Passaporte carimbado

Portugal precisou de sofrer para chegar à fase final de uma grande competição, como acontece quase sempre. Desta vez foi mesmo preciso esperar até aos jogos decisivos para ver uma equipa com garra, vontade, determinação e querer. Pelo menos, chegou a tempo.

 

É, claro, um triunfo para Carlos Queiroz, sempre tão pouco acarinhado neste nosso cantinho. Fica o sabor a pouco de uma vitória que poderia e deveria ter sido mais expressiva.

 

Fica ainda mais uma vergonha para a multinacional que é a FIFA, que, mais uma vez, não soube proteger o seu estatuto social, defender o negócio do futebol. A FIFA é uma empresa e como todas as empresas deve lutar por ter as melhores condições de trabalho para os seus ‘funcionários’. Mais uma vez não fez isso. Autorizar um jogo de futebol internacional naquele relvado é criminoso. Creio que em Portugal não deve haver muitos recintos de jogo, mesmo nos distritais, com um piso tão mão como aquele.