As temperaturas por decreto

“As 17 potências reunidas (…) em L’Aquila, Itália, no Fórum das Grandes Economias (MEF) aceitaram limitar o aumento da temperatura média global do planeta a 2ºC e recusaram comprometer-se com percentagens concretas na redução das emissões. Na declaração final ficou para a posteridade que estes países se comprometem a “identificar uma meta global para reduzir substancialmente as emissões até 2050”.

A cada cimeira, sempre as mesmas promessas. Mudam os anos, passando de 2020 para 2050, mudam os detalhes, que aqui até nem estão destituídos de importância, mas permanece quase tudo na mesma.

Agora com a nuance de se decretar que a temperatura do planeta não pode subir mais que dois graus. Se, por um acaso, a temperatura se atrever a subir 2,1 graus, estes senhores vão reunir de novo e, estou certo, decretar medidas penalizadoras. Quem sabe se não ameaçam o planeta com sanções económicas ou, até mesmo, uma invasão.

Comments

  1. isac says:

    também não percebi o que queriam dizer com essa treta da temperatura. ao menos podiam ser homenzinhos e assumir que se estão literalmente cagando para isto…

  2. maria monteiro says:

    Não é a temperatura do planeta,…estavam apenas a falar sobre as que podem regular e controlar com um simples comando… mas é dentro dos carros, das casas,… “aceitam limitar” e “recusam comprometer-se” diz tudo


  3. Eu sei Maria. Mas não deixo de achar piada a querer “mudar” por deliberação os actos individuais dos cidadãos, enquanto nada regulam do ponto de vista legislativo. A não ser em 2050.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.