Professores de volta no mês de MAIO!

Não há duas sem três, vamos encher Lisboa outra vez” (in destaque www.spn.pt)

A segunda MEGA-manifestação de Professores em Lisboa

A segunda MEGA-manifestação de Professores em Lisboa

A 5 de Outubro de 2006 os Professores portugueses fizeram a primeira grande manifestação em Lisboa. Quase esquecida, essa manifestação trouxe para as ruas da capital mais de vinte mil docentes. Foi o primeiro grande momento depois da greve ilegalmente anulada no verão anterior.
As iniciativas do Governo, principalmente da Srª Ministra e dos seus secretários, foram conduzindo as coisas de modo a tornar a questão entre os professores, como uma questão de dignidade, muito mais do que profissional.
A 12 de Fevereiro de 2008 os Professores do Norte juntaram-se no cinema Batalha (Porto) e deram o arranque para o maior movimento social que o país alguma vez viveu – na dimensão das nossas escolas, assistimos ao “nosso” 25 de Abril.

A 8 de Março de 2008, dia Internacional da Mulher tivemos 100 000 professores na rua.

Muitos julgavam impossível isto voltar a acontecer, mas aconteceu: 8 de Novembro de 2008!

Pois bem, o Sr. Secretário de Estado, desta vez o sr. lemos, vem argumentar que a FENPROF só vai para a rua agora em Maio porque tem candidatos nas listas às eleições europeias.
Sendo isto verdade – há dirigentes da FENPROF nas listas às europeias, como eu já aqui escrevi – é completamente falso que seja isso que move os professores.
E a prova está neste post onde pretendi mostrar que o movimento dos professores é muito mais do que uma questão partidária e tem sido constante nos últimos anos.
Vamos voltar agora, sabem porquê? (continua)

Comments


  1. […] Desde 2006, os Professores Portugueses têm vindo a travar uma autêntica “guerra” com o Ministério da Educação e o Governo, nomeadamente nas pessoas da Srª Ministra da Educação e do Sr. Primeiro-Ministro. Ela independente nos comícios do PS, ele dependente e sempre ausente do país real, mas presente nos comícios do PS, mas como secretário-geral em mangas de camisa e a suar muito. […]

Deixar uma resposta