Os braços armados dos clubes

Já não há paciência. O que escrevi no último post era uma espécie de alerta para o que aí vinha e, por acaso, os factos vieram a mostrar a razão da minha argumentação.

Um árbitro errou – o que apitou o jogo do meu clube. Facilmente se percebe pelos comentários ao post que mais ninguém errou e que a queda do Maxi no Dragão, por ter sido fora da pequena área até deveria dar direito a duas grandes penalidades porque, segundo alguns, houve uma falta antes que não foi marcada.

Até aqui, temos uma discordância visual. Nada de estranho – nos últimos quarenta anos criaram hábitos que não se mudam com dois títulos perdidos. Pode ser que o terceiro e outros que se seguirão, ajudem a ter alguma lucidez.

Mas, depois da mediática e bem orientada participação dos paineleiros das TB’s, eis que o Braço Armado entra em campo. E, como alguém dizia hoje na rádio, estão ultrapassados todos os limites.

Esperei algum tempo para ver como reagia a blogosfera azul. Silêncio! Nada. Nem um só comentário.

Confesso que estava à espera de um comentário da Direcção do Clube, mas  acabamos por ter um simples “não sei do que está a falar”, de um Dirigente. Poderia ter sido a mulher a comentar…

Como poderiam ter comentado quando foi a vez do treinador holandês, ou do Adriano ou até do Paulo Assunção…

O mais espantoso é que vejo muita gente a aplaudir este tipo de comportamentos.

Já sei que vão aparecer os comentários a falar do Very Light, das agressões ao Hóquei, do comportamento em Madrid. Nem sequer vou perder tempo a comparar o incomparável, porque estamos a falar de coisas completamente diferentes e de formas  de pressão, claramente distintas. Aliás, nos últimos tempos a Direcção tem sido exemplar, quer a criticar comportamentos estúpidos dos adeptos, quer a apelar a um comportamento urbano no desporto.

Vai viva a discussão no seio dos tiffosi vermelhos. De um lado, os que pretendem levar os No Name para um lado mais obscuro e mais complicado. Do outro, gente que pretende manter a claque mais civilizada e mais próxima dos valores do desporto. Uns e outros, com uma frequência excessiva, têm estado envolvidos em cenas de violência porque pensam que podem resolver a questão à pancada. Podemos até aceder a alguns textos em que se tenta mostrar uma relação directa entre a presença de simbologia neo-nazi e os maus resultados do clube, para que se entenda a gravidade da situação

Poderia também ir buscar um exemplo verde que tem um deles como Presidente e com isso mostrar que o futebol português tem um problema que é preciso resolver.

E, com urgência, antes que comecem a tombar os primeiros inocentes.

Comments

  1. joão lopes says:

    como se resolveu o problema da violencia do desporto em inglaterra? suspendendo a inglaterra de todas as competições internacionais.em Portugal a minha opinião era que se devia suspender o campeonato nacional,já:sabem o que acontecia no dia seguinte? nada,nadica de nada,a não ser meia duzia de arruaceiros ficarem sem negocio e as tabernas/jornais desportivos sem assunto.

  2. passos e salazar says:

    acabar com os nojentos programas de tri-paineleiros era um bom começo. acabar com todas as claques organizadas um bom seguimento, tal é o nivel de crime organizado dentro delas – comum às dos 3 grandes.

  3. Rui Branca says:

    A sua posta peca por facciosismo na afirmaçao sobre a blogosfera azul, certamente devido a desconhecimento. Eu tambem nao me ponho a ler os blogues vermelhos ou verdes, mas precisamente por desconhecer nao teço consideraçoes sobre as blogosferas vermelhas e verdes.
    Quanto `a reacçao da blogosfera azul, recomendo o “sou portista com muito orgulho” one ha´ ja´ muito tempo que se denuncia o comportamento jagunço e violento da claque portista SD e do Madureira em particular.
    De resto, aqueles tipos da claque SD tem semeado o terror no futebol distrital do Porto em todos os jogos do Canelas 2010.
    Quanto a mim deveria haver uma moldura legal para puniçoes pontuais (de pontos no campeonato, que e´ onde mais doi) e financeiras para os clubes, seria a unica maneira de haver motivaçao da parte dos clubes para por cobro a estas situaçoes.


    • Meu caro obrigado por ter comentado. Eu tive o cuidado de ir ver. Li vários, o porta 19, o tribunal, o orgulho, etc…, vários. O que escrevi, sobre a questão concreta do que fizeram Agora é rigorosa. A sua insinuação não é justa. Quanto às penalizações, julgo que devem ser desportivas. Só assim isso doer. Por outro lado pergunto? A claque é legal? Se sim, é fácil actuar ou não?

