Sugestão para laranjinhas espremidas no caso CTT

luis vilar

O processo do edifício dos Correios lá deu mais um passinho. Desta vez, e até por maioria de arguidos ou candidatos a tal, calha ao PSD a má fama, queixam-se alguns que à beira de eleições e tapando outras aventuras que doem mais para o lado do PS.

A verdade é que em Coimbra capital da corrupção estas coisas tocam quase sempre aos dois, PS e PSD.

Assim é injusto. Deixo um conselho aos aflitos: olhem melhor para Luís Vilar. Neste processo parece ser um homem perdido no meio de estranhos. Não é bem assim, Vilar não se perde. E até foi eleito para coordenar as eleições deste ano no distrito, embora quem o pronunciou (noutro processo) não tenha achado existir por causa disso risco de voltar a prevaricar:

O elenco da Comissão Técnica Eleitoral Distrital (CTED) de Coimbra do Partido Socialista, proposto por Luís Vilar à Comissão Política da Federação (CPF), obteve menos votos favoráveis do que a soma da adição dos boletins em branco e nulos e dos votos contra, disseram ao “Campeão” fontes partidárias. (…)
A indigitação de um arguido que aguarda julgamento – pronunciado pela presumível autoria de um crime de corrupção passiva, de três crimes conexos à corrupção e de um crime de financiamento partidário ilícito – tinha implicado a menos expressiva das quatro votações efectuadas na primeira reunião da nova CPF (39 sufrágios a favor, 16 contra, 13 brancos e um nulo).

Podem seguir mais pistas a partir do que escrevi quando o presidente da distrital de Coimbra do PS foi o único deputado a votar contra a lei do sigilo bancário.

E não têm nada que agradecer: mesmo que um dia vos amanheça aos quadradinhos, o sol quando nasce é para todos.

Comments


  1. […] Deixo um conselho, gratuito, destas vez aos caros socratistas empenhados em pegar no processo CTT para tramarem o PSD: não se metam nisso. É um facto que a tendência é para o PSD sair queimado mas o PS é no mínimo chamuscado. Ou não seja o arguido Luís Vilar parte da actual Comissão Técnica Eleitoral Distrital de Coimbra do Partido Socialista. […]

Deixar uma resposta