Para o Miguel

Caro Miguel
Como podes não ir lá ver, deixo aqui como post, o último comentário.
Cá em Portugal, há muito que a igreja devia estar no seu lugar. Ninguém a quer tirar do lugar que lhe pertence, dentro de um estado laico democrático. Sejamos sérios. Ninguém quer mandar a igreja para a fogueira, como ela sempre fez. E hoje, apesar do vaticano ainda o fazer, por outros meios, a igreja não o faz às escâncaras porque não pode, senão a inquisição era de novo realidade. Ninguém tenha dúvidas sobre isto. Há neste momento uns laivos medrosos de intenção governamental de definir os dois papéis. É um passo, muito pequenino mas é. A igreja esperneia, como qualquer um esperneia se lhe mexem nos privilégios. Que esperneie à vontade. Veja-se o que aconteceu em Espanha. É necessário firmeza, razão, compreensão e humanidade por parte do estado, e aceitação da mais democrática lógica por parte da igreja. Sem qualquer tipo de violência. E eu acredito piamente, que a haver violência ela não virá de um estado cauteloso em matéria tão delicada, mas será, não tenho dúvidas, instigada pela própria igreja. David Yallop, um dos mais creditados jornalistas de intervenção, diz, na última página do seu livro, e após inúmeras provas, que é prática corrente do vaticano”encobrir, mentir, prevaricar e negar” para atingir os seus fins.

Comments

  1. Miguel Roxo says:

    Eu custa-me a ”ver” crianças a morrerem como morrem todos os dias e a engolir que uma viagem do Papa a Portugal de 3 dias custou tanto dinheiro. Se Cristo viesse novamente ca abaixo quem eram os ” vendilhoes ” ?
    Obrigado pela dica

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.