Dias de Novembro

No século XX há duas datas que marcam o caminho da humanidade por uma outra sociedade que derrube o capitalismo, chamem-lhe comunismo, socialismo, arroz com ervilhas ou o que quer que seja.

 A 7 de Novembro de 1917 na Rússia a primeira revolução triunfante criou a União Soviética, trazendo uma lufada de esperança aos explorados de todo o mundo.

 

Comite central do partido comunista russo em 1917

A 9 de Novembro de 1989, o derrube pelos berlinenses do muro que simbolizava a vergonha em que se transformou a URSS, onde o pior dos capitalismos, aquele onde domina uma clique de burgueses burocraticamente cooptados governando com mão de ferro um povo condenado a uma enorme desigualdade social e submetido por uma máquina repressiva incontrolável.

Faz hoje 20 anos que, simbolicamente, a URSS deixou de ser um aparelho de propaganda do capitalismo, regressando ao capitalismo tradicional, em breve seguida pela China. A URSS, o país onde provavelmente se  assassinaram mais comunistas que em qualquer outro. Um dia que honra a memória dos homens assinalados a vermelho na imagem, membros do comité central do partdo bolchevique em 1917.

Duas grandes datas, das maiores de um século, onde por duas vezes alguns dias mudaram o mundo.

Comments


  1. Após o cair do muro e a crise do capitalismo, os dados estão lançados.Só não vê quem não quer. Estado de Direito, Democracia parlamentar, economia social de mercado devidamente regulada pelo Estado. Falta o “homem novo” mas esse já Jesus anunciava há 2000 anos e ainda não chegou…

  2. carlos ruão says:

    meu caro, mais lucidez é francamente impossível ! grande abraço, amigo !

  3. Anónimo says:

    Caro João: O seu texto é confuso, não se percebe bem onde pretende chegar (dá uma no cravo, outra na cavalgadura), recusa sem apoiar e apoia sem recusar (também eu me questiono perante as encruzilhadas) mas (hélas) demonstra que as sociedades criadas por iluminados, faróis do povo e quejandos acabam como túneis sem luz ao fundo. No entanto a forma como o apresenta – parágrafo inicial chocante, fotografias desenterradas dos arquivos da História, flic-flac a seguir – é bem sacada e vale o post. Um abraço pedro (Lagos)

  4. figueiredo says:

    Caro Anónimo Pedro, A demonstração que retira do texto já estava na sua cabeça antes de o ler. A História, essa, não tem moral. Basta-se com a vontade dos homens e das mulheres que a fazem e sobretudo com as suas circunstâncias.


  5. Muito bem, João José, apoiado!