Faltam 420 dias para o Fim do Mundo

Nos últimos dias sucedem-se as notícias sobre bullying, agora foi um professor que se suicidou. Sobre o tema aconselho a leitura do artigo de Martim A. Figueiredo no i.

Este fim-de-semana temos congresso do PSD e alguns continuam a suspirar por D. Sebastião. Ou que Cristo desça à terra ou que em Mafra se cante “somos um Rio”. O Aventar estará atento. Pelo caminho, Passos avisa que colou cartazes, Aguiar Branco não acredita em Mosqueteiros (e não estamos a falar de supermercados) e Marques Guedes procura segurar Sócrates. Hoje é dia de sondagem sobre as intenções de voto nos partidos e amanhã é publicada a sondagem sobre as directas que o Aventar antecipou: os portugueses preferem Passos Coelho e os militantes?

Quem encontrar o caixote do lixo com as escutas terá direito ao Euromilhões

PSD – Directas #2:

Ele há coisas assombrosas! No dia em que recebi por mail uma sondagem da SIC/Expresso/RR que vai ser divulgada no Sábado sobre as próximas eleições directas no PSD, eis que uma amiga minha recebe um mail para participar numa outra sondagem.

A militante abriu o documento/link, leu a primeira pergunta, avançou para a segunda e começou a desconfiar dos objectivos da coisa. Sentiu um leve cheiro a patranha, estilo questionário de time-sharing com ares de elevada seriedade mas com tiques de encomenda. De repente, a mensagem: Conto consigo! Sabe que pode contar comigo! Juntos vamos libertar o futuro, Paulo Rangel. Ok, estamos falados quanto à credibilidade do dito estudo de opinião…

Mas vamos então falar de coisas sérias, da sondagem da SIC/Expresso/RR. Ontem o Aventar abordou a importância de os militantes do PSD saberem o que pensam os portugueses sobre os seus candidatos. Pois aqui ficam os resultados do primeiro estudo de opinião sério, credível e independente cujos três órgãos de comunicação social encomendaram a uma empresa especializada e que o Aventar antecipa em 24 horas. No primeiro caso perguntaram qual o melhor candidato a Primeiro-ministro e no segundo caso quem vai vencer e as respostas foram estas:

Faltam 421 dias para o Fim do Mundo:

Nestes dias surpreende a violência. Gratuita, estranha, estúpida. Da mesma forma, sempre se disse que o diabo está nos detalhes e, pelos vistos, no Vaticano. Ao mesmo tempo, a crise agrava-se por terras lusas mas está forte em Madrid, com Florentino a querer abrir os cordões à bolsa enquanto a mulher de Kaká prefere fazer justiça pelas próprias mãos.

Nada como a senhora deputada/cantora/actriz para nos oferecer novas definições de mentira/aldrabice/peta. E Marcelo nos dar um novo tema para amplo debate na blogosfera enquanto outros se assumem rumo às directas.

Assim vai o nosso Mundo…

PSD – O debate das Directas no Porto:

Numa excelente iniciativa da Distrital do Porto do PSD, os quatro candidatos à liderança do PSD debateram, ontem, na Fundação Cupertino de Miranda, o que querem para o PSD e para Portugal. O LR no Blasfémias já fez um bom resumo da matéria e, por isso mesmo, vou ser parco em palavras.

Realmente, a questão das claques pró Rangel levantada por LR, algumas vindas de fora da GAMP, foi notória e despropositada, mas enfim, populismos estilo RGA. Julgo que a presença da comunicação social no evento condicionou o discurso dos candidatos pois tiveram de medir as palavras entre o discurso para dentro sem os prejudicar fora e o discurso para fora mas sabendo que quem voto são os de dentro.

Rangel prefere, para já, seguir o estilo populista à Portas. Aguiar Branco demonstra que, infelizmente, partiu tarde pois vale bem mais do que a “relação de forças” apresentada. Já Passos Coelho pareceu muito condicionado pela procura de um discurso para dentro que não prejudique fora, o que se entende por ser, francamente, aquele com mais hipóteses de vir a ser PM.

Marcelo foi o ausente mais presente. O Fantasma…

A culpa não é minha, é do meu Secretário de Estado…

Foi encontrado o culpado pela derrota de Rangel no debate com Passos Coelho (via Albergue): Os Consultores de Imagem.

Cada tiro, cada melro. Cada cavadela, cada minhoca…

Sobre o debate:

Em democracia, a melhor ruptura obtém-se pelo voto. Nenhum militante antigo ou recente, diga Paulo Rangel o que disser, imagina Sá Carneiro ou Cavaco a perder uma eleição contra Sócrates como sucedeu ao PSD de Manuela Ferreira Leite. Os seus herdeiros políticos terão de responder por isso nesta campanha interna. E Rangel é um herdeiro político de Ferreira Leite, o que talvez explique a incomodidade que revelou neste debate.