      • Rui Branca says:

        So´ para provar que no “sou portista com orgulho” se falou precisamente da intimidaçao que a claque SD foi fazer ao restaurante do pai o arbitro faça favor de aceder a este link abaixo:

        http://souportistacomorgulho.blogspot.se/2016/02/intimidacao-o-fcp-e-isto.html

        Portanto o “silencio” que o Joao diz que houve na blogosfera azul e´ falso. Provavelmente por lhe ter passado despercebido… Mas nao lhe da´ e´ certamente o direito a ser tao categorico numa afirmaçao que denigre os adeptos azuis e brancos em geral!
        Tente nao ser tao chauvinista, pois postas destas tambem promovem o ambiente crispado entre adeptos…


        • Meu caro, tem a certeza do que escrever? Coloca esse blogue na esfera azul? Olhe que se calhar anda pouco atento, mas, usando o seu critério, terei que pedir desculpa e dar a mão à palmatória, mas olhe que se calhar não está a ver o filme todo. E, portanto, eu sou capaz de manter o argumento porque comparo também o comportamento de duas Direções. Não tem nada de chauvinista – era o que mais faltava, por ser de um clube, não pode criticar a Direção de outro. Agora é mesmo a sério: olhe que o orgulho não é o que aparenta ser…

    • Ricardo Santos Pinto says:

      Que ideia, Rui. O João Paulo não é nada faccioso.

  4. Ricardo Santos Pinto says:

    Acusação muito baixa e demagógica, vinda de alguém que até já assumiu o seu facciosimo.
    E sabes que é uma acusação baixa e demagógica. Não escrevo muito no Aventar, como sabes, e muito menos sobre futebol. Não escrevi sobre o que se passou com os Super Dragões como não escrevi praticamente nada sobre futebol nos últimos anos. Abri uma excepção para criticar as poucas-vergonhas da SAD do FC Porto, coisa que nunca te vi a fazer relativamente ao teu clube.
    Mas já agora, se há portistas que dizem que o do Maxi era penalty e o do Jonas não (e dás a entender a razão, 40 anos de sucessos fabricados – não fazes por menos, é que o FC Porto já ganhava em 1973!), gostava de saber por que razão é que há benfiquistas que dizem que o do Jonas era penalty e o do Maxi não. Os portistas pensarem assim já nos disseste a razão – e os benfiquistas, por que é que pensam assim?


    • Se há benfiquistas que dizem isso, estão errados. Só facciosos.

      • Ricardo Santos Pinto says:

        Bem me parecia. Os benfiquistas dizem porque são facciosos. Os portistas dizem-no porque são uns corruptos. Está tudo dito.


    • Mas este post era sobre as claques

      • Ricardo Santos Pinto says:

        Era sobre as claques, era. Por isso é que dedicas 8 parágrafos ao FC Porto e 1 parágrafo ao Benfica.


        • What? Corrupção? Mas isso é uma auto crítica? Onde é que eu escrevi isso? pelo silêncio nos comentários posso inferir que concordas com o comportamento das claques?

          • Ricardo Santos Pinto says:

            Não me queiras fazer de burro. Sabes muito bem o que querias dizer com «nos últimos quarenta anos criaram hábitos». És tu que, quando escreves um post sobre o FC Porto, pões «corrupção» nas tags.
            Ó pá, concordo tanto com o que fizeram os Super Dragões como tu concordaste com o que fizeram os adeptos do Benfica quando ameaçaram e roubaram aquele miúdo portista em cadeira de rodas, a julgar pelo que (não) escreveste na altura.


  5. Ora cá está – estamos de acordo em tudo. Subscrevo o que escreves no último comentário 🙂

    • Ricardo Santos Pinto says:

      No fundo, não és muito diferente dos Super Dragões. Todo o teu discurso e toda a tua postura, no que diz respeito ao futebol, está repleta de ódio e de radicalismo. É por causa de adeptos como tu que o futebol está como está.

  6. Nightwish says:

    Ora, vamos lá ver a claque que já agrediu um árbitro, incendiou um autocarro, agrediu um deficiente, guarda droga e armas no estádio, atira calhaus para a autoestrada, arranca cadeiras sempre que vai a um certo estádio, agride um fiscal de linha em pleno jogo… são os SD, pois claro.


    • Está visto. Confirma-se a razão dos meus argumentos. Há uma visão colorida da realidade 🙂

      • Ricardo Santos Pinto says:

        Não é uma visão da realidade muito diferente da tua – só muda a cor. De resto, está lá tudo – os outros é que são sempre os maus.

      • Nightwish says:

        Pois, a sua. Não vou defender os SD, mas igualar qualquer coisa que envolva o clube do regime com outro qualquer clube é pura fantasia.


  7. Na realidade o que vocês querem dizer é que quem ama o clube são os adeptos anónimos, e que tudo o resto direcções, claques, comentadores e estruturas (ou falta delas) usam apenas os clubes para se promoverem e ganharem milhões com negociatas e esquemas diversos.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.