Voto obrigatório ?

Lembro-me que há muitos anos o Prof Freitas do Amaral avançou com esta ideia. E lembro-me porque foi uma das viragens mais consistentes na orientação que passei a dar ao meu voto!
Em Freitas do Amaral nunca mais votei.E no CDS tambem não.
Agora Carlos César, lá da bruma que envolve a sua cabeça medíocre, vem com a mesma conversa. Sempre que percebem que o votante não está para os aturar a tentação é grande. Dentro de cada um de nós há um ditador, e os políticos têm uma tentação maior. E perigosa!
Como muitos já disseram, no dia em que o voto for obrigatório nunca mais voto. Não votar é uma manifestação de voto como as outras opções.De igual valor. Um homem um voto. Faço do meu voto o que bem entender.
Os cidadãos têm que estar conscientes que a tentação de lhes tirar a liberdade, nestas coisas que parecem pequenas, é o ínicio para tentações maiores.
Já temos aí o “chip” para os automóveis, uma medida gravíssima para a nossa privacidade!
Vou voltar a este negócio (para alguns) de nos querem tirar a privacidade!

Comments

  1. Snail says:

    Luís, o “chisp” para o automóvel deve ser o pézinho para o acelerador, porque o chispe só na panela, para o cozido à portuguesa. Claro que se o condutor for porco… nesse caso temos mesmo o “chisp” no carro.Não será antes o CHIP ???

  2. Luis Moreira says:

    Caro Snail, é isso , mas estou a ver se não sou apanhado pelo SIS.Não há nada como meter uns códigos para baralhar! Obrigado!

  3. Isac says:

    Se calhar até nem é má ideia! Que obriguem. Mas nunca o irão fazer sem fazerem primeiro uma “pequena” alteração… Que eu saiba, o voto em branco no caso de ser maioritário, obriga a novas eleições com listas totalmente novas. E eu imagino se nas próximas legislativas, o voto em branco ganha… isso é que era.

  4. maria monteiro says:

    Pois eu ainda me lembro de anular o voto com palavras “menos próprias”.Depois com a prisão do Otelo deixei pura e simplesmente de votar. Há uns anos fui a um comício de encerramento de campanha aqui no PAtlântico … e fez-se “luz vermelha” mas… para recomeçar a votar

Deixar uma resposta