Pedro Correia no Delito de Opinião

Adendas pela madrugada: Aguiar Branco inaugurou a sua sede de Lisboa. Arnaut apoia Rangel e o i resume o debate.

O Debate # Final

A minha alma está parva! Esperava mais, muito mais de Paulo Rangel neste debate. Considero que foi, literalmente, cilindrado por Passos Coelho.

A boa preparação de Passos Coelho é notória. Domina melhor os diferentes dossiers, é assertivo nas críticas e teve o killer instintc fundamental nos momentos certos: a da ruptura de Rangel ser o seu abandono do PE foi um must. Fez falta a presença de Aguiar Branco e ficou mal, muito mal, a Rangel enviar uma farpa a quem não estava presente e que, ainda por cima, é o seu “padrinho”.

Foi um debate esclarecedor para os militantes e, julgo, uma vitória forte de Passos Coelho. Agora é esperar pelo debate final, numa das televisões de canal aberto, preparado para a última semana de campanha.

O Debate #6

A velha escola e a nova escola é uma boa metáfora para definir estes candidatos: Rangel está muito próximo da velha direita enquanto Passos já milita na direita moderna.

O Debate #4

A discussão está óptima no Twitter. A maioria considera que, por agora, Passos Coelho está a ganhar o debate.

O Debate #3:

Como se previa e já se comentava durante o dia, Rangel prefere uma postura agressiva e populista, mais vocacionada para procurar convencer os eleitores fanáticos esquecendo o país. Neste ponto, Passos Coelho está a ganhar por ser mais pausado e esclarecedor.

Agora vamos ao país. Ainda bem. Uma boa malha de Passos Coelho ” eu estou é ao lado e preocupado com o país”.

O Debate #2

Passamos do civilizado ao debate de ataque, (2-3-5)! Alguém convenceu Paulo Rangel que Passos Coelho é do PS. Ainda vai sobrar para o CDS…

O Debate #1

Neste arranque, tudo muito civilizado como mandam as regras. Ainda bem.

Passos Coelho ataca, forte, com a péssima estratégia do actual PSD nas últimas legislativas e com a questão da ruptura afirmada por Rangel. A forma como encara o passado e se apresenta como alternativa do futuro é mais moderada e menos populista. Rangel não concorda e a réplica centra-se nas rupturas. Eu li, diz Paulo. Eu estive lá, afirma Passos Coelho. Rangel explica ruptura com o actual PS e não com MFL. Colando Passos ao PS. Hummm, isto de falar de partidos ainda vai dar chispa…

Faltam 426 dias para o Fim do Mundo

A tragédia na Madeira teve o condão de unir Sócrates e João Jardim mas não deve servir como arma política em eleições directas de um partido. Hoje vi na TVI o Presidente do Governo Regional da Madeira acusar o seu companheiro de partido, Pedro Passos Coelho, de não ter sido solidário com a tragédia na Madeira, o que não é verdade, pois logo no Domingo tanto no Facebook como em diversos órgãos de comunicação social se viu o contrário. Por muito importantes que estas eleições possam ser, nada representam quando comparadas com a tragédia da Madeira e mal vai a classe política ao procurar aproveitar-se da desgraça dos outros em nome de inconfessáveis interesses políticos pessoais.

Por falar em mau tempo, desta vez são os Açores e como uma desgraça nunca surge sozinha, aqui estão os novos números do desemprego: 10,5%! Para ajudar ao descalabro, esta reportagem do i (que está cada vez melhor) a avisar que Portugal está entre os piores em termos de educação. Já os Procuradores discutem o Face Oculta e as escutas ao PM. Enquanto isso, Soros vai avisando a Europa – convinha não fazer de conta pois quem avisa…

Finalmente, continuando com o quadro negro do dia, ESTE artigo sobre o meu F.C.Porto é de leitura obrigatória e mais não digo que as grandes dores são mudas…

As contradições de Rangel

Francamente, não consigo compreender a natureza humana.

Tenho o Paulo Rangel em conta de pessoa inteligente. Um homem da universidade, com experiência política e com vida para além desta. Ou seja, não consigo compreender estes últimos tiros no pé. Vejamos:

Primeiro jurou que era apenas e só candidato a Deputado Europeu, ao contrário de alguns dos seus adversários de circunstância. Mais tarde, informou que não seria candidato à liderança do PSD. Pelo caminho não se lembrava da sua eventual militância anterior no CDS-PP, como se tal facto fosse crime. Depois cometeu um erro de principiante com aquela sua intervenção despropositada no Parlamento Europeu. Já por esta altura, e confiando em pessoa que tenho por boa fonte, aparentou estar de pedra e cal com José Pedro Aguiar Branco, seu amigo. De repente, avisando por SMS alguns dos seus companheiros, apresenta-se como candidato à liderança do PSD. Não contente com tantas contradições, revelou em entrevista que viveu intensamente o 25 de Abril quando, pasme-se, tinha seis anos de idade (como jocosamente reparou CBO aqui).

