Anjos do norte

Nunca se sabe que aspecto esperar de um enviado dos deuses. Alguns contam com uma criatura seráfica, de sorriso bondoso e olhar brilhante, levemente humedecido. Outros imaginarão um neo-hippie, cabeludo e de casaco de malha. E outros haverá ainda que pensarão num guru bem-falante, todo janota, com ar de sonso e conversa de charlatão, uma versão doméstica do senhor Paulo Coelho.

Mas eu sou tripeira, estou habituada a gente de fala grossa, e sei que os enviados dos deuses nem sempre são o que deles se espera. Vem isto a propósito de uma conversa próxima do delírio que tive há dias com um amigo, e na qual eu lhe dizia, admito que apenas pelo prazer indecente de provocá-lo, que imaginava que, a haver anjos da guarda, o meu seria um cromo portuense, com pronúncia do norte, que resmungaria de cada pedido que eu lhe fizesse, mas não deixaria de atender-me com aquela generosidade rezingona das gentes de cá de cima. Ele riu, mas não ficou convencido. O que ele não sabe é que eu tenho provas do que estou a dizer.

Há uns anos, estava eu a caminho do trabalho, atrasada como sempre, subia uma rua no centro do Porto a passo de corrida, quando me deparei com uma rapariga vagarosa, que caminhava à minha frente com uma lentidão exasperante. Como o passeio era estreito, olhei para trás, para a faixa de rodagem, para ver se podia descer e assim ultrapassá-la. Passava um carro, esperei um instante, desci, apressei o passo, retomei o passeio, deixando-a para trás. E então, a uns escassos dois ou três metros à minha frente, caiu um pedregulho enorme, ainda com dois pedaços de telha agarrados, vindo do cimo de um edifício decrépito. Fez-se um silêncio aterrador à nossa volta quando a pedra se estatelou no chão e se fragmentou em inúmeros pedaços pontiagudos. Atrás de mim, ouviu-se o vozeirão da rapariga indolente: “Foooodaaa-sse…”

Assim, mesmo, com uma cadência sonolenta, porque nela até um susto se processava ao retardador. Não sei se ela se deu conta, mas salvou-me a vida. Não estivesse ela a enlentecer-me o passo e eu não estaria aqui a contar a história. Poderia ela ter aproveitado a solenidade do momento e proferido um já batido “hoje é o primeiro dia do resto da tua vida” ou um cristianorro “foi-te dada uma nova oportunidade, aproveita-a, minha filha” ou um literário “Carpe Diem”.

Mas não, o meu anjo pessoal, nortenho, bonacheirão, abençoou-me com a sua particular graça e continuou a subir a rua com aquele passo pesado, as ancas largas e o linguajar apimentado.

Comments


  1. Há anjos da guarda para todos os tipos. Há quem jure que o respectivo está sempre ali, à mão de semear, para o que der e vier. A maior parte deles, imagina-o com o aspecto de um impávido querubim. Outros devem ser como o “Michael” de Travolta. Essa era claramente do Porto. E genuína.

  2. Luis Moreira says:

    É muito interessante o texto,porque na verdade nós todos dependemos de tantas coisas que milagre é cada um de nós ser como é.

  3. maria monteiro says:

    O Anjo da Guarda é uma “figura” que nos aparece logo na nossa infância. Ainda me lembro: “Anjo da Guarda/minha companhia/guarda a minha alma/de noite e de dia.” De certa forma representava um sinal de protecção e/ou companhia, aquele conforto que enquanto crianças nos levava a ter menos medo dos nossos medos.yes / oui / ja / ga Sim, que eu estava com ele no pensamento, no coração, que mais logo o iria buscar para irmos para casa. Sempre que se sentia mais triste, sozinho,… era só pensar nas palavrinhas mágicas que eu, no meu trabalho, iria saber da sua tristeza… (código mágico que estabeleci com o meu filho quando aos 3anos o deixei na escola pela primeira vez).À medida que vamos crescendo, os anjos da guarda começam a identificar-se com todos aqueles que nos rodeiam e também connosco próprios.

  4. nacomaula says:

    vo cojer tengo unas fotos de un accidente que paso a una mujer porque comio targo

  5. ahijuna says:

    chei jues hienas brasileiron soretes voi a cojer sus mamiñas mangas do putas ronaldiño negro dientudiño y fieriño jui jui jui saludos a cachenga y al oreja cortada a tornatore y chirizola que roban y cortan camiones en gualeguay

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.