porto ignorado pelo Deus Mercado!

Oi,

eu aqui venho defender a causa prismática de um Benfiquista tripeiro. Sou de esquerda e no sentido mais nobre (ESPERO EU) da palavra sou também intelectual e de esquerda. Gosto de futebol, ou seja, só defeitos.

O que leva então o país a ignorar os feitos do Porto e hiper-valorizar, por exemplo, qualquer facto relacionado com o BENFICA?

Os ferrari que circulam por Gaia

Os ferrari que circulam por Gaia

O mercado, sempre o DEUS mercado. É essa a minha leitura.
Como consumidor de informação e hoje a informação está também transformada num produto, compro produtos sobre o BENFICA e nunca compro nada sobre o porto. E creio que os valores de venda e de publicidade ano após ano mostram isso mesmo e, só por isso, se pode compreender a relativa indiferença que o país, de facto, mostra perante as vitórias do porto.
Obviamente, acredito, há também aqui alguma habituação ao ganhar – quer dos media, quer dos próprios adeptos e adversários. Até parece que não é notícia o porto ganhar o campeonato. É como a história do homem que morde o cão.

Numa segunda dimensão penso que seria interessante, até na sequência de posts anteriores que se fizesse alguma reflexão sobre a forma como o porto comunica em tempos de vitória. Mais adeptos, mas sempre jogadores, corpo técnico e claro, sua eminência, traduzem em vocabulário agressivo perante outros a motivação das suas práticas.
Ganham porque os outros os criticaram, porque os trataram mal, porque são uns coitadinhos, etc… Ganham sempre contra alguma coisa, se calhar contra os moinhos de vento.
Mas, tal como o Mourinho se atira para a frente das balas para defender os jogadores, creio que a marca porto só faz sentido nesta existência quase provinciana de quem está sempre contra o que vem da capital, a velha história “Lisboa a arder”.

E, meus caros PORTISTAS AVENTADORES, o insucesso do porto nos últimos 30 anos é mesmo esse – nunca conseguiu ser um clube que ganha porque sim. Ganha porque os outros e tal…
O melhor exemplo disso foi o dia em que o BENFICA, sem eu saber, em 2003, creio, ganhou uma taça uefa em Sevilha. Sim, o BENFICA.
É que ao entrar no estádio para festeja com os seus adeptos, o que se ouvia aqui no Porto era SLB, SLB, filhos da puta SLB! Aí percebi a grandeza de uns e o menor tamanho de outros.

Num terceiro aspecto a considerar, creio que no post do José Freitas fica clara a relação directa entre o isolamento de uma região e a forma, a meu ver, menor, como se vivem as vitórias do porto. Parece que o resto do mundo se uniu para nos tramar, como se pode ouvir na canção, mas de facto, o que aconteceu, foi que o Norte e também o Porto (região, cidade) não conseguiram, nos últimos vinte anos mostrar a sua força, que, se calhar, até não tem. Os nossos políticos são claramente dos piores que temos tido – Valentim e Fernando Gomes só para citar alguns e com um umbigo enorme, o norte vai continuar a viver das vitórias de um clube que teima em não crescer para lá da sua dimensão.

Estou a ser mauzinho e vou levar nas orelhas dos meus caros aventores, mas entendam este post como o post de um vermelho que não consegue perceber o que pode o seu clube fazer para ganhar!

Termino com os votos dos meus mais sinceros parabéns pelo Tetra!
JP

Comments


  1. O FCP não é só Pinto da Costa (eu nem sou grande adepto do estilo embora reconheça alguma eficácia). É bem mais que isso. Tal como, felizmente, o Benfica não é Filipe Vieira. É sabido que as claques organizadas dos clubes não são flor que se cheire. É verdade que o mercado do Benfica é maior que o mercado do FCP mas já o mesmo não se passa com o Sporting e o FCP surge sempre em minoria mesmo em relação aos “leões”. Há algo de estranho nisto, não há?Alguns querem “Lisboa a arder” e entoam cânticos contra outras colectividades? Tenho pena. Preferia que não fosse assim. A maioria dos portistas, penso, é desta opinião. Porque é que o Benfica não ganha? Não sei mas, confesso, prefiro que continue assim, desde que seja o FCP a ganhar. São as consequências do estranho amor clubístico.

  2. Luis Moreira says:

    José, é claro que sim, e não são só os portistas.Eu e as minhas estórias.Há uma fila de cadeiras no Alvalade comprada por um grupo de sportinguistas amigos.Um zangou-se por causa de uma namorada (cherchez la femme…) e deixou a cadeira.Os outros não querem lá ninguem desconhecido, ofereceram-me o lugar.Eu não sou sporting.Não é que os meus amigos (médicos,coroneis,gestores,)mal o jogo começa se transformam em arruaceiros da pior espécie e eu, enquanto não percebi aquilo, estive várias vezes para ficar sem cadeira? Só porque dizia que o árbitro tinha estado bem e não tinha sido penalti?Olhar para o futebol como uma industria que arrasta muito dinheiro,dá porches como bem diz o João Paulo!Taças? São todas de lata! O que fica disto tudo é o bocadinho que o Fernando passou com a sua menina!


  3. O jogo é para andar ao pontapé e as claques são para andar ao soco. O futebol é isto mesmo. Por isso é que se leva as caneleiras para jogar e a “soqueira” escondida na meia para assistir. Quem não gostar vai ter que se dedicar ao badminton. Ou a esse desporto apaixonante que é o críquete.


  4. Ora aqui está uma discussão “aventadora”. Volto mais tarde.

  5. Luis Moreira says:

    João Paulo Silva, mas volte que isto está a ir ao sítio…

Trackbacks


  1. […] Publicado a 29/04/2012 por João Paulo O FCP ganhou outra vez. Recordo um post escrito há três anos, nos primeiros tempos do […]

Deixar uma resposta