Boche é brom *

* Ary dos Santos

Sempre que se fala em procriar a reacção é como se isso nada tivesse a ver com ” fazer sexo “. Mas a verdade é que procriar é o resultado de ” fazer amor ” (expressão bem bonita!)
Se fazer sexo tivesse sempre que resultar numa criança, isto ficava superlotado, como se vê com os Chineses. Nada disso. É muito importante fazer sexo como diversão e prazer, factor de aproximação entre o homem e a mulher, e é muito melhor do que ir ao ginásio.
Pessoalmente deixa-me distendido, baixa-me a tensão arterial, durmo como um anjinho e desperta-me um carinho imenso pela parceira.
Dizer que o casamento é só para procriar nem se aguenta numas contas de somar e multiplicar. Fazer sexo três vezes por semana x 52 semanas dá 156 quecas . Como a mulher grávida durante nove meses, não torna a engravidar, temos que um filho por ano seria o resultado de tanta labuta.
Restariam, pois, 155 quecas só para o prazer . O que, convenhamos, é muita queca. Não se percebe assim, tanto escarcéu com a questão de procriar, como se impedisse o prazer sexual.
Outra coisa bem diferente são os casamentos entre homens e entre mulheres. Aí é sempre para a diversão, do que não vem mal nenhum ao mundo !
Mas não vindo mal nenhum pode ter resultados lixados, como este de sermos ultrapassados pelas comunidades mais profícuas! E, cá para mim, todos iriamos perder com isso, muito especialmente os nossos amigos gays , como se pode ver pelo texto do Adalberto aqui no aventar!
Se o r está a puxar por mim aqui fica a minha grande convicção, para que não hajam dúvidas.
Boche é brom!

Comments


  1. O «Bosh é brom», trocadilho com o famoso slogan «BOSH é bom», foi (segundo me dizem) inventado pelo O’ Neil.Tal como outro: «Com um Lusoespuma, nunca se dá só uma!»

  2. Luis Moreira says:

    Julguei ser o Ary que num concurso de publicidade para a Bosh inventou .Mas, enfim, nenhum deles me leva a mal,infelizmente.

  3. dalby says:

    Oh R, temos de contratar um J.M.VAZ, pois parece-me que temos aqui uns machitos a acocorarem-se todos, «amaricadamente», e isso é tão feio..aflitissimos , surreando à volta do flagelado fantasma, e envoltos em poesia a m2 para poderem dizer, (conseguirem dizer)…« O FILHO DA PUTA DUM BROCHE É BOM, FODA-SE, CARALHO!!!»!!!! ELES SUAM, ELES SOFREM, PARA PODEREM TESTICULAR uma frase que lhes saia por debaixo, «À HOMEM, SEM TEREM DE BRANQUEÁ-LA, NEM DE IREM BUSCAR O DEFUNTO DO ARY»!! Eles precisam fazer contas à minha sexualidade, ou reinventarem-na, ou mesmo inventarem, porque naquelas cabecinhas, a sublimação do desejo é fodida, porque não lhes sai sem repressão sublimada! E SAI ASNEIRA!CHEIRA-ME A ALGUMA VAIDADE VÁCUA E INVEJA DA SUPREMA LOUCURA E SELVAJARIA SEXUALIDADE HOMO, VERSUS A CONICE POEMATIZADA DOS 40’OES HETERO QUE , COMO DIZIA O PROVÉRVIO «NÃO MANDES ,VAI TU MESMO!»…O que eles precisam mesmo, desculpem o termo, é de uma em cima do nariz que o Ary passa logo a Tony Carreira!

  4. Luis Moreira says:

    Este trocadilho é famoso, é original e não tem nada de ordinário, diz o que diz!

  5. dalby says:

    POIS POIS JOTA PIMENTA!POIS POIS GRÃO A GRÃO ENCHE A GALINHA O PAPO!POIS POIS DEVAGAR SE VAI AO LONGE!

  6. maria monteiro says:

    “Este trocadilho é famoso, é original e não tem nada de ordinário, diz o que diz!” Pois meu caro LM, nem quero imaginar se tivesse alguma coisa de ordinário! Mande mensagem assim com uma marca ao canto para eu saber 🙂 Danke

  7. Luis Moreira says:

    Maria, dá margem à imaginação…:-)

  8. dalby says:

    NÃO NÃO…DE MODO ALGUM!!! AQUI O ORDINÁRIO SOU EU!!!! PARA ALGUÉM QUE ESTEJA DISTRAÍDO!!!

  9. dalby says:

    TERESA?- SIM MADAME—.TERESA..OLHAI OS LIRiOS DO CAMPO!!!-sim milady

  10. maria monteiro says:

    AhahahahahaaaaaaaaaaaNo livro”As palavras das cantigas” de Ary, Natalia Correia termina assim o prefácio « Qual então o verdadeiro Ary? O dilema é díficil, para os que, conhecendo-o mais como actor ricaço de uma pose de enfant enragé, do que como desesperado real até às fezes da tragédia infantil de todos os brinquedos quebrados, questionam: qual deles é o autêntico? O do lord que foi de Escócias de outras eras revividas em damascos, pratas e cristais ou o que, nos seus poemas, rasga o peito para mostrar um coração que sangra pelos infortúnios do mundo? A resposta que prontamente me acode é: os dois e ainda mais o sensualão dos cheiros lisboetas, o pária com sobretudo de gola de astracã, o rei-bobo guizalhando chalaças para ter como súbditos todos os aplausos do mundo, o sentimentalão social que se desnuda para dar a roupa aos pobres, o eterno amante sem amor, enchendo esse vazio com risadas que sabem a sangue. E tudo isto fundido numa infância agigantada que tirita de solidão pedindo agasalho nos seus versos»

  11. Luis Moreira says:

    A Natália era uma grande amiga dele, uma alma atormentada.

  12. dalby says:

    E eles que poderiam ter resolvido tudo no bosque de Mira-sul e nas dunas maravilhosas e na enorme praia sem fim com os mais belos corpos do mundo….tinham poupado tanto papel, pelo menos na poupança das árvores, e maior poesia do que aquela não haveria…oH Ary volta que estás perdoado!

  13. maria monteiro says:

    LM, costumo usar “alma atormentada” para definir o estado de espírito de alguns homens/mulheres da nossa escrituração passada.

Deixar uma resposta