Por último, como já a mesma fonte me tinha garantido, provou-se que foi militante do CDS-PP entre 96 e 99 – hoje, com piada, Ricardo Araújo Pereira na TSF destacava o facto de não se lembrar de entrar mas saber perfeitamente quando sair – e eu pergunto: qual o temor de Rangel? Por acaso é crime ter sido militante do CDS-PP?

Espanta-me esta sucessão de contradições. Assusta-me esta facilidade para a mentira. Pode, depois de tudo isto, ser candidato a Presidente do PSD? Pode, até Sócrates chegou a Primeiro-ministro…

PSD: "Directas" ao assunto

Tal como há muito se tinha afirmado no Aventar, Aguiar Branco junta-se a Passos Coelho na corrida à liderança do PSD. E não foi por acaso que há duas semanas se sublinhou, igualmente no Aventar, a tentativa de “onda” para um avanço de Rangel. É só lerem o arquivo e/ou andarem atentos ao blog.

Os três candidatos são muito diferentes. Embora todos partilhem algo em comum, assaz curioso, de semelhança com três diferentes figuras do CDS. Se Pedro Passos Coelho é uma espécie de Manuel Monteiro para melhor e Aguiar Branco um Lobo Xavier mais expedito, já Paulo Rangel parece querer ser o Paulo Portas do PSD. E é aqui que, salvo seja, a porca torce o rabo.

Ao contrário de outros, eu não vou relembrar o que disse Rangel durante e após as Europeias sobre uma putativa candidatura sua à liderança. Não. Prefiro um outro registo. A campanha de Rangel nas eleições Europeias foi, reconhecidamente, boa. Mas quando comparada com o cinzentismo da actual liderança. Paulo Rangel foi uma espécie de Paulo Portas pela sua irreverência e inteligência. Animou as hostes, partiu para a luta meio sozinho (quem ainda recorda os primeiros tempos de Portas no PP?) e arrastou o laranjal com muito populismo, soundbites e teve o seu momento Soares/Marinha Grande na história da papa maizena. [Read more…]

Paulo Rangel ?

Eu juro que ontem à noite, quando coloquei aquela imagem do Kaos, estava longe de pensar em semelhante ultrapassagem de Rangel a Aguiar Branco pela direita e violando grosseiramente o código da estrada.

A minha é maior que a tua…

Palmado AQUI

O Coelho e as Lebres

Hoje os diferentes jornais falam na possibilidade de Paulo Rangel e Aguiar Branco se candidatarem à presidência do PSD.

O primeiro a desmentir foi Paulo Rangel. Não senhor, não será candidato e não, não foi pressionado por Durão Barroso. Já Aguiar Branco nem necessita de grandes desmentidos, percebeu-se ontem, na Quadratura do Círculo que não vai ser candidato.

Ou seja, ninguém quer fazer o papel de lebre e como se percebeu nas duas sessões de apresentação do livro de Pedro Passos Coelho, sente-se um forte cheiro a poder e um alinhamento quase unânime em torno da sua candidatura.

Mudar

O Pedro Passos Coelho apresentou o seu livro: Mudar.

No almoço com os blogues em Lisboa, no qual o Aventar esteve presente (ver AQUI, AQUI e AQUI), o candidato a Presidente do PSD já tinha avançado com algumas das ideias plasmadas na obra.

Uma das coisas mais acertadas que disse nessa apresentação foi: “Com ou sem congresso, o PSD não pode demorar muito tempo a resolver as suas questões internas”. É a mais pura verdade.  Quanto ao resto, vou ler o livro e depois farei comentários.

As Directas no PSD #1

Como a “coisa” promete, vou passar a publicar, de vez em quando, as notícias sobre o processo eleitoral em curso (PREC-PSD).

Para lançamento, a entrevista do Presidente da Distrital do Porto, Marco António Costa afirmando que não apoia Pedro Passos Coelho: AQUI.

Por sua vez, chegou-me hoje às mãos o chamado “Manifesto de Conciliação” organizado por um grupo de militantes que estão a recolher assinaturas com o objectivo de acelerar a realização de directas e antes de qualquer congresso.

O PREC-PSD promete.

