As negociações do Orçamento falharam

Por agora, ainda não se sabe o que aconteceu, já que cada parte tem a sua versão.
Ou se calhar sabe. A verdade é que, conhecendo como conhecemos a tralha socratista que nos governa, o Governo não recuou 0nem um milímetro. Ia recuar, mas eis que apareceu em cena o primeiro-ministro. Foram muitos anos de Maioria Absoluta, muitos anos sem diálogo nem negociações. E Sócrates pensa que ainda continua a ser assim. Não é – infelizmente para ele. Ou felizmente, pois parece que está mortinho por levar um pontapé.
Mas a verdade também é outra: apesar de não ter conseguido impor uma única condição, o PSD continua a encarar a viabilização do Orçamento. Porque Passos Coelho está refém dos Bancos, não passa de um capataz de Ricardo Salgado e companhia. Ele sabe que vai formar Governo ainda em breve, por isso tanto faz que seja uns meses mais cedo ou mais tarde. Aumento dos impostos? Até é um alívio. Alguém já fez por ele.
Quanto a José Sócrates, já todos sabemos com o que contamos. Para ele, quanto pior melhor. E como fez questão de dizer em 2005, está-se marimando para os portugueses. O caos? É para o lado que dorme melhor.
Cavaco, que vê as suas contas furadas, vai chamar o Conselho de Estado. Não seria melhor chamar já o FMI?

Comments


  1. A culpa é toda de Sócrates!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.