"Sexo entre casal de cadáveres causa escândalo"

Isto a propósito do post com o título “Preservativos e sexo anal nas escolas secundárias”. Que excelente título. E que polémica. Menores de idade, sexo anal e escolas secundárias? Escândalo! No entanto, acho que este título do JN é ainda mais escandaloso.
Para surpresa minha até é mesmo verdade! Mais uma vez, o anatomista louco Gunther von Hagens está a provocar escândalo. Desta vez, expôs um casal de cadáveres plasticizados em pleno acto sexual. A “escultura anatómica” chama-se “Acto Suspenso”.
Já conheço esta personagem de ar tresloucado há alguns anos. Houve uma altura até em que pensei ir até Berlim para ver a exposição. Queria perceber por mim, in loco, se esta exposição estava errada ou correcta. Ainda não a consegui ver. Entretanto já apareceram outras exposições anatómicas do género e o celeuma esmoreceu. Não admira que a exposição original (Koerperwelten – Mundos dos Corpos) tenha que puxar dos galões e escandalizar novamente.
Pelos vistos, “políticos e dignatários eclesiásticos (o que será isto?) exigiram que o “Doutor Morte”, retire os cadáveres da mostra, considerando “indecente e imoral” colocar corpos sem vida em tal pose.” Mas se for noutra pose não-sexual, já pode!?
Os responsáveis das duas principais igrejas alemãs, a Católica e a Protestante, pediram “a proibição de mostras públicas de cadáveres, que consideram atentatória da dignidade humana, ainda para mais se for para fins lucrativos.” Daqui eu entendo que se eu quiser ver um cadáver numa posição estranha tenho de estar sozinho com ele na sala e não devo pagar nada por isso.
Curiosamente, eu já visitei a secção de anatomia patológica do Instituto Abel Salazar. O ano passado tentei novamente, mas foi-me negada a entrada. Apenas os alunos podem visitar um excelente espólio que está para ali escondido. Mas qual é o problema desta gente? Acham que vou ficar traumatizado por ver o interior do corpo humano? Por ver um rim? Um pénis? Sinceramente! Devo parecer um miúdo para esta gente!
Eu penso sempre que já se atingiu o limite. Mas aparentemente não. Nota-se que cada vez é mais difícil, mas parece haver sempre um maluquinho qualquer que consegue surpreender os restantes com “uma boa polémica”. Mais difícil ainda, é definir o que é aceitável ou inaceitável. Expor cadáveres com propósitos científicos de mostrar a anatomia é aceitável? Não? E se forem de plástico, já será? E se for para o desenvolvimento da anatomia? O que será o inaceitável? O que é isto do tabu? Para mim, o tabu é apenas falta de acessibilidade a um assunto. Por exemplo, pornografia e sexo anal. Basta mencionar estas palavras e alguém do outro lado da sala começa logo a corar. A pornografia é um tabu porque não está acessível. Se a pornografia estivesse acessível da mesma forma como uma telenovela ou um jornal gratuito não seria um tabu. Nem seria nada de especial. Seria como uma opinião qualquer. É a velha questão da bicicleta, “ficas na tua e eu fico na minha”.
Todos os dias somos confrontados com a menina meia descascada que apresenta os programas de diversão da noite, com a apresentadora toda gira e decotada, com as alusões sexuais dos anúncios na comunicação, em que para vender um sumo tem de aparecer uma boazona quase a ficar nua, ou em que uma pequena rapariga de biquini rarefeito bebe cerveja “até à última gota”,  ou em que cornflakes são misturados com morangos, natas e uma esbelta top-model pelo meio. Sexo, sexo, sexo e mais sexo. E pornografia?
O sexo é implicitamente impingindo, mas a pornografia é negada! Porquê? Porque é tabu!
Com quem é que falamos sobre pornografia? Ninguém. Mas sobre sexo falamos de certeza. Até há programas sobre sexo, com mulheres a avaliarem diferentes tipos de dildos!!
Se depois de todos estes estímulos eu quiser aceder a uma boa pornografia… fico-me pelos estímulos, porque pornografia quase só imaginando-a. “It´s all in your mind”. Apesar de parecer que está aí em todo lado, não está. A TV não emite. A TV por cabo só emite em canais codificados. Na imprensa é praticamente inexistente. Em livros nem nunca ouvi falar. Resta o bafiento video-clube com os filmes ainda nas amarelecidas “micas” de plástico dos anos 80. Mas dizem-me que os filmes agora são melhores… porque vêm com extras. É o que dizem…
Claro que depois existe a Internet, o verdadeiro cyber-mundo pornográfico. Mas dá cabo do computador todo. Vírus, worms e outras coisas exclusivas da net, invadem-nos o computador mesmo que nem se queira. Às vezes ligo o computador e ele sozinho até se inscreve em sites XXX. A Internet lá vai quebrando o velho tabu da pornografia. Este problema da (pouca) acessibilidade da pornografia e do seu respectivo tabu tem de ser comparado a um outro semelhante: o sexo anal. Como raramente se ouve/se fala/se vê/se faz, é sempre o mais proibido o mais desejado… Acessibilidade… É o que faz quebrar os tabus…
Tabus? Ainda existem tabus? Acho que não. Já nada faz eco hoje em dia. Já nada choca. Mas isso também não interessa para nada, porque estão sempre a aparecer uns tabus diferentes para apreciar.
O que me interessa é isto: quando é que se tem a oportunidade única de juntar cadáveres, sexo anal, o Albino Almeida e a Ministra da Educação em apenas 2 posts deste blog? Isto é que é polémica! Não consegui resistir.

Comments

  1. Adalberto Mar says:

    SE EU ANDAVA COM OBSTIPAÇÃO, E JÁ PASSOU, PARECE QUE ESTE BLOG DE REPENTE DESOBSTIPOU-SE TOTALMENTE E SÓ FALA DE SEXO,,DASSSS!! E EU A PENSAR QUE ERA O ÚNICO QUE ESTAVA DOENTE!

  2. Ricardo Santos Pinto says:

    Desculpa lá, ó Isac. Associar a Ministra a um cadáver é algo com que convivo com, digamos, um sorriso. Agora, associar a mesma criatura ao sexo anal penso que já é demais para aquilo que eu posso aguentar.

  3. Luis Moreira says:

    Isac, há uma frase do Vírgilio Ferreira que me ajudou muito quanto ao sexo e a estas coisas “cada vez mais ousadas. “O desejo é a sua ausência!” Quando possuíres passa a ganãncia, por isso vai-se sempre mais longe.É como os nossos capitalistas.Nada lhes chega!

  4. celia regina says:

    eu quero ver cadaver,porque eu sou muito curiosa!


  5. Mas vocês são horríveis, vieram agora lembrar-me neste post da crise horrivel por eu nao conseguir c…r nesses dias d e maio..VOCÊS SÃO MESMO PESTES!!Sinceramente são piores que a Ministra

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.