Guerra da Guiné (pequenas memórias)

O furriel Machado em primeiro plano

O furriel Machado pertencia à minha companhia de origem, a 1547. Esta companhia permaneceu algum tempo de intervenção, mais ou menos o tempo que eu estive em Canquelifá. Uma companhia de intervenção era uma espécie de bombeiro, acorrendo aos mais variados locais onde havia conflito. Findo este período de intervenção, a companhia fixou-se em Bigene, no norte, no sector de Farim. Algum tempo antes, uma Dornier fora buscar-me a Canquelifá para me depositar em Bigene, onde se encontrava a última companhia de farda branca, que estava prestes a acabar a comissão, e que seria substituída pela 1547.

Furriel Machado, o terceiro a contar da direita.

Estávamos em Bigene há já alguns meses. O furriel Machado fora de férias. Deve ter feito tais referências de mim a sua mãe, que ela lhe entregou, para me oferecer, uma lata de apetitosos rojões envoltos em alvíssimo pingue. Todos os nossos pares de olhos quase devoraram os rojões antes de serem aquecidos.

Um ou dois dias depois de ter regressado de férias e de nos ter visto saborear a bela prenda de sua mãe, o furriel Machado morre com um tiro na nuca, disparado por um atirador furtivo.

Furriel Machado de cócoras, à direita.

Comments

  1. graça dias says:

    São sempre as mesmas histórias, há mais de 50 anos, E agora : – no estrolabio,- no café, – no aventar- e no tasco

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.