Cavaco Silva – a escola privada e a escola pública

Em tempos Cavaco Silva, político que me merece o respeito que destinamos apenas a quem é chefe de estado – nada mais que isso! Dizia eu, que Cavaco Silva em tempos terá sugerido:

“Considero importante que crianças, jovens, pais e professores venham para a rua para defender a sua escola. É um sinal de vitalidade da nossa sociedade civil”, disse Cavaco Silva em Aveiro, no jantar comício de hoje.

Pois bem, esta semana tivemos o mesmo Político profissional não remunerado a fugir de uma manifestação de estudantes na Escola António Arroio.

O que distingue uma coisa e outra?

O sentido do trânsito ou antes, a inversão de marcha, isto é, de um lado, um sinal obrigatório para o ensino privado – vão para a rua! Do outro, um sinal de trânsito proibido: por aí não, que os putos vão-me chamar nomes!

Mas, há outra coisa a separar este momento do brilhante mandato presidencial: o apelo à rua é feito para os que se batiam pela continuação do apoio dos contribuintes às suas suas escolas privadas!

E a inversão de marcha é feita perante uma escola pública, ainda por cima da área artística!

Sinais dos tempos – um Presidente, um governo, uma maioria que têm os olhos colocados na Escola Pública! Antes fossem cegos!

Comments

  1. Tito Lívio Santos Mota says:

    Antes fossem cegos !
    LOL

    Uma das poucas coisas boas que há em Portugal é a sua escola pública.
    Apesar da falta de meios comparativamente à França, para já não falar da Alemanha, país onde o ensino já nem sequer é de má qualidade, é pura e simplesmente de péssima qualidade.
    O que não quer dizer que não tenha defeitos.
    Mas Portugal é um país tão convencido, mas tão convencido de que tudo no estrangeiro é melhor, que até vai deixar desbaratar mais este pequeno motivo de esperança que ainda havia.

    Qualquer dia ainda acabo pensando como quem diz “Portugal tem o que merece”.
    Mas vou evitando.

    PS : nem em França, nem na Alemanha existe uma qualquer escola artística pública com o nível pedagógico da António Arroio.

  2. marai celeste ramos says:

    A arte de continuar a estragar o que vai restando de incontestavelmente certo e levou tanto tempo a erigir, mostrando como o que aumenta é a iliteracia, e cegeuira, como a de quem entra na estrada em sentido contrário sem dar por nada


  3. Um texto claro não merece observações.

  4. Zé Carioca says:

    Mas porque carga de água todo o mundo diz que ele merece “o” respeito pelo cargo que ocupa?
    Primeiro é um reformado não é um PR, ele assim decidiu quando recusou o salário em beneficio das reformas, e segundo quem se dá “á falta de respeito” é ele, quando nos insulta a todos de idiotas ou atrasados mentais, porra chega de paninhos quentes para com a classe politica, se estão lá é para serem exemplos portanto aguentem-nas.

Trackbacks


  1. […] e a mania de mexer no que está quieto Posted on 19/02/2012 por João Paulo Seguindo a linha presidencial, o Ministério da Educação e Ciência está a seguir à risca o seu plano ideológico para tornar […]


  2. […] Não – agora não estava a pensar no senhor do bolo rei que apela aos estudantes para se manifestarem e depois foge deles. […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.