Em que estás a pensar?

Desde que abri uma conta no Facebook (FB) tendo aprofundado a suspeita de que vivemos vidas de fachada. Para quem não conhece, o FB transmite a cada uma das pessoas que compõem a nossa rede de amigos informação sobre as nossas actividades, mostra-lhes as fotos que colocamos online, as ligações para videos do youtube, conta os resultados dos testes tipo revista Maria que pululam por lá, das frases que se escrevem em resposta à pergunta central que o FB faz a cada um dos inscritos: “Em que estás a pensar?”.

Que essa seja a pergunta isco, aquela com que o FB espicaça os seus utilizadores, já não augura nada de bom, claro. Há perguntas demasiado perigosas e essa é uma delas. Tomem como exemplo o meu amigo A. (as letras são completamente aleatórias, claro). O A. é um artista, um homem de sensibilidade e talento, cujas noites, pensava eu, se consumiam numa boémia criativa onde não faltariam álcool, mulheres, poetas malditos, nuvens de fumo…

Mas quando ligo o FB e recebo a lista das suas actividades recentes, descubro que ele passa essas noites a ver videoclips dos anos 80, que busca, em sucessivos testes, a resposta a perguntas como “quem eras noutra vida?” e “de que cor é a tua aura?” e que, nas raras noites em que parece sair de casa, anuncia-o três dias antes em parangonas “Vai ser de arromba!!!”

Não é o único a surpreender-me, claro. A B. é uma mulher de muitas qualidades, solteira, atraente, profissionalmente bem sucedida, mas que, por ainda não ter encontrado o parceiro amoroso com que sonha, dá como resposta ao tal “em que estás a pensar?” confissões acerca do homem ideal, dos desencontros das suas relações amorosas, e até declarações explícitas que fazem corar de vergonha alheia.

E que dizer do C., que descreve cada uma das suas comezinhas actividades diárias com o detalhe de um maníaco? E fotografa a comida antes de tocar no prato para poder publicar uma imagem do seu jantar?

Uma atrás de outra, abrem-se janelas para um desamparo que por vezes é ridículo, mas nem por isso menos pungente. O que nos leva a contar o inconfessável, quando, na solidão das nossas casas, o único elo de ligação com o mundo é um teclado e no monitor se acende esse aguilhão. “Em que estás a pensar? Em que estás a pensar? Em que estás a pensar?”

Aliciaram-me com o argumento de que o FB seria uma ferramenta que me permitiria manter o contacto com os amigos geograficamente distantes, ou estabelecer contacto com pessoas com quem dificilmente me cruzaria de outro modo, mas quer-me parecer que o FB é muito mais do que isso. É uma janela para a solidão alheia. Eu que o diga, naquelas madrugadas em que me ponho à procura de videos da Nina Simone.

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Solidão, Carla, solidão!

  2. dalby says:

