Votar! Um direito com dentes de leite

O cabeça-de-lista às eleições europeias pelo BE veio hoje defender, numa acção de campanha, o voto a partir dos 16 anos. Numa escola profissional, em Salvaterra de Magos, a jogar em casa, Miguel Portas aproveitou a audiência que estava a jeito e apresentou a sua grande e mobilizadora proposta para os jovens.

Com demagogia em doses eleitoralistas, atirou ao alvo: “Se aos 16 anos um jovem já tem idade para trabalhar porque não há-de ter idade para votar?”. Se o grande argumento é este, parece-me pobre. Sempre se podia defender o voto aos seis ou sete anos. “Se aos seis ou sete ano já não tem dentes de leite, porque não há-de ter idade para votar?”. O meu exemplo é parvo? Reconheço que sim. Mas se me dão licença já lá vou.

Miguel Portas resolveu acrescentar mais um ponto às suas razões, desvalorizando o argumento do “é muito novo e pode não saber”. Depois veio o clímax: “E os adultos, sabem?”. Pois, não sei caro Miguel. Não sei se os adultos sabem ou não votar. E se eles, os adultos, colocarem uma cruzinha no partido da estrela vermelha? Será que eles sabem votar?

P.S. Miguel Portas poderia ter feito bem em abrir este debate, usou foi um atalho pouco sensato. Já agora, porque não esperar para ver quantos eleitores até aos, vá lá, 30 anos irão às urnas nestas eleições.

Comments


  1. José, não percebo a “demagogia” que vês nas palavras do Miguel Portas. Não vejo nenhum atalho. Se aos 16 anos o Estado prevê que um jovem possa iniciar actividade profissional, porque não prever que esse mesmo jovem vote? Se o Estado acha que um jovem de 16 anos possa ter a responsabilidade de iniciar actividade económica porque não votar?O segundo argumento que tanto te impressiona pela negativa é apenas um teaser para colocar em causa a pretensa imaturidade democrática de um jovem de 16 anos.Não acho que tenha usado de um “atalho pouco sensato” e tal como tu felicito-o de ter iniciado o debate.


  2. Admito que a palavra demagogia seja forte demais, embora Miguel Portas tenha utilizado um palco adequado para uma mensagem que, eventualmente, mereceria outra perspectiva e outro cenário para ser levada a sério. Admito, como hipótese de debate, que os jovens possam votar a partir dos 16 anos mas confesso que tenho dúvidas que estejam preparados, em consciência, para essa tarefa. Se estão aos 18? Também não sei, admito. Mas essa é, em Portugal, a meta em que se atinge a maioridade Não me custará rever esta posição se obtiver elementos válidos que comprovem a validade da ideia.Já agora, se assim é, porque não poder tirar a carta de condução a partir dessa idade? Casar, conduzir, trabalhar e votar a partir dos 16.


  3. eu acho que votar aos 16 poderia ser interessante na medida em que era um pretexto para se falar mais nas escolas sobre a politica, as nossas instituições e como as podemos influenciar.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.