Da campanha negra à do medo!

A campanha negra traduziu-se pelas suspeitas que foram lançadas sobre José Sócrates, no âmbito de processos que correm termos no Ministério Público.
Há muita coisa por explicar e a verdade é que esses processos contêm muita matéria directamente ligada a Sócrates, bem como a familiares, amigos e camaradas de partido.
Agora, pela mão do PS, vem aí a caminho a campanha do medo.
A ingovernabilidade!
Traduzido isto quer dizer que se não for o PS a formar governo, e com maioria absoluta, o país não encontrará forma de exercer a governação.
Esta ideia disparatada é, antes de tudo, antidemocrática. Porque a Democracia Parlamentar tem na sua essência a possibilidade de arranjos parlamentares, vários, para que a governação possa ser exercida com estabilidade.
A este governo não faltou estabilidade e, no entanto, o que verificamos é que é um fiasco total. A estabilidade não é um objectivo em si mesmo. Pelo contrário, o que verificamos é que os governos mais criativos e mais produtivos são os que exigem negociação.
Mas, mesmo que assim não fosse, é imperdoável que os dirigentes do PS, olhem para o eleitorado como um grupo de criancinhas a quem se mete medo, a quem se aponta o “papão” que está no quarto no fundo do corredor.
O que mete medo ao eleitorado, como ficou demonstrado nas recente eleições, é a prepotência de quem nada ouve, a campanha de propaganda nunca vista, que todos os dias promete céu e terra e a arrogância de quem julga que está acima da própria Lei, e da ética democrática.
Para já, ficou a vitória de gente insuspeita, que anda na política sem dar margem a campanhas negras e sem prometer campanhas negras.
Para quem gosta da democracia e do Estado de Direito é um avanço sem preço!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.