    SOBRE ISTO TENHO A DIZER O SEGUINTE:DURANTE ANOS, DÉCADAS, RECUSEI O COMPUTADOR, ESCREVENDO A TINTA E OUVINDO O OCEANO PACÍFICO..GRAVANDO CASSETES E ENVIANDO DEDICATÓRIAS COM AS MÚSICAS ÀS PESSOAS, QUANDO ACABAVA GARNDES AMORES, E DEPOIS D EPASSAR UMA VIDA INTEIRA TENDO A CASA CHEIA DE GENTE, FESTAS, DROGAS(QUE NAO AS CONSUMIA NEM CONSUMO) GRAVANDO A MINHA PRÓPRIA VOZ NAS DEDICATÓRIAS E PALAVRAS. ADORAVA ESCREVER MAS NAO QUERIA ESCREVER LIVROS POIS ENTRETINHA-ME A VIVER E A SOFRER VIVENDO! E SAÍA. O MESTRADO, EM 1998, OBRIGOU-ME A COMPRAR UM COMPUTADOR E A INTERNET QUE RECUSAVA ENTROU NA MINHA VIDA.DE SEGUIDA, ODIAVA O MSG E AS CÂMARAS, E OS FILMES, E RECUSAVA A IDEIA DE MARCAR SEXO, VIA EMAIL OU SITES CHATS ERAM UM ODOR A HORROR HUMANO PARA MIM!, OU SITES, E NUNCA SONHARIA QUE UMA DAS PAIXÕES DA MINHA VIDA , QUE ME LEVARIA QUASE À LOUCURA, AO SUICIDIO E AO RISCO DE PODER TER APANHADO UMA DOENÇA COM LETRA ‘D’ SE NÃO TIVESSE TIDO SORTE COM A PESSOA QUE ME CALHOU, PODERIA TER VINDO DO RESULTADO DE UMA MSG DE UM SITE… E ENGOLI ESSA QUE FOI A MAIS DURA DE ENGOLIR POR PARTE DE UM FUNDAMENTALISTA ANTI-NET A PRÓ VIDA ACTIVA, NATURAL E ALIVE!AINDA NÃO TINHA RECUPERADO DISSO, E ALGUÉM DEIXA A SUA VIDA, FAMÍLIA, AMIGOS , AMIGAS, TRABALHO, TUDO, O SEU LONGINQUO PAÍS E VEM VIVER COMIGO! MAIS UM AVEZ ENGOLI A MINHA CRUZADA ANTI NET E A FAVOR DA VIDA ACTIVA DOS ROMANCES ALIVE…TODA A GENTE ME PEDIA UM BLOG, E EU ALÉM DE NEM QUERER SABER O QUE ISSO ERA, RECUSAVA E ACHAVA RIDÍCULO E NÃO QUERIA, NÃO LIGAVA, NEM SABIA COMO FUNCIONAVA UM BLOG ATÉ AO DIA 2 D EMAIO DESTE MES QUE ACABOU, MESMO QUE O JP TIVESSE ANTES CRIADO UM ..QUE EU NEM SABIA ENTRAR..E COM UM EMPURRÃO VIM PARAR ..NESTE..A CLAUDIA FALA-ME DE FACEBOOK E EU ODEIO NOVAMENTE TUDO ISTO….A IRONIA É QUE COM TODA A MINHA AÚREA SELVAGEM, E JÁ PERGUNTEI AO MEU PSICANANALISTA (UM DOS MUITOS QUE A ADSE ME DEIXA TER PELOS HOSPITAIS FORA DO NORTE E CENTRO DO PAÍS) PERGUNTO SE «É NORMAL ARRANJAR AS PESSOAS MAIS INCRÍVEIS, BELAS, SENSUAIS E INTERESSANTES NA NET, QUE PASSARAM JÁ PELA MINHA VIDA, QUANDO SOU UM ACÉRRIMO DEFENSOR DA NATUREZA E DOS BOSQUES, DUNAS, PRAIAS DESERTAS E CONTACTO HUMANO..É SIGNA!!ELE DIZ-ME QUE O AMOR VENCE BARREIRAS..E QUE EU ME DEIXE IR!!…MAS CARLA, VOU AGUENTAR E RESISTIR MAIS UNS MESES AO FACE BOOK, COMO RESISTI À INTERNET, AO TELEMÓVEL À MAQUINA DE ESCREVER,……DALBY

  3. dalby says:

    NAO NAO É SOLIDAO….É COMODISMO..EUTENHO UMA PESSOA COMIGO 24H OU MELHOR 35!!! MAS ISTO É COMO «UM APERITIVO ON THE ROCKS BABY» JUST A MARTINI ROSSATO ON THE ROCKS,,,PARA NÃO SER SEMPRE TUDO ALIVE!!!JÁ AGORA OUVE ESTA..UM SONHO:http://www.youtube.com/watch?v=kWtLK7XP-Bk


  4. E há, em todo o mundo, centenas de milhões (!) de contas do Facebook. E Mark Zuckerberg, criador do site, é hoje, com 24 anos, multimilionário. Já não deve estar sozinho muitas vezes.

  5. dalby says:

    Expliquei-me mal…acima o que considero um martini on the rocks é os blogs, os facebooks, net etc…e não quem comigo vive 24 h!!!Considero os sites, blogs, chats ser um «martini on the rocks» e não solidão! Pelo menos para mim …Mas têm de ouvir o que o Luis Laroca Mil Paxaxas pensa!


  6. Acho o facebook bom para o propósito com o qual a Carla foi aliciada. É, alias, para isso que o utilizo.Tudo o resto, ou seja, as parvoíces dos Quiz e demais aplicações externas não passam disso mesmo… de parvoíces.Quanto ao “Em que estás a pensar?” gosto pouco que me invadam a mente!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.