Cinzas desta eleição

(adão cruz)

Cinzas desta eleição

 

Deu cabo deste país

Todo podre esburacado

E o povo ainda lhe diz

Sim Senhor muito obrigado.

Mais uma vez deu em nada

Nossa esperança e ilusão

Sempre a mesma cavacada

A escavacar a nação.

Foi tudo por água abaixo

S’alguma coisa inda houvesse

Só o povo fica sem tacho

Tem aquilo que merece.

Este povo é cegueta

Não vê nada para a frente

Não vai lá nem á marreta

Nem é povo nem é gente.

Não é povo nem é nada

Este rebanho dolente

Mesmo morto à paulada

Corre feliz e contente.

Nada mais tem a perder

A gente desta nação

Não vale a pena viver

Quando se perde a razão.

Comments

  1. Dario Silva says:

    NOTÁVEL PROSA. O dia começa bem…

  2. António Fernando Nabais says:

    De como a rima pode ser tão cristalina. Parabéns, Adão.

  3. xico says:

    O povo é mesmo estúpido. Nunca votam naquilo que achamos correcto. Por isso é que a democracia devia fazer uma interrupção. Votavam só os inteligentes como o Adão Cruz, e pronto. Rás parte a democracia, dah!

  4. xico says:

    Cavaco não governa o país há 16 anos. Nesses 16 anos, 13 anos governaram o PS e Alegre o seu deputado. O povo percebeu quem tem vindo a dar cabo disto.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.