Matar Sócrates? Não!

Sócrates MenteMatar, não. Mas dar-lhe o desafio de ter de nadar para a praia mais próxima a partir de uma distância de mil metros, num mar encrespado, isso já seria bem tramado. Olha, da Berlenga a Peniche, por exemplos. Há quem cegue de paixão por causa de um partido político, defendendo-o mesmo no que não tem defesa possível: nos seus trastes comissionistas, nos seus corruptos endémicos, nos seus ladrões devastadores.

É necessário cegar de paixão pelas pessoas comuns e pelo País inerme perante Políticos e Banqueiros sem escrúpulos. Amar as Pessoas comuns e sentir o País com Fome, no seu sofrimento e estado de exaustão anímica e financeira. Ladrões e desonestos ficarem a rir de nós, seja no Parlamento, como o super-aldrabão mete-ao-bolso Paulo Campos, cretino acabado, ou como o Mega-Burlão de Paris, ultra-desonesto, irascível — isso tolere-o quem puder.

Quem passa fome e sabe porquê, a fundo, não pode abstrair-se desportivamente do facto de ter havido filhos da puta como esses que ganharam balúrdios especialmente a foder-nos o couro e a destroçar-nos o futuro.

Porque Macário não é o Porcalhão de Paris

O que é que eu penso de Macário Correia? ‘Gosto’ dele. Não é de agora. Se violou várias e sucessivas vezes o PDM local, é porque o PDM é histérico e fez queixinhas, pôs-se a gritar, mas só depois de tirar o máximo de proveito e rebolar-se com dois orgasmos ou três debaixo do roliço e nada macabro Macário. Tavira é suculenta. Eu compreendo. Não é por nada, mas bom será que esse autarca aprenda que as violações aos PDM têm consequências. Que actos ilegais perpetrados por ele e pelo resto da classe política também têm consequências. [risos] Aqui temos de rir e rir muito. Sim, haverá consequências. Mas poucas. Em pequeno e muito bem medidas dentro dos grandes princípios-banana portugueses e do infatigável faz-de-conta justiciário português, quando envolve detentores de largos milhões sabe-deus como. Portanto quase nada. Portanto, nada.

Consequências para Macário, mas não para Isaltino. Consequências para Macário, mas não para Paulo Campos. Consequências para Macário, mas não para Maria de Lurdes Rodrigues. Consequências para Macário, mas não para o Mendonça ou para o Lino. Consequências para o Macário, mas não para Teixeira dos Santos, e muito menos para o Filho da Puta absoluto e supremo que depois de ter feito a sua merda moral nos palanques e conciliábulos do Poder enclavinhado com garra aquilina, laureia a pevide por Paris, largando a sua merda metabólica no sistema de drenagem local, a qual deslizará, lenta, até uma ETAR ou um afluente do Sena. [risos] [Read more…]

Xeque-Mate a Portugal pelo Partido-Merda

O crime político-económico mais grosseiro alguma vez cometido em Portugal é recente e é este, repleto de coniventes, recheado de beneficiados, à testa dos quais-coniventes está, surpresa das surpresas, Cavaco Silva, com a sua velha flácida cumplicidade calculista ou tóina, escolham, pois promulgou tal prolongado estupro geral ao contribuinte pelas décadas das décadas. Nem é preciso repetir quais os supremos cretinos beneficiados sob a gestão calhorda do Partido-Merda. Capazes de tudo, mas tudo, por amor ao próprio estômago e ao próprio bolso. Ímpares no desprezo proverbial por todos e cada um de nós. Foram capazes de capar professores com mordaças burocráticas, algemas morais e estigmas profissionais. Foram capazes de criar todas as condições para chupar tudo e ir de férias. Vitalícias. Prendam-nos. Prendam-nos já, a esses infinitos cabrões!

Paulo Campos, o anjinho

It Wasn’t me, diz ele.

Notas Soltas

A cinco mil quilómetros de distância, Portugal chega-me pela palavra escrita, pela televisão, pelos telefonemas e e-mails dos amigos. Tudo devoro com ansiedade e uma intensa preocupação.

Até ao dia 30 de Maio de 2012, vários me diziam que Passos Coelho é um “tipo sério”. Pela imagem, pela linguagem corporal, ele parecia-me sisudo, melancólico, com o olhar inteligente do pargo cozido. Como um jerico. A partir dessa data, seguindo o debate parlamentar sobre a convivência negada, e depois confirmada, entre Silva Carvalho, maneirinho e fino como Toni Soprano, e Miguel Relvas, físico e porte de açougeiro, ambos e dois tresandando a Loja, fiquei sem dúvidas acerca do Coelho que passou um cheque um branco de confiança a Relvas. A vantagem é irem os dois ao fundo ao mesmo tempo. Pena é se têm tempo de vender Portugal a retalho, e ao desbarato, RTP-1 incluida.

O coiso de Vancouver é um triste,coitado. Se não consegue a embaixada da UNESCO, o que porá Paris a rir, está feito ao bife com a universidade canadiana: não traz consigo uma estrelinha, ao menos uma, de brilho e justificação. É espantoso como a vaidade ou melhor, como a cagança provinciana, pode levar ao charco.

Quando se pede uma entrevista a uma pessoa é porque se considera importante o que ela tem para dizer. Portanto, é para deixar a pessoa falar. Não o entendeu assim José Rodrigues dos Santos, aquele que pisca o olho a despropósito, quando fez tudo para que Paulo Campos não falasse. Um festival de ignorância e mau jornalismo. O jornalista feito chico esperto. E eu a fazer minhas as palavras dum cartaz de rapaziada: O CHICO É ESPERTO MAS É MALCRIADO.

