O maior desastre ambiental de sempre…

…está a decorrer neste momento e ninguém arrisca uma data para que seja interrompido.

Bem sei que os últimos dias têm sido pródigos de acontecimentos e notícias, no entanto duvido que as prioridades sejam aquelas que mais vemos destacadas nos media. A blogosfera, principalmente, tão ágil a atacar e a comentar notícias e não-notícias, parece estranhamente alheada do facto. Nos chamados blogues de referência pode ler-se duas ou três linhas sobre o assunto, pouco mais. Nos jornais o panorama é tão desolador que, para dar alguns exemplos, o Ionline não lhe dedica, hoje, uma só palavra e o TVI24 refere-se ao assunto em meia-dúzia de linhas absolutamente inócuas.

Entretanto, desde 20 de Abril, o correspondente a cerca de 70 a 80 mil barris de petróleo por dia estão a ser libertados no Golfo do México, sem que a fuga possa ser estancada. Esta quantidade equivale a um Exxon Valdez a cada quatro dias, constituindo um desastre sem paralelo entre as grandes catástrofes ambientais.

Somos cidadãos do mundo quando é para armar aos cucos. De resto, ignoramos olímpicamente tudo o que se passa fora do nosso quintal.

Comments

  1. Luis Moreira says:

    É bem verdade. Para que as coisas “aconteçam” neste mundo meditizado é preciso que a comunicação fale delas. Ora, é óbvio, que a BP já fez funcionar a distribuição de “envelopes”. ninguem fala no assunto!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.