Uma viagem ao fundo da cadeia alimentar da propaganda de direita

tacho

A internet está cheia de coisas giras. Por estes dias encontrei por aí um site chamado Direita Política, um site que, segundo os seus não-identificados autores, tem como objectivo “a divulgação da politica de direita“, apesar de se dedicar quase em exclusivo a malhar na esquerda, algo que rapidamente se comprova com um curto passeio pelo estabelecimento. O grau de imparcialidade é tal que no separador dedicado à corrupção não há espaço para a corrupção envolvendo actores políticos de direita. Os corruptos, quando nascem, são todos de esquerda.

A área “sobre nós” é reveladora. Lá chegados, somos iluminados por verdades absolutas de um nível de elevação fascinante. Reparem:

Como a história tem comprovado, apenas os países que têm a maioria da população com ideologias de direita se têm desenvolvido. Nos paises de direita as pessoas são mais cultas, mais educadas, existe mais emprego, mais desenvolvimento económico, melhores condições de vida. Exemplos: Japão, Estados Unidos da América, Alemanha, Inglaterra, Coreia do Sul.

Por outro lado os paises de esquerda estão associados a pobreza e caos. E bem. A maioria das pessoas está na miséria, são pouco educadas, pouco cultas, a economia é pouco desenvolvida, existe muitissimo desemprego, existe muita criminalidade incluindo grupos criminosos. Exemplos: Coreia do Norte, Venezuela, Cuba, Russia, já para não falar da URSS que teve de acabar devido ao total fracasso do regime de esquerda colocando toda a Europa de Leste em crise (Letonia, Estonia, Ucrânia, Roménia, etc).

Nos países de direita, seja lá o que isso for, as pessoas são mais cultas, educadas, existe mais emprego, mais desenvolvimento e melhores condições de vida. Até podia pegar no caso alemão, onde o SPD, de centro-esquerda, integra actualmente o governo de Angela Merkel, para além de ter governado noutras ocasiões, mas prefiro pegar nos exemplos escandinavos, onde vários governos de centro-esquerda foram bem-sucedidos nas suas funções e, imaginem só, estão à frente de todos os exemplos oferecidos pelos autores anónimos deste site em tudo o que é indicador de qualidade de vida. Talvez tenha sido o funcionamento de excelência do Estado Social nestes países que assustou esta Direita Política.

Já nos países de esquerda, como não podia deixar de ser, é onde impera a pobreza e o caos reina. Coreia do Norte, Cuba e Venezuela não podiam deixar de figurar no lote principal mas, perdoem-me as palavras, é preciso ser mesmo muito estúpido e/ou ignorante para tentar convencer alguém que o país de Tchaikovsky e Tolstói é um país pouco educado ou inculto. É preciso comer clichés fanáticos com bagaço ao pequeno-almoço. O problema da Rússia está longe de ser falta de educação ou cultura. O problema da Rússia é mais ou menos o mesmo que o nosso: classe política corrupta e incompetente que gere para as elites e não para o povo. Simples. Mas aqui devo voltar ao parágrafo anterior: então e quando países como a Dinamarca, a Suécia, a Alemanha ou a Holanda foram governadas por executivos de esquerda? Caiu uma cortina temporária de pobreza, caos, analfabetismo e crime sobre estes países? Já agora, criminalidade e grupos criminosos? Será que esta malta conhece os EUA? Não devem conhecer.

Trata-se, portanto, de um site de propaganda barata, de autores de cara escondida, de discurso fundamentalista feito de meias verdades e outras aldrabices, musculado com todo e qualquer atropelo de esquerda mas sempre cobarde no que toca a mostrar o lado negro da força que tentam proteger. E aqui entra a publicação que me fez descobrir esta coisa. Segundo o autor X deste site, as 154 nomeações feitas pelo actual governo no espaço de 41 dias representam um “record absoluto“. E isto funciona muito bem nas redes sociais. O que ninguém lhes disse – e mesmo que dissesse nada aconteceria na medida em que isto é malta que tolera tudo o que a direita faz – é o que anterior governo nomeou 1097 nos primeiros 214 dias de governação. Portanto, para que este governo estabelecesse o tal record absoluto, teria que ter nomeado, nesses 41 dias, qualquer coisa como 211 boys.

Claro que a propaganda serve o seu propósito e o anonimato cobarde mantém tudo na opacidade. E se esta gente tivesse o mínimo interesse em defender o interesse público, que claramente não tem, teria no passado contado as histórias do primeiro-ministro que não queria ser eleito para dar empregos aos amigos, das castas à prova de austeridade ou de tantos outros episódios da boylândia do anterior governo, do enxamear da Segurança Social aos especialistas em programas de ajustamento com pouco mais de 20 anos e um cartão da JSD, passando pelo ex-patrão de Pedro Passos Coelho ou por todo um batalhão de gente que se fez muito bem à vida enquanto governou. Mas não o fazem porque não passam de um instrumento de propaganda de quinta categoria. O fundo da cadeia alimentar.

Trackbacks


  1. […] o tal “blogue” em causa, e de páginas do Facebook tais como a “Direita Política“, mantida por João Pedro Rosas Fernandes, segundo a investigação do […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.