Adenda às 16h46: Até já existe um site: PSD-Directas Já

Adenda às 17hoo: Está lançada a confusão!

O Extraordinário Congresso Extraordinário

Eu gostava muito dos congressos do PSD, eram todo um espectáculo “extraordinário”, a modos de um F.C. Porto/SLBenfica ou, subindo a parada, um F.C.Porto/F.C. Barcelona. Foi num deles que participei em algo histórico para a blogosfera nacional: a presença e acreditação de blogues como se de órgãos de comunicação social se tratassem: o Blasfémias, o Intervenção e o 31 da Armada.

Enfim, todo um programa.

Num célebre dia, os militantes do Partido Social Democrata, entenderam que era chegada a hora de eleger o Presidente do partido através de eleição directa (um militante, um voto). Pelo caminho, as quotas passaram a ser pagas por cheque ou multibanco, numa vã tentativa de evitar a fraude e os clássicos sindicatos de voto. É não conhecer a capacidade de desenrascanço e de tornear as regras tão típica dos portugueses (e dos latinos).

Entretanto, depois do desastre eleitoral das últimas legislativas, foi anunciada a realização de novas directas para eleger um(a) novo(a) líder para o partido. Nada surpreendente: perante um PS com uma herança governativa inenarrável, o PSD conseguiu o milagre de obter um dos seus piores resultados de sempre.

Porém, quando já todos esperavam pelas directas, eis que surge um movimento liderado por Pedro Santana Lopes a exigir um Congresso Extraordinário. A ele se juntou um grupo de autarcas e as necessárias assinaturas que viabilizam a organização do dito. Confusos? Não, é a política.

Como seria de esperar e a exemplo das condições climatéricas dos últimos dias, chovem as mais diversas opiniões sobre o tema: ver AQUI, AQUI, AQUI, AQUI, AQUI e ainda AQUI.

Nas duas mil e tal assinaturas, aposto, estão os nomes de alguns dos anteriormente acérrimos defensores das directas. O que será que os fez mudar de opinião? Serve o congresso para discutir os verdadeiros problemas do país e as alternativas a apresentar pelo PSD? Só quem não conhece ou não se lembra destas antigas manifestações do Portugal laranja profundo, é que pode acreditar em tal. Se o objectivo é preparar uma alternativa de governo, seria mais acertado realizar algo do género dos “Estados Gerais” ou, por hipótese, reunir os barões, baronesas, baronetes e quejandos numa qualquer sala de reuniões de hotel. Sempre se podia tomar um chá acompanhado de scones, enquanto se discutia o futuro da pátria. Para disfarçar e dar aquele ar, sempre muito democrático, de seres atentos ao pensar do Povo faziam uns especiais na província convidando os regedores locais, a modos de uma tournée tipo a que realiza o grande Quim Barreiros.

E que tal deixarem-se todos de tretas e truques e começarem, realmente, a trabalhar para o lançamento de uma verdadeira alternativa ao actual PS? Comecem por marcar uma data para as directas – mas uma data que dê tempo aos candidatos apresentarem as suas ideias, as suas propostas e os seus projectos. Por exemplo, final de Abril e com o limite para entrega das candidaturas em final de Fevereiro. Sempre se tinha, pelo menos, mês e meio para os candidatos percorrerem as diferentes secções.

Agora, um congresso extraordinário? Para quê?… Olha, encontrei uma razão válida: as audiências das televisões, dos jornais e dos blogues. Afinal, o extraordinário congresso extraordinário serve para alguma coisa: para combater a crise na comunicação social! Ena pá, genial! Vamos a isso que a malta agradece.

O Regresso A Um Certo Passado

.

MARCELO DEIXA ANTEVER UM REGRESSO

.

.

A ala caquética do PSD anda contente. O Professor Marcelo deixa, nas entrelinhas e em privado, perceber, que em Janeiro, quando a actual líder marcar as directas, avança para lutar pela liderança.

Passos Coelho, não vai ter vida fácil nessa luta.

Não estou convencido de que Rebelo de Sousa seja o melhor para o partido, e muito menos para o País, do mesmo modo que me parece que Passos Coelho, também o não é. Mas pelo que se vai vendo, não aparece ninguém, com perfil e capacidades para se candidatar, e mudar radicalmente o PSD. Este partido tem de deixar de seguir, para ser seguido, ou corre o perigo de, aos poucos, passar a ser um partido marginal. E nem um nem outro dos candidatos, parecem ter o necessário para o conseguir.

Com o sr Professor Marcelo, regressamos a um certo passado que não tem muita glória. Com o sr dr Pedro, avançamos sem a força e o carisma necessários para fazer a diferença.

Os deuses nos ajudem, antes que o céu nos caia em cima da cabeça.

.