Triste sorte ser negra em Portugal

Transcrevo este depoimento narrado pelo Luís Fernandes, e que respeita à minha vizinhança. Comentem vocês. Eu agora não posso, estou com vontade de vomitar.

Segundo me contou, enquanto fomos deglutindo o bom jantar servido no Paço do Conde, “é muito triste ser negro aqui. Todos nos tratam como se fôssemos de segunda categoria. Constato isto diariamente. (…) Veja bem, trabalhei 18 anos numa grande empresa de Coimbra. Trabalhei muito duro, nem o senhor imagina. Olhe que muitas vezes tive de deixar os meus filhos pequenos para ir trabalhar, porque o patrão chamava. Havia uma grande encomenda para despachar, e eu ia. A minha família dizia-me, um dia vais arrepender-te de toda essa entrega, mas eu não ouvia. Eu precisava de trabalhar para alimentar os meus três filhos. Eu fazia o que fosse preciso sem olhar ao esforço. Um dia caiu-me uma peça sobre o ombro e atingiu-me um peito. Fui para a clínica para ser operada e foi-me atribuída uma incapacidade ao braço de 96,5 por cento. Não tenho nenhuma força nele. Por inerência da pancada no peito ganhei um nódulo que viria a tornar-se cancerígeno. Felizmente benigno – no entanto, volta e meia tenho de tirar líquido. Pois olhe que não me foi atribuída pelo seguro de acidentes de trabalho nenhuma forma de compensação. Continuei a labutar. Eu precisava do emprego para criar os meus filhos.

Há cinco anos o encarregado do armazém meteu-se comigo num dia em que apenas estávamos os dois a trabalhar. Queria ter relações comigo a toda a força. Bolas, eu sou viúva, sou negra, mas não sou uma coisa. Dentro deste peito pulsa um coração. Afastei o homem. Ele continuou a insistir e atirou-me com uma palmada na cara. Agarrei numa cadeira e abri-lhe a cabeça. Fui ter com o patrão, convencida que ele iria entender a minha posição de fragilidade. Respondeu-me que eu deveria ter comido e calado. Como? Interroguei. Mas o homem não estava para passar confiança a uma empregada negra. No dia seguinte, quando fui para pegar ao serviço já não me deixaram entrar. 18 anos de entrega àquela empresa tinham um fim sem história.

E cala-te… senão…

Contratei um advogado e fomos para o Tribunal de Trabalho. Depois de muito tempo deu-se o julgamento. As provas desapareceram. Não me pergunte nem como nem porquê. Só sei que uma amiga minha viu o meu advogado a comer em casa do meu ex-patrão. Perdi a acção intentada em tribunal. O advogado ameaçou-me que se eu fizesse alguma coisa que mandava raptar-me os meus filhos.

Hoje, incapacitada, ferida na minha dignidade e com a alma a derramar sofrimento a todo o momento, estou aqui sem qualquer indemnização. Tenho a sorte de ter uns filhos magníficos e uma grande esperança em Deus. Deus é pai!”

in Questões Nacionais

Comments


  1. Eu também fiquei com vontade de vomitar.
    A arrogãncia e a prepotência em todo o seu esplendor!

  2. Alexandra Reis says:

    Infelizmente há muitas situações dessas em Portugal.

  3. Konigvs says:

    Por muito que me custe dizer isto, os meus pais são racistas. Apercebi-me claramente que se hoje tivesse 16 anos e quisesse – como muitos putos querem ser rebeldes e chatear os pais – eu para chatear os meus, ou pelo menos deixá-los desconfortáveis bastaria namorar com uma negra. Mas os meus pais já passaram os sessenta anos…Por mais que tente é complicado arejar esse tipo de ideias já muito entranhadas. Mas pior, é ver gente bem mais nova do que eu com uma mentalidade mais preconceituosa e racista que a dos meus pais, isso sim é preocupante.

    Quanto ao assédio é preciso muito cuidado com os clichés da mulher coitadinha e mais não sei o quê. As coisas mudaram muito na sociedade e rapidamente nos últimos anos. A mulher é hoje em dia um predador sexual tão ou maior que o homem.
    Já vi um colega de trabalho ser acusado de assédio de uma recente contratada que recebeu formação dele, que queria literalmente peso, e como ele se negou a satisfazê-la, ela por despeito (orgulho de mulher ferido é complicado!) rasgou a blusa e foi-se queixar aos recursos humanos que ele a assediou no elevador. Não tivesse ele as SMS dela a aliciá-lo e teria sido ele despedido por que é muito simples a mulher fingir o papel de ser frágil e de vítima que se chora toda e que todos rapidamente se solidarizam e olham para o homem como o mau da fita que só pensa em sexo.

    • matheys says:

      vai-te foder filho da puta mau caracter. A falar mal dos pais, deviam era ter-te abortado ou encaminhado para África à nascença para veres como lá são tratados os brancos. és uma merda sem orgulho nenhum, és tão burro que nem sequer te podemos encarar como traidor, simplesmente és um aborto.

