E depois ficam à espera que governem

Nunca morri de amores por Santana Lopes, mas subscrevo estas duas respostas em entrevista ao jornal I:

O mesmo que Passos Coelho está a fazer agora, a surfar a onda?

Um pouco. Há este código tradicional do “não te mexas muito, deixa-te estar sossegado, finge que não percebes nada, o tempo passa e és nomeado primeiro-ministro”, que é o que revolta.

É o que vai acontecer com Passos Coelho?

Sim, mas não o censuro. As pessoas acham que é assim: “Queres ser primeiro-ministro? Anda cá, arranjamos-te bem, tens boa imagem, não digas muita coisa, deixa-te estar sossegado, publica um livro, faz um congresso ou dois, e pronto, daqui a um mês ou dois és primeiro-ministro.”

Acrescento ainda: Elegem-nos com esta base “programática” e ficam à espera que eles governem. Depois desiludem-se, acham que são todos iguais e dizem que a política não vale nada, que é sempre a mesma treta, que são todos medíocres, etc. e tal. Estavam à espera de quê?

Comments

  1. mjrijo says:

    Mas eu acredito, que mesmo estando isto tudo a rebentar por todos os lados, vai mesmo continuar assim, até ao dia em que apareça uma pessoa carismática, revolucionária, e com vontade de trabalhar honestamente, e capaz de chamar as massas até si. Será que existe?Loucos como Hitler conseguiram mas da pior forma possível. Existirá alguém no seu juízo perfeito que consiga levar este país a bom porto?

    • Luís Moreira says:

      Enquanto não tivermos uma sociedade civil forte, não vamos lá. Não há razões, já não há, para esta partidocracia asfixiante.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.