Portugal: golos e o regresso da seleção

Depois do interregno para aulinhas e preleções teóricas, passado o pesadelo do professor, eis-nos de regresso ao futebol como deve ser: selecionador em vez de professor, jogadores em vez de alunos. Agora o motor já tem turbo, não está afinado mas atinge rotações elevadas sem medo de tentar.

Não vou endeusar Paulo Bento – não seria a minha escolha para o cargo- mas vê-se que já existe mudança de atitude, vontade de jogar e, suponho, acabaram-se as desculpas esfarrapadas e as liçõezinhas de moral. Bem sei que não se deitam foguetes antes do apito final, que a bola é redonda e tudo pode acontecer. Escrevo este texto durante o intervalo, neste momento Portugal ganha por 2-0. Aconteça o que acontecer, ganhe ou perca, a seleção mudou, há velocidade, os jogadores ocupam as suas posições naturais, Carlos Martins e João Moutinho são finalmente titulares. Assim gosto mais, escusado era ter-se perdido o tempo que se passou em experiências pseudo-educativas.

Comments

  1. carlos fonseca says:

    Caro Pedro, cuidado.O Senhor Professor era o seleccionador oficioso dos dagrões e o Paulo Bento é amigo do Scolari. Se Portugal não se classifica, na devida oportunidade levas com os ‘andrades’.

  2. Nuno Castelo-Branco says:

    SELEÇÃO? O que é isso?

  3. A. Pedro says:

    Carlos,
    o professor deixou uma caminha dourada para o sucessor (fosse ele qual fosse) que tem uma margem para errar como poucos tiveram até agora. Pode fazer muitas asneiras que o pessoal, por comparação, perdoa.
    Nuno,
    seleção é aquilo que antigamente se escrevia selecção.

  4. carlos fonseca says:

    Pedro:
    Eu avisei que há sempre uns ‘andrades’ à espreita.
    Ricardo:
    Esmagado pelo sistema futeboleiro nacional, mas existe. Como existem o Boavista, O Salgueiros, o Farense, o Barreirense, o Chaves, o Académico de Viseu … sem falar de outros que, no futuro, cairão na amarga existência.


  5. O Paulo Bento tem um currículo invejável. E ao contrário por exemplo do Mourinho nunca foi despedido do Benfica.

  6. A. Pedro says:

    “Paulo Bento – não seria a minha escolha para o cargo” escrevi eu de forma bem clara no poste.
    Mas eu não confundo o trabalho de treinador com o de selecionador.

    (O outro também tem um currículo invejável, foi despedido de praticamente todos os sítios por onde passou como técnico principal e suponho que também almejaria ser despedido um dia pelo Benfica se lhe tivessem dado hipóteses)

Deixar uma resposta