Controlo da Pandemia – Irresponsabilidade insana

O Presidente da República, o Primeiro-Ministro, os órgãos de comunicação social e boa parte dos cidadãos serão co-responsáveis pela insana ausência de medidas de controlo da pandemia na Área Metropolitana de Lisboa, que poderá seriamente colocar em risco a manutenção de Portugal como país seguro para o turismo.
Reconheço a validade dos argumentos do Presidente e do Primeiro-Ministro: de que a vacinação já efectuada permite que os novos infectados não representem risco de vida ou sequer de internamento, uma vez que os sectores etários de risco mais elevado ou já morreram ou estão vacinados, e que, por tal, poderemos não ser tão severos no controlo da pandemia e que, por outro lado, não podemos adiar mais a recuperação económica de muitos sectores que foram obrigados a parar.
Trata-se de um sério erro de perspectiva, seja do ponto de vista sanitário, seja do ponto de vista económico, porque os critérios utilizados pela União Europeia para classificar os seus membros como destino seguro não contemplam esses argumentos.

Portugal avança no desconfinamento

Recordemos esses critérios estabelecidos a 20 de Maio de 2021: [Read more…]

é uma casa inglesa, com certeza…

tenda nos arbustos do separador da circular interna em Wolverhampton 2

… é com certeza uma casa inglesa!

Paredes de nylon azul,
um jardim de relva cortada
uma porta virada a sul
e mesmo à borda da estrada!

ler

Espanha: um exemplo para o Mundo, diz Rajoy

Milhões de postos de trabalho destruídos e a correspondente queda nas cotizações para a Segurança Social espanhola desde a sua subida ao poder: eram 19,4 milhões de contribuintes em 2008, desceram aos 16,2 já em 2013. Olé!

Na Ponta de um Corno

CR7 de dedo

Os portugueses têm em Ronaldo um modelo de profissionalismo,
excelência e resistência. Sigam-no!

Até há poucos dias, Portugal parecia recuperar da valente sova macroeconómica que os últimos dois anos comportaram. Pendurados na ponta de um corno, índices como o desemprego sorriam sem parecer martelados ou sazonais. Agosto destruiu essa ilusão. Se há passos, são ténues, mínimos, embora em frente. A surpresa foi geral, mormente para aquelas franjas extremadas que fazem do derrotismo e do mal-fodidismo traves-mestras do combate político e da simplista dicotomia Esquerda-Direita a teoria automática com que se explica o desconcerto do Mundo: para esses, nunca nada está bem e por isso todas as boas notícias têm atenuantes que as transformam em más na mesma. Há eleições? Logo, os números estão a ser maquilhados. Concedo a maré de mensagens positivas como espuma de conveniência para os partidos do Poder. Mas nada de dogmas. [Read more…]

Se Guilherme Tell tivesse a pontaria de Vítor Gaspar…

Primeiro, Vítor Gaspar aponta 2013 como “início recuperação económica”; depois, o governo admite que 2014 já não vai ser o ano do crescimento.

Chocos com tinta são chocos com tinta

Depois de Passos Coelho ter afirmado que a crise terminará em 2013, Álvaro Santos Pereira, o Álvaro, veio relativizar o arremesso do chefe do governo, lançando uma palavra de bom senso, parecendo abandonar o estatuto de pateta de serviço do governo. [Read more…]

Maya preocupada com a concorrência de Passos Coelho

Maya confessou em círculos mais próximos que está preocupada com a concorrência de Pedro Passos Coelho.

Na realidade, o primeiro-ministro, tal como a taróloga/relações públicas, também esteve na televisão a usar uma linguagem ambígua e contraditória, afirmando que estava a prever o futuro, ao mesmo tempo que mostrava que não tinha bem a certeza de que as suas previsões iriam dar certas. Basta lembrar que o primeiro-ministro/vidente disse que em 2013 não haverá recessão e será, ao mesmo tempo, o ano da “preparação da recuperação”. [Read more…]