Deus como problema ou a complexa simplicidade da evidência (2)

Deus como problema ou a complexa simplicidade da evidência (2)

Deus continua a ser um grande problema, ou melhor, o homem continua a ser incapaz de resolver o problema de Deus, a equação cujo resultado estabeleceu como certo sem conhecer os dados que a compõem.
Há muito tempo que deixei de discutir fé e religião com gente crente. Dogmas e argumentos condicionados não são permeáveis à razão, e as conclusões são sempre frustrantes. Sou ateu, rigorosamente ateu, mas já fui crente. Esta parte negativa da minha vida teve um lado positivo. Permite-me, hoje, a comparação entre a falsa liberdade da aleatória felicidade de um certo obscurantismo e a aliciante liberdade da possível felicidade de uma razão não mais miscível com qualquer grande ou pequena crendice. A paz nascida da libertação de todas as angústias metafísicas, em favor do valor da vida e da força projectora da curiosidade humana, a paz e a serenidade de uma total descrença mística constituem a grande oferta que a vida me fez.
Como acontece a Saramago, também a mim me acusarão de impiedade, sacrilégio, blasfémia, profanação, desacato. De tudo isto é capaz quem não tem o mínimo pejo em aceitar e colaborar nos tais espectáculos estilo cecil b. de mille, como foi o revoltante show do funeral daquele que deveria ser o representante da humildade e da pobreza, sobretudo quando comparado com o funeral do rei da Arábia Saudita, um dos homens mais ricos do mundo, esse sim, um deus terreno cuja riqueza mundana e fraqueza humana lhe permitiriam, sem escândalo, um sepulcro de ouro em vez da campa rasa. (Continua).

       (adao cruz)

(adao cruz)

Comments


  1. Caro Adão, bem sei que as boas regras da blogosfera recomendam que se faça um comentário mais ‘sólido’, bem constituído. Mas, para já, só me apetece dizer: excelente.

  2. Adalberto Mar says:

    e voilá, mais uma vez fui censurado…o meu blog a este post foi bloquado!! Volta salazar que já me habituei ao fascismo!

  3. Luis Moreira says:

    Caro aventador, eu ao contrário acho que a “ideia” da existência de Deus torna melhor o Homem. Essa besta capaz de tudo.E um mundo melhor é razão bastante!

  4. Adalberto Mar says:

    Luís já somos dois e muitos milhoes…e tenho pena de quem nao consegue acreditar..é duro viver num mundo niilista!

Deixar uma resposta