O Professor Marcelo, a Bertinha e a Fátima Lopes

Os professores não fazem mesmo nada. Onde já se viu! A meio da tarde, a ver o programa da Fátima Lopes!

Seja como for, hoje em dia o professor Marcelo Rebelo de Sousa não perde uma oportunidade para aparecer na televisão. A sua pré-campanha para a liderança do PSD já começou, é vê-lo agora mesmo a beijar uma velhota chamada Bertinha. À direita da idosa, como fez questão de realçar, relembrou velhas histórias de Colégio, onde foi colega de Eduardo Barroso, o cirurgião que começou por dizer que a vida lhe corre bem. Claro que a vida corre bem a todos os que fazem mais ou menos parte do clã Soares.

Quanto a Marcelo, se não conhecesse o seu passado ainda diria que é um político populista. E que, qualquer dia, ainda se atirararia ao Tejo para mostrar a poluição do rio…

Comments


  1. Olha que o Eduardo Barroso é um ínsigne cirurgião, é o director do programa de transplantes do fígado do Hospital Curry Cabral, conhecido no mundo pelos óptimos resultados que obtem ( estes tambem são avaliados, comparando com quem faz o mesmo trabalho). Conheço-o e pessoalmente, não gosto dele , é muito convencido, mas o melhor é não dizer nada, ainda podemos precisar dele (não do fígado dele , a gostar tanto de cerveja e vinho, é capaz de não ser “bom fígado…)


  2. O Eduardo Barroso é a confirmação viva da minha tese de que o futebol torna as pessoas estúpidas. É um grande cirurgião, só pode ter uma mente brilhante – mal começa a falar de futebol transforma-se num pateta.


  3. É isso! Se o visses a discutir o Sporting com os meus amigos, é dificil de acreditar.


  4. Via-o e ouvia-o na televisão. Custava a acreditar. Foi um dos motivos por que deixei de discutir futebol na óptica clubística.

  5. Rosário Melo says:

    A velhota Bertinha, de que fala é segundo Francisco George e muitos daqueles que andaram na sua escola, uma grande Senhora.
    Fundou a sua escola em 1950, não aceitando a obrigatoriedade da disciplina de Religião, o que lhe trouxe graves problemas na altura.
    Nos primeiros 13 alunos fundadores inclui uma criança deficiente assim como um bolseiro.
    Poderia continuar mas fico por aqui com uma frase de Berta Ávila de Melo, minha Mãe: “Aqui não há raças, nem religiões, nem meninos menos capazes, são todos alunos do “Lar da Criança”.

    Rosário Ávila de Melo

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.