A Irlanda, a blasfémia e os abusos sexuais endémicos

Por fim, percebo. Não conseguia chegar lá, confesso. Foram algumas horas de reflexão e leitura sem entender as razões que levariam a Irlanda a debater e a levar a votos uma lei para criminalizar a blasfémia. Sim, sei perfeitamente que a Irlanda é um país católico, muito católico. Mas também sei que estamos no século XXI. Portanto, a minha dúvida estava fundamentada. Porque haveria um país ocidental, da União Europeia, debater uma lei da idade das trevas? Uma lei que multa uma pessoa que publique ou profira blasfémias (ver definição abaixo).

Hoje, terá sido votada uma emenda para permitir a alguém acusado de tal infâmia a possibilidade de se defender, com a ideia de provar que uma pessoa razoável encontra genuíno valor literário, artístico, político, científico ou académico no acto blasfemo. O acusado, sim, é que tem de provar tal feito. E quem pode ser acusador? Um qualquer indivíduo que se ofenda. Há mesmo quem proponha a criminalização do ateísmo.

Até hoje não tinha percebido porque é que isto acontecia. Hoje percebi. Hoje o The Guardian informa-me que “a violação e os abusos sexuais eram “endémicos” nas escolas e orfanatos da Igreja Católica irlandesa”. Esta foi a conclusão de um relatório, divulgado hoje, fruto de uma investigação de nove anos. O documento refere que os padres e as freiras aterrorizaram, durante décadas, milhares de crianças. Os inspectores do Governo “falharam em parar as crónicas agressões, violações e humilhações”.

As 2600 páginas falam de mais de 30 mil crianças afectadas entre 1930 e 1990. Durante mais de 60 anos, pelo menos.

Será coisas como estas que a Irlanda, a pura e dura católica Irlanda, quer impedir de serem divulgadas? Bem sei, se calhar não é nada disto. Se calhar esta minha teoria é um disparate total. Pode ser. Mas, se assim é, porque é que a Irlanda um país ocidental, da União Europeia, está a debater uma lei da idade das trevas?

blasfémia

s. f.

1. Dito ímpio ou insultante contra o que se considera como sagrado.

2. Dito indecoroso contra pessoa muito respeitável.

3. Proposição desarrazoadíssima.

Comments

  1. Luis Moreira says:

    A chave está na alínea 1).É por o poder religioso ser sagrado que a democrática Irlanda,andou a esconder 60 anos de crimes !É realmente um texto que arrepia.A Lei espelha sempre a sociedade a que se destina.Quando não é assim desaparece.Cá temos aí um bom exemplo com a lei das Finanças dos partidos.Anda-se a clamar contra a corrupção e a seguir sai uma lei daquelas!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.