Investimento Sócrates: 4 estádios às moscas

Investir sem parar em obras públicas é o remédio de Sócrates para a crise!
Em quê? Não interessa! Em tudo! De todos os quadrantes, incluindo dos empresários, clamam vozes avisadas que neste quadro frágil e, principalmente, incerto, ninguém sabe o que aí vem, a prudência é o caminho a seguir. Obras de proximidade, recuperação de escolas, hospitais, lares, centro das cidades, renovação das redes de distribuição de água e electricidade, ampliação da rede de distribuição do gás. Melhorar o ambiente, as praias, os acessos às áreas de lazer, facilitar o turismo, o Patrimónimo Histórico que está a apodrecer…
Não, o homem quer obras megalónomas, que depois de lançadas já não andam para trás, que ninguém controla, onde o risco é medonho e a irresponsabilidade um crime! Obras que importam do estrangeiro grande parte do Know How e dos equipamentos, que nos próximos dois anos não têm nenhum efeito no emprego. Não, o homem quer grandes obras!
Obstinado, este mesmo Sócrates já esqueceu que foi por não ouvir ninguém que se deitaram para o lixo 200 milhões de Euros em quatro estádios que todos sabiam não serem necessários: Estádio do Algarve, Leiria, Coimbra e Aveiro. Não só não têm espectadores como as próprias Câmaras não têm capacidade financeira para suportar a sua manutenção. Fez-se um Europeu de Futebol na Holanda e na Bélgica e cada um dos países construiu dois estádios!
Se este homem fosse chamado à responsabilidade deste enorme prejuízo, talvez fosse mais humilde e não cavasse a nossa sepultura! E comparasse o que se faz naqueles dois países para perceber uma série de coisas! A responsabilidade na alocação dos dinheiros públicos, a rentabilidade dos projectos e, porque é que eles são ricos e nós cada vez mais pobres!

Comments


  1. Sócrates não foi o responsável por se construírem os estádios-deserto do Euro. Foi um misto de asneira de outro Governo, uns senhores irresponsáveis na FPF, autarcas gananciosos e mais papistas que o Papa e dirigentes de clubes com a mania das grandezas.


  2. E qual era o Governo? Engraçado, que lembro-me dele a festejar, AO LADO DE CARLOS CRUZ, a vitória da nossa candidatura.

  3. Luis Moreira says:

    Então não era o Sócrates o Secretário de Estado dos Desporto e Ambiente? Era ele ,sim! Claro que isto nunca é culpa de um só, mas se ao menos aprendessem…

  4. Luis Moreira says:

    Se bem me lembro era o Socrates o secretário de Estado do desporto e Ambiente…Na Holanda e na Belgica 4 estádios novos, 2 cada país!Não há comparação com a transparência e o respeito pelos dinheiros públicos!No Algarve fazem lá dois jogo por ano.Em Leiria assistem aos jogos cerca de duzentas pessoas e em Aveiro um pouco mais!Os estádios têm uma lotação de 30 000 lugares.Se isto não são negociatas???

  5. João Paulo says:

    E no Bessa?

  6. Luis Moreira says:

    Eu julguei que no Bessa a massa ficou aí por cima e que resultou da venda de terrenos,compra, torna a vender…

Trackbacks


  1. […] por causa de irresponsabilidades como o buraco BPN, por causa do despejar de dinheiro a rodos para obras públicas sem a menor preocupação de onde virá ele, chegámos a um ponto em o país está completamente […]

Deixar uma resposta