – essa bicharada com que se vai meter, é perigosa. Este é o conselho de um velhote que já cometeu muitas imprudências e que pagou algumas bem caro. É o conselho de um amigo. O outro, o utente do blog, está ansioso – venha de lá essa verdade! Vamos divulgá-la e amplificar o poder de difusão (imprimindo um opúsculo, por exemplo).

  5. Adão Cruz says:

    Concordo com o Carlos Loures. Essa bicharada é perigosa. Mas perante a verdade não há que ter medo. Verdade provada, ainda que haja muitas coisas que sabemos que são verdade, mas, infelizmente não o podemos demonstrar com segurança. E é pena!

  6. Luis Moreira says:

    Pois, Carlos tu sabes do que falas.

  7. dalby says:

    Estás a ver Ricardo, estás a ver Ricardo, estás a ver como és INJUSTO AO CHAMARES-ME DE «COBARDE» EM PRIVADO??!!! Eu sou corajoso, mas SEI MUITO BEM OS MEUS LIMITES!Não sou burro nem tonto! Percebes agora que eu não posso, não devo, NÃO QUERO, E NÃO CONISGO DIZER O QUE TU QUERES, a não ser a ti, oralmente, informalmente e em presença exclusivamente! E de uma maneira gratuita como um fait divers..NÃO ARRANJES PROBLEMAS NEM A TI NEM A NINGUÉM…HÁ UM LIMITE ATÉ ONDE PODEMOS IR. E ESSE JÁ NÓS O ATINGIMOS!Larga o assunto!

  8. maria monteiro says:

    RSP, tem todo o meu apoio, ajuda,…e certamente de muitos daqueles que lêem o Aventar… é de dar um passo de cada vez com sabedoria, audácia… mas também com prudência1abraçomaria


  9. Amigos a verdade tem que ser dita. Não podemos calá-la. Se não for duma forma haverá sempre outras de o fazer, seja a quem for, sobre seja quem for…
    Mas concordo convosco, vivemos tempos difíceis no nosso país. Desgraçadamente.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.