Um certo sarro de tempos longínquos

Ontem foi dia de festa na “universidade” (não uso minúscula mais pequena porque não há). Aníbal, o Cavaco, falava. E do que disse escorreu bílis, sobrou mediocridade, soprou vacuidade. Há nele um certo sarro de tempos longínquos, uma desconformidade com o que de mais nobre tem a democracia. Há nele aquele ódio que gela o espírito dos que pensam ser médium de uma qualquer verdade absoluta que paira no ar e, ao fim de muitos anos, começam penosamente a suspeitar de que talvez se enganem e, pior, que talvez tenham perdido a capacidade de enganar os outros. Em nós há a náusea, a incontível náusea.

O discurso xenófobo de Passos Coelho e os vistos gold

Foto@Público

Quando o deputado Passos disse à sua claque que não queria qualquer um a viver no nosso país, será que se referia aos oligarcas do Partido Comunista Chinês, entre outras figuras de igual envergadura ética e moral, a quem atribuiu vistos gold a torto e a direito?

Já agora, não havia um ex-ministro do governo do mesmo Passos, a ser julgado por vários crimes, relacionados com esses mesmos vistos gold, sobre o qual a imprensa controlada pela Geringonça soviética não pára de falar? Ah, espera lá, afinal não fala. Nunca. Apesar do julgamento decorrer há vários meses. Estes soviéticos modernos, o Estaline que descubra e vai tudo parar ao gulag…

Há uma grafia rasca em Portugal

Quem te não viu anda cego

Zeca Afonso

DOC: Symptoms, ma’am, symptoms.

SALEM: Symptoms!

SONNY: Things that show on the outside what the inside might be up to.

— Sam Shepard, “La Turista

O penalty é penalty.

— Rodolfo Reis. 27/8/2017

***

Durante as férias, depois dos arredores de Putzu Idu, algures em Portugal, porque era efectivamente sábado e se calhar havia vento de Gibraltar,

Algures em Portugal, Agosto de 2017

apareceu-me este texto de Vítor Serpa, director do jornal da irresponsável resistência silenciosa.

En passant, acho deliciosa a avaliação “excelente”,

feita pelo director do jornal A Bola, de um trabalho “apresentado com rigor”, [Read more…]

Alvor, Agosto de 2017

Foto: Francisco Miguel Valada

Um artigo deplorável de Pedro Carlos Bacelar de Vasconcelos

O problema deste mundo politicamente correto são sempre estas pessoas, ainda por cima deputados e com responsabilidades, que misturam tudo e, sem nenhuma ponta de bom-senso, ou vergonha na cara, cavalgam as ondas de populismo politicamente correto sem o menor pudor.

Sobre a atuação da CIG, a propósito dos livrinhos da Porto-Editora (editados em 2016) que a CIG, 1 ano depois e para acalmar as redes sociais, resolveu recomendar (sob orientação do Ministro Adjunto) que fossem retirados do mercado, muitos se manifestaram contra essa atitude que consideram muito infeliz. Pensaram esses muitos cidadãos que podiam exercer o seu direito de opinião. Registo imensas pessoas das artes, do jornalismo, das ciências, etc.

Pois hoje fiquei a saber, por este artigo do Pedro Carlos Bacelar de Vasconcelos, deputado e Professor de Direito Constitucional, que essas pessoas são tudo o que podem ler abaixo só porque, imaginem, exerceram o seu direito de opinião. Até apoiantes de Trump passaram a ser, na classificação deste senhor. O Ricardo Araújo Pereira, por exemplo, passou a ser, tal como muito outros, um perigoso ideólogo do mais perigoso que existe.

[Read more…]

Porque o proletário é estúpido como uma porta, não é mesmo?

Imagem encontrada no Facebook do Ricardo M Santos, perigoso comunista

Está por aí um alvoroço muito grande, com cataclismos, resgates e pragas bíblicas à mistura, porque a malta da Autoeuropa, imagine-se o desplante, decidiu fazer uma greve. Estes esquerdalhos, sempre a querer lutar pelos seus direitos. Se fossem assaltar bancos ou adjudicar coisas a troco de robalos, luvas, putas e vinho verde é que eles eram gente de valor. Uma Maria Vieira a disciplinar cada um destes bandalhos era pouco. [Read more…]