  4. lurdes soares says:

    Infelizmente há muitas situações destas em Portugal, e nada têem a ver com a cor da pele.


    • tem a ver com a cor da pele sim.
      sou negro brasileiro nunca tinha sentido o racismo em minha pele ate por meio da venda da empresa em q trabalho
      a mesma foi vendida a um portugues ,ele assim q me viu se dirigiu a min me chamando de macaco, mais ate ai passou
      ate q chegaram de portugal os filhos dele uma garota de uns 20 anos e um garoto de 23 .eles me olham o tempo td como se estivessen diate de algo anormal,
      por este motivo terça feira dia 2 outubro estarei comunicando meu pedido de afastamento da empresa definitivo
      nao pence q isso e pura fantasia e nen devaneios meus esta e a mais pura verdade queria poder diser q e so uma istoria mais nao e bjs e sorte para vcs negros em portugal

    • Adriel Batista Correia de Melo says:

      vÁ ENTÃO MORAR EM aNGOLA,CANALHA.pOVO FEIO E QUE NÃO GOSTA DE TOMAR BANHO.

      • Mila Teles says:

        Essa daí deve ser mal comida! Depois sofre com alguma doença ainda vai questionar porque está passando por isso. Sai daí estragada! kkkk Fedorenta deve ser você, sua mal comida kkkkk


  5. Essa história não teria acontecido se fosse branca? Não me parece que seja uma questão racial… Mas nem digo o que é…

    • Adriel Batista Correia de Melo says:

      Amo muitíssimo as mulheres brancas e loiras,pois se cuidam melhor .
      Adriel.

  6. Negrinho Real says:

    O racismo não é vergonha, não é falta de inteligência, não é questão de cultura. O racismo é simplesmente a incapacidade que o ser Humano tem de Amar.

    • Rute Marques says:

      Na verdade não é falta disso, pois todos nós em crianças brincávamos e socializávamos com meninos e meninas diferentes sem qualquer problema. A nossa capacidade de amar é extraordinariamente grande. O problema é que há pessoas que preferem ignorar essa capacidade.

    • Adriel Batista Correia de Melo says:

      Feio é feio.Bonito é bonito.O povo africano negro é horrível.
      Por que o lindo povo português foi para lá ?

  7. Rute Marques says:

    Sim, este é um caso claro de discriminação com relação à uma etnia, a uma cor de pele diferente… E é terrível alguém passar por tanta coisa tendo uma família a sustentar. Infelizmente isto não acontece apenas com mulheres negras, mas também brancas, chama-se portanto de exploração no local de trabalho e falta de reconhecimento e humanismo da parte das pessoas.
    Se alguém responder a este meu comentário, agradecia que mostrasse de boa educação, ainda que não concordem comigo.
    E o rapaz acima não falou mal dos pais, em parte alguma, apenas referiu que têm problemas em aceitar pessoas com cor de pele diferente, o que acontece muito provavelmente pela educação que receberam.

    • Adriel Batista Correia de Melo says:

      Rute

      É difícil amar uma pessoa que tem nariz chato e lábios grossos,cujo rosto parece ser raivoso,com ódio.Você desvia logo o olhar.E eles(as)são permanentemente raivosos.Só gostam de namorados(as)brancas ou loiras.Eles é que são racistas.E o fedor !
      Adriel Batista Correia de Melo

  8. Jorge Manuel Candeias says:

    Não me revejo nessa acção dos seus ex patrões …nem penso que isso lhe aconteceu por ser Negra…infelizmente há gente assim ainda em Portugal… Eu também já fui descriminado em África por ser branco, mas não considero que sejam racistas…Resta me lhe pedir desculpas pelos seus ex patrões em nome do povo Português.

    • Adriel Batista Correia de Melo says:

      JORGE

      Os africanos são a desgraça do mundo,assim como a pobreza e o catolicismo romano.

  9. Adriel Batista Correia de Melo says:

    Back to África !


  10. Portugal saqueou a África e a América do Sul por mais de 300 anos corrompendo e destruindo povos e culturas locais, apossando-se de suas riquezas sem nenhum pudor… E agora, nada mais justo que brasileiros e africanos possam usufruir do que um dia lhes fora ROUBADO. Os portugueses deveriam ter no mínimo RESPEITO para com estes povos.

    • Roberto Filho says:

      Daniel Rosa, que eu saiba, sobrenomes de flora, fauna condimentos são do povo mouro (pimenta, carneiro, ovelha, falcão, carvalho, etc… ) Segundo, que a maioria dos brasileiros antes de 1890, são filhos de portugueses com mucambas afrcianas, isto é, o povo brasileiro é europeu, o neghro é europeu… E você falou uma grande besteira apoiada por políticas genocidas atuais…

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.