Memórias do Pintarroxo (II)


(continuação daqui)

«Devido ao mau tempo, só foi realizado este domingo o leilão das prendas oferecidas pela zona central, oferecendo um panorama lindíssimo o cortejo até à Igreja Paroquial, organizado pelos seus beneméritos. Em frente vinha a guarda avançada a cavalo em jericos e trajes carnavalescos. A afinação era boa, porque o maestro impunha respeito com a sua batuta de troço de couve!
As minhas notas mal alinhavadas representam a expressão da verdade, nem de outra maneira sei pensar ou escrever, visto continuar a ser um acérrimo defensor da Pátria e da Denmocracia, que é também da colectividade.
Continuam os leilões de prendas, e quando pertencer às nossas briosas raparigas, cá estou eu, apesar de velhote, para as levar ao mais alto preço… conforme o seu valor, é claro!
E o meu coração sente-se alegre, pugnando por esta Cruzada do Bem, e com benefício para mim próprio, porque vendo muito mais vinho e iscas de bacalhau.
No domingo, até as espinhas do dito foram, e por bom preço, graças a Deus! Oxalá que isto continue por muito tempo, a ver se posso equilibrar o orçamento!…
Miséria – O que se passa por esse mundo fora é digno de compaixão! Neste dia de Entrudo, quantas famílias sem pão, sem lar e sem um bocadinho de carne para mitigar a fome! Como há-de ser desesperado este viver! Eu, graças a Deus, sou remediado, com orgulho o digo… matei um cevado há um mês juntamente com os meus garotitos, comemos o resto ao domingo gordo! Como vêem, foi poupar muito, porque ele era grande!»

Pintarroxo, in «O Progresso de Paredes», 5/3/1935

Comments

  1. Adalberto Mar says:

    Não Maria/Carla não é o nosso R a segurar o andor ali!! São todas meninas ali!! E não, não estou «em arrufo com a minha presidência aventar!!!!!! E não o Luis não estava por perto!

  2. maria monteiro says:

    esclarecida… também em 1935 ainda não havia o Aventar


  3. […] daqui. escrito numa época em que «O Progresso de Paredes» ainda não era usado pelo PS para a […]