«Nunca me engano e raramente tenho dúvidas»

bola de fogo

© Rogério Pacheco (http://bit.ly/20mxHxw)

Nonetheless, it seems to me doubtful as a way to proceed in the present situation for the following reason. I said above that the essence of consciousness was subjectivity. There is a certain subjective qualitative feel to every conscious state. One aspect of this subjectivity, and it is a necessary aspect, is that conscious states always come to us in a unified form. We do not perceive just the color or the shape, or the sound, of an object, we perceive all of these at once simultaneously in a unified conscious experience. The subjectivity of consciousness implies unity. They are not two separate features, but two aspects of the same feature.

— John Searle, Philosophy In a New Century

***

Hoje, ao passar os olhos pelo sítio do costume, lembrei-me quer deste parágrafo escrito por Searle, quer daquela frase que Cavaco Silva não disse. A Câmara Municipal de Ovar, à qual dediquei meio parágrafo na quinta-feira, estará provavelmente a preparar, neste exacto momento, uma nova declaração de rectificação.

DRE 222016 ovar

Houve discernimento suficiente para considerar duvidosa a grafia ‘contatar’. Em breve, saberemos se, por aquelas bandas, estes ‘fatos’ são de facto duvidosos ou se estamos perante circunstâncias semelhantes às daquele «agora “facto” é igual a fato (de roupa)».

DRE 222016 div

Daquele «agora “facto” é igual a fato (de roupa)»?

Exactamente.

Continuação de uma óptima semana.

Comments

  1. eu avento says:

    Grandessíssima melga


  2. Continua o folhetim da alfaiataria no DR. Quanto à citação de Cavaco, continua a dúvida sobre se foi assim ou se foi “Nunca tenho dúvidas e raramente me engano”.