Já que estou com a mão na massa, pergunto porque é que os contribuintes têm de pagar a clamorosa má criação e ordinarice de Pedro Granger no concurso O ELO MAIS FRACO. Naquela casa náo há chefe,director, provedor?

Tudo somado, no que respeita a humor, salva-se o ESTADO DE GRAÇA, com sabor revisteiro e autêntico.

Agradeça a Paulo Campos

O meu caro leitor tem de ir a uma estação dos correios pagar as ex-scut? Agradeça a Paulo Campos

Teve de comprar Via Verde para transitar nas ex-scut sem ter de passar horas nos correios? Agradeça a Paulo Campos

Tem um restaurante raiano que perdeu clientes em flecha desde que se tem de pagar ex-scut nos correios? Agradeça a Paulo Campos.

Tinha uma loja de artesanato, uma produção de azeite, um negócio turistico que fechou por falta de turistas depois de se ter de pagar as ex-scut nos correios? Agradeça a Paulo Campos.

O Algarve perdeu milhões e afectou a sua imagem depois de obrigar turistas a pagar as ex-scut nos correios? Agradeça a Paulo Campos.

As ex-scut ficaram mais caras para o estado depois de renegociadas por ele do que antes disso? Agradeça a Paulo Campos.

Acha o pagamento das ex-scut nas formas hoje em vigor uma cromice? Agradeça a Paulo Campos.

Sente-se tão enganado como o Tribunal de Contas? Agradeça a Paulo Campos.

Acha que o estão a tomar por tolo quando lhe dizem que o peso das PPP no PIB é apenas de 0,22%? Agradeça a Paulo Campos. [Read more…]

Cromos do Dia: Miguel Macedo, Paulo Campos

Vamos começar a fazer uma caderneta de cromos aqui no Aventar. Entre raros, banais e repetidos para a troca, cromos não faltam. Hoje, para início de colecção, entregamos dois cromos. O segundo parece ultrapassado mas é pura ilusão. De cada vez que o leitor vai a uma estação de correios pagar uma passagem numa Scut, por exemplo, é cromice dele. Impagável e difícil de trocar.

Miguel Macedo

Paulo Campos

Administrador CTT / specialized by Avon Cosmetics Int’l

Há algum tempo saiu aqui no Aventar uma nota sobre um administrador e um vogal dos CTT.  Um deles baralhou-se e pensava que era licenciado, mas não. Mesmo depois de 8 anos na universidade não chegou a perceber aquela cena de se ter que pedir o diploma no fim do curso. Talvez isso tenha acontecido por trabalho a mais na sua empresa Puro Prazer, que organizou por essas alturas uma… festa académica!

Aqui fica o CV deste excelso administrador.

MARCOS AFONSO VAZ BATISTA

Marcos Afonso Vaz Batista

Licenciado em Economia. Especializado pela Avon Cosméticos Internacional emTécnicas de Venda Marketing e Merchandising e possuidor de diversas acções de formação em Vendas Por Catálogo Comunicação e Marketing. VendedorMarketing Manager da Avon Cosméticos S.A. Contabilista. Director Financeiro  de duas empresas que ninguém conhece das empresas Área Dinâmica e Laveiro. Boy nomeado para várias empresas estatais. Administrador dos CTT – Correios de Portugal S.A. e Administrador da PayShop (Portugal) S.A.

Administração dos CTT é Puro Prazer

Jobs for the boys? Amiguismo? Tratar a coisa pública como quintal privado? Compadrio? Não, que ideia! Toda a gente sabe que a administração dos Correios de Portugal e a produção de espectáculos são duas faces do mesmo selo. Ou será da mesma encomenda? Quanto à forma de pagamento, já se sabe, é à cobrança, a pagar pelo destinatário de sempre. Mais um envelope envenenado.

Casos de estudo: vogais vs. administradores

Caso de estudo nº 1

MARCOS AFONSO VAZ BATISTA

Marcos Afonso Vaz Batista

Licenciado em Economia. Especializado pela Avon Cosméticos Internacional em Técnicas de Venda Marketing e Merchandising e possuidor de diversas acções de formação em Vendas Por Catálogo Comunicação e Marketing. Vendedor Marketing Manager da Avon Cosméticos S.A. Contabilista. Director Financeiro  de duas empresas que ninguém conhece das empresas Área Dinâmica e Laveiro. Boy nomeado para várias empresas estatais. Administrador dos CTT – Correios de Portugal S.A. e Administrador da PayShop (Portugal) S.A.

Caso de estudo nº 2

LUÍS MANUEL PINHEIRO PITEIRALuís Manuel Pinheiro Piteira

Frequência do 3º ano de um curso de  Contabilidade e Administração. Trabalhou nas áreas de Operações e Contabilidade de duas empresas. Geriu uma carteira de fundos e de seguros. Trabalhou como controller. Vogal do Conselho de Administração da Empresa de Arquivo de Documentação, do Grupo CTT e do Conselho de Administração da Payshop  S.A.

 

Destes dois casos de estudo trazidos até nós por Paulo Campos conclui-se que terminar um curso e ser vendedor da Avon são dois aspectos essenciais para distinguir o cargo de administrador do cargo de vogal de uma empresa que faz a mesma coisa que os pagamentos de serviços do Multibanco mas com mais burocracia (e maior despesa).