Vamos à próxima?

Escolhi este vídeo, entre tantos bem profissionais e de grande qualidade, para assinalar o 12 de março de 2011.

Porque é uma simples captação de imagem, se calhar com um telemóvel,  feita no meio da multidão. O 12 de março foi assim, sem profissionalismos, com instrumentos de comunicação muito primitivos (mesmo dentro das redes sociais a coisa foi um bocado naive), onde uma multidão de gente que foi dando uma ajudinha espontânea.

Porque apanha os Homens da Luta, cuja vitória no festival das cançonetas foi um ponto fundamental na mobilização, brilhantes e inexcedíveis no aproveitar do tempo de antena para espalhar a notícia. Houve quem desse por isso, já sem tempo de correr atrás do prejuízo. E o 12 de março foi alegria, seja a luta assim enquanto puder ser.

Isto foi o 12 de março. Muito à portuguesa, juntaram-se vários acasos e o povo saiu à rua. Voltará a acontecer? Há agora muito mais motivos para isso. Só faltam os acasos.

PS: fantástica a ideia do Público:  ir buscar como “especialistas” para comentar o 12 de março dois apoiantes do governo de então, no fundo tal como os 1% dos únicos que não foram para a rua. Nesta senda aguardo que Luís Filipe Vieira e Pinto da Costa sejam entrevistados para uma análise séria e objectiva das equipas adversárias.

De pé, ó vitimas do júri

A luta continua, e fica comprovado: a Europa não gosta de nós. Quero uma jangada de pedra, a flutuar por aí. Até ao Brasil.

(aqui entre nós: desculpem lá, mas a classe operária feminina, a camponesa nem tanto, na década de 70 arejava as pernas. era uma concessãozita, minimal, e tinha ajudado. isso e um decote)

Actualização: Brainpool, vão prá Eurovisão que vos pariu e para o corno que a amansou.

O Festival Eurovisão e os Homens da Luta

Por causa dos Homens da Luta fiz o que há muitos anos não me lembro de fazer: estive a assistir ao Festival Eurovisão (semifinal). Uma xaropada de todo o tamanho, um hino ao mau-gosto europeu, pimbalhice pura.

Os Homens da Luta não se apuraram. Podia ter sido ao contrário que a minha opinião não mudava um milímetro. Aquilo é tão mau que ninguém pode orgulhar-se de ganhar. Só participar, já envergonha.

Filhos de uma grandessíssima luta

O portuguesinho anda sempre muito preocupado em ser bem-comportado quando se devia revoltar, ao mesmo tempo que vive obcecado por quebrar regras sem importância em nome de direitos irrelevantes, o que o leva a não respeitar filas ou a deitar lixo para chão.

Os “Homens da Luta” conseguem o milagre de herdar o espírito de revolta que nasceu com o 25 de Abril, atacando o comodismo burguês, e, pelo caminho, ridicularizam a própria imagem dos que cultivam o espírito de revolta e cultivam, na clandestinidade, o mesmo comodismo burguês. Para usar uma expressão associada ao Jel, com os “Homens da Luta” vai tudo abaixo.

É verdade que, hoje, em Dusseldorf, não vão representar Portugal. Para o fazerem teriam de tentar imitar o pior que se faz na Europa, só porque é o que se faz na Europa. Pelo contrário, os “Homens da Luta” continuam, pelo menos, a abanar o país do respeitinho, o país que vive preocupado com o que vão pensar de nós, o país que, para ser o bom aluno, chegou a um ponto em que é muito menos país do que era.

Para o ano, espero que sejam os “Ena Pá 2000” a ganhar o Festival. Luta que os pariu a todos!

 

Hoje é dia de luta, com alegria

Como e quem pode votar na Eurovisão, meia-final de hoje:

1 – Não é permitido votar no país onde se está a ver o programa. Por exemplo, quem está em Portugal não pode votar na canção portuguesa.

2 – Só podem votar na Semi-Final 1 (10 de Maio às 20 h de Portugal) os 19 paises a concurso mais a Espanha e o Reino Unido.

3 – Cada pessoa (telef) só pode votar 10 vezes.

4 – Os portugueses que estejam num dos países abaixo referido devem sintonizar o canal que nesse país estiver a transmitir o evento e votar através do número que aparecer no ecrã para votação. A canção portuguesa acaba em 16 seja qual for o país.

5 – Só quem estiver nestes países pode votar na canção portuguesa:

Polónia, Noruega, Albânia, Arménia, Turquia, Sérvia, Rússia, Suiça, Geórgia, Finlândia, Malta, Sam Marino, Croácia, Islândia, Hungria, Lituânia, Azerbaijão, Grécia, Espanha, Reino Unido.

Os três tristes e os Homens da Luta


– Não é uma canção para representar Portugal na Eurovisão – afirma o Calvário.

– A RTP devia “enviar canções com um cariz mais étnico” – tossica o Cid.

– Onde é que estão os poetas e os músicos do meu país? – pergunta a Oliveira, Simone.

Não há pior surdo do que aquele que não quer ouvir. Três representantes do nacional-cançonetismo* (enfim, o José Cid nem tanto) aflitos só pode ser bom sinal. A Luta é Alegria. No ano de Portugal na UEFA, vamos ver se a inteligência repete o feito na Eurovisão.

Circo já temos, e pão não vai haver. Siga para bingo.

* Nacional-cançonetismo, expressão consagrada na década de 70 para designar o que hoje chamamos pimba.

Os Homens da Luta na Eurovisão

Já dão nas vistas (ler este artigo no Guardian).

