Saramago: Não Gosto Do Homem Nem Um Bocadinho

.

SARAMAGO, O INTOLERANTE

.

Não gosto deste escritor. Nem do que escreve, nem da maneira como o faz. Nem como pessoa eu gosto. Ele, não gosta de Portugal nem dos Portugueses, e eu não gosto dele. As suas palavras, os seus escritos, as suas ideias, as suas atitudes, arrepiam-me, de um modo que me faz mal.

Dizem-me que tenho de gostar do senhor porque ele recebeu um Nobel, e ainda por cima é Português.

Muitos o receberam e há mais portugueses por aí, e não tenho de gostar de todos.

Não gosto deste, pronto.

Agora, nem ele sabe porquê, resolveu apresentar o seu último livro em Penafiel. Por certo nem saberia onde ficava a cidade antes de saber que ia ser homenageado.

Na apresentação deste seu livro, Caím, mostra muito do que este homem é. Mais uma vez, e de novo, resolve bater em Deus e na Igreja Católica, e embora me não interesse minimamente que seja quem for escreva ou fale (bem ou mal) sobre o Antigo Testamento ou até mesmo sobre o novo, não precisa de para isso ser desnecessariamente estúpido, e estupidamente jacobino, sectário e intolerante, como o foi este autor. As suas palavras sobre a Bíblia, são cruéis, vingativas e se nos déssemos ao trabalho de as ouvirmos bem, enlouquecedoras. A sua incapacidade para ter Fé, é por demais evidente. E essa capacidade é uma mais valia para quem a possui. E embora, não a ter, não possa ser considerado defeito, já o é criticar quem tem a felicidade de ter nascido com ela .

Não precisava, mas insulta e despreza a fé de terceiros para dizer o que pensa, e tem um prazer orgásmico em agredir os outros.

Os seu problemas com a religião nunca terão ficado resolvidos, e agora, já velho e casmurro, é muito tarde para os solucionar.

Não consigo gostar de pessoas assim.

.

Comments


  1. Ele não gosta de nós mas  temos que o idolatrar , é o que diz a Bíblia. Oferece a outra face.

  2. Paula Val Antunes says:

    Concordo na totalidade. Não gosto de pessoas assim. E digo mais: adoro livros e nunca deitei nenhum livro fora, tendo optado sempre por dar os que por uma razão ou outra,  já pouco ou nada me dizem (falo de, no máximo, 10 livros que terei dado até hoje, com 42 anos). Os únicos livros que achei que não eram mercedores de serem oferecidos (embora os tenha recebido de oferta) foram 2 deste autor que nem ao papelão tiveram direito. Tenho dito! E digo mais, vou partilhar este artigo e o meu comentário no meu facebook!


  3. Concordo plenamente. Não presta, nem como escritor nem como pessoa.


  4. Meu caro José Magalhães, um escritor deve ser avaliado pelo que escreve. Reconheço que o Saramago é um velho antipático, não podia estar mais em desacordo com ele no plano político e em algumas ideias disparatadas que produz – como a da união com Espanha. Mas é um grande escritor. Dois ou três livros seus, são do melhor que se escreveu no nosso idioma. E não é ele que tem um problema com a religião, é a Igreja que tem um problema com ele se insiste em comentar as declarações que ele presta durante as acções de marketing do seu novo livro. Cristiano Ronaldo também é um pateta que só diz tontices – mas joga muito bem. A benevolência que temos para o puto devemos tê-la para o velhote.


  5. Carlos, o CR não odeia Portugal e os portugueses.E eu não tenho paciência para primas donas. Tu  aceitas alguma coisinha à conta dos livros que ele escreve, mas há quem o queira impor à conta da ideologia que professa. Já vimos uma vez do que Saramago é capaz!


  6. O que ele fez no DN nada tem a ver com a qualidade dos livros dele. A sua ideologia política também não. E ele não nos odeia. É um casmurro mal-humorado porque está velho, a saúde a fugir. Além disso, mesmo em mais novo, nunca teve bom feitio. Mas, insisto, só deve ser avaliado como escritor. Não é por ter ganho o Nobel que deve ser desculpado, é porque escreveu livros que mereceram o Nobel. Se exiges que os escritores também tenham bom feitio, devo dizer-te que poucos passariam por esse crivo. Não compreendo esta raiva toda contra o Saramago. Não faz sentido.


  7. Não é raiva, é não deixar que um tipo se ponha do alto da burra a dar lições de moral. É precisamente por ele ser escritor que não deve ir além da chinela. Fale ele nos livros que escreve que já ninguem lhe leva a mal. E o que ele fez no DN não é para esquecer . Branquear o Saramago, como homem e político, à conta do Saramago escritor, não vou nessa, Vanessa! (como diz o Variações)


  8. Se leres as intervenções dele verás que são mais serenas do que as da Igreja e as do rabi. Se formos a «não esquecer» o que se fez no PREC , teríamos pano para mangas – de ambos os lados. Enfim, eu gosto de ler os livros do Saramago, não gosto do Saramago – nem ligo a mínima importância às entrevistas que dá e às declarações que presta. Limito-me a ler os livros que escreve. Parece que há quem prefira fazer o contrário. Não insisto.

  9. Cristina says:

    O que escreveste, eu assino embaixo!

  10. Maria de Oliveira says:

    Não diria melhor!
    Adorei o seu texto, melhor dizendo, tirou-me as palavras da boca.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.