Os cães ladram e as panelas da família Soares passam

JS

A panela obtida pelo filho de João Soares na CM da Lisboa é duplamente interessante. É interessante, por um lado, porque demonstra que o clientelismo está vivo e de boa saúde no seio do PS. Nada de novo. Interessante também é verificar o regresso da máquina de propaganda da direita a estes temas, depois de um silêncio ensurdecedor de quatro anos. Já tínhamos saudades deles. [Read more…]

Literally reality show

Para muito boa gente que por ai anda. Uns emigram, outros desenrascam-se, alguns têm sorte e poucos conseguem furar o sistema e sobem alto de forma honesta. Há também um conjunto significativo que tem tachos. Tachos que crescem e se multiplicam, pirâmide acima, pirâmide abaixo. Tachos sem cortes, reestruturações ou limites orçamentais. Tachos imunes à austeridade. Tachos que como baratas sobrevivem ao cataclismo nuclear da crise. Tantos tachos que fica difícil saber quantos são. Sabemos apenas quem os paga. Que fáceis que somos.

#somostodosboys

tacho

A propósito do polémico arremesso da banana contra o futebolista do Barcelona Dani Alves, que não só reagiu com elevação como a situação em si acabou por desencadear uma enorme onda de apoio, que inclusive já se estendeu a casos semelhantes como aquele relatado hoje por Nélson Évora na discoteca Urban Beach (onde o grupo no qual se inseria foi barrado à entrada por aparentemente ter “demasiados pretos”, apesar de terem mesas reservadas), ocorreu-me um pensamento curioso.

[Read more…]

Um filho nos exames e nas análises

Acho que sonhei ou antes, acho que tive um pesadelo.

Havia um tipo que iria para deputado, mas infelizmente uma empresa internacional precisava de algumas lanças nos corredores do poder. Vai daí, troca-se o anterior candidato e avança o filho do que manda. Uns tempos depois, já no poder, essa empresa começa a tomar conta do mercado graças a legislação elaborada com o dedo do filho.

E o que é que isto tem a ver com a escolha de um candidato? Nada.

Deve ter sido mesmo um pesadelo.

Cada vez soa mais a governo à beira da demissão

O descaramento nas nomeações continua. Um claro assegurar tachos aos amigos.

Menos e melhor estado…

…dizem eles.

Pois…

E se fossem à merda?

Manuel Pinho sugere novo Bloco Central

RobalosDepois de ter saído do BES para ser ministro e de ter saído de ministro para ir dar umas aulas nos states, pagas pela EDP, Manuel Pinho sugere que ele merece continuar a ter emprego. Depois há quem se irrite por causa de certos desagrados.

E armado em Frei Tomás, Pinho falou numa “crise moral muitíssimo maior do que a crise económica.” Não faço ideia do que é que ele estará a falar.  É que não estou mesmo a ver.

Mas estou com ele quando brama que “agora parece que o governo fez tudo mal, parece que o PS fez tudo mal”. É um exagero. Tirando aquela coisa da banca rota, dos ajustes directos, das PPP, das SCUT, da desavaliação docente, do fecho de centros de saúde, dos cortes das pensões e dos subsídios de emprego, do desemprego record e da fachada Novas Oportunidades, nada há a pontar a este brilhante governante que, pelas próprias palavras, afirmou ainda estar para nascer um primeiro-ministro que mais tenha feito pelo défice.

Enxamear a Administração Pública

enxamear a administração pública

“Não vamos para o Governo para enxamear a Administração Pública de quadros do PSD e não vamos meter nos gabinetes dos ministros e dos secretários de Estado um exército de gente que constitua administração paralela àquela que já existe no Estado”, Passos Coelho, citado pelo jornal i

Arranja-me um emprego no estado, se for preciso inscrevo-me no partido

Posso ir à pesca, estar na praia, conviver com turistas nas esplanadas, passear por estradas secundárias e principais, fazer pic-nics se estiver bom tempo. Em alternativa também posso jogar golfe.