Espalhem a notícia por quem conheçam na Europa (só se pode votar neles para lá de Vilar Formoso). E deixo a conferência de imprensa, hilariante, em Mourinho’s style, diz o gajo:

parte 1

[Read more…]

E o coelhinho, pá?

Luta Luta, o 12 de Março pelos Bandex

O 12 de Março remixturado pelos Bandex. Sim, já havia Bandex antes de meterem Sócrates a cantar para Não Dizer Mentiras. Dedico esta à direita que se tem lambido com um vídeo em que Sócrates olha sempre para a esquerda, e não é por causa do teleponto.

E por falar nisso, já temos um Movimento 12 de Março (M12M), que a luta é contínua e continua.

O Povo é que Paga

 

Homens da Luta respondem a Miguel Sousa Tavares

Festival da Canção.

Não vi o festival da canção e só hoje ouvi a canção vencedora. Anda por aí uma gente que acha que canções não são cantigas, sempre à espera de encontrar Mozart num disco da Ágata, Camões numa letra do José Cid, Pavarotti na voz do Zé Cabra.

Este ano, depois da vitória dos Homens da Luta, vai por aí um desassossego de virgindade ofendida, gentinha que diz não se sentir representada, pindéricos que acham pelintra a cantiguinha que vai à eurovisão envergonhar o país, críticos iluminados que falam em falta de qualidade “artística”. Devem estar a gozar (e eu pensava que os homens da Luta é que estão no gozo): um país que põe no topo das vendas de discos Tonys Carreiras, Quins Barreiros e afins ficar próximo da apoplexia com o resultado de um festival que ninguém segue e a que ninguém liga, exceptuando os envolvidos, é giro e dá prazer ver.

Vamos lá a ver a última dúzia de lálálás que ganhou o Festival:

Estas sim, eram canções a sério, com estas sentia-mo-nos representados, estas de pelintra não têm nada e estão cheias de qualidade artística, topa-se logo ao primeiro acorde.

Pró ano também concorro com uma composição séria, rica, artística e de elevada complexidade conceptual, dedicada ao mar e a quem labuta. Vou chamar-lhe Os Homens da Lota. Vai ser uma alegria.

Homens da Luta: O vídeo da vitória e a letra de um Hino Político para toda a Europa

«A luta continua quando o povo sai à rua!»

É uma verdadeira canção de intervenção dirigida aos portugueses e a todos os europeus, com todos os ingredientes das «velhas» músicas de intervenção do 25 de Abril. Aqueles que foram detidos e agredidos durante um comício de José Sócrates levantam mais uma vez a voz. Contra a reacção, contra o capital. Pela luta.
Na Alemanha da Sr.ª Merkl, os Homens da Luta vão dar nas vistas. E não sei se não estaremos perante um fenómeno à escala europeia. Pois é, a luta continua e de onde menos se esperava.
«Vem celebrar esta situação e vamos cantar contra a reacção»

HOMENS DA LUTA – A LUTA É ALEGRIA

«Por vezes dás contigo desanimado
Por vezes dás contigo a desconfiar
Por vezes dás contigo sobressaltado
Por vezes dás contigo a desesperar

De noite ou de dia, a luta é alegria
E o povo avança é na rua a gritar [Read more…]

A luta é alegria

Aquela coisa pindérica chamada Festival RTP da Canção volta a ter alguma piada por obra e graça dos Homens da Luta, que insistem em concorrer.

É ouvir e votar.

Monarquia ou República – só mudam as moscas

Monarquia ou República – só mudam as moscas.
Claro que a República é um regime infinitamente mais justo. É o povo que escolhe o seu representante máximo e não uma família que se eterniza no poder não se sabe por que motivo. Mas na prática, na prática vai dar ao mesmo.

No dia de hoje, os «Homens da Luta» foram os únicos a estar de Parabéns.

A Luta Continua!

No dia em que uma grande maioria de blogs em Portugal avança para o primeiro round da batalha por um outro governo (a próxima terá de ser na Praça da Liberdade no Porto!), ficamos a saber que o caso Face Oculta continua a espantar-nos. E que o Mário Crespo continua na crista da onda. Isso e o PSD a preparar-se para preparar o futuro já em Março. O tempo urge.

A Luta Continua!

http://rd3.videos.sapo.pt/play?file=http://rd3.videos.sapo.pt/zq6FUqclYvbtDCYAIZty/mov/1

Como hoje é Sábado…

Ficamos a saber que Menezes não é candidato a líder, seguindo o exemplo de Marques Mendes e de Marcelo. Já só falta Aguiar Branco e Paulo Rangel. Já MFL prepara-se para juntar os trapinhos com José Sócrates.

Entretanto, Pinto da Costa bate recordes no Youtube e o Liedson ficou a saber que pode andar à batatada que nada lhe acontece, direitos de mercenário, segundo Duque.

Por fim, os Homens da Luta perderam a guerra e cortaram-lhes o pio. Mais um problema para a Justiça. Até o Twitter anda atarefada por estes dias e já nada é seguro. O que vale é que Cavaco quer um final feliz.

Continuação de bom fim-de-semana…

Leituras

Como eu gostava de ter escrito ISTO

ISTO devia ser de leitura obrigatória em todos os cursos de Jornalismo!

Nem de propósito ESTA notícia.

Não se faz ISTO!

E como aplaudo ESTE post!

Ao voto cidadãos

Neto e Falâncio no Festival da Canção

Homens da LutaLuta Assim Não Dá

Eu já votei. Está à espera de quê?