Cheira-me a papel rasgado!

A Manuela Ferreira Leite quis dar uma nota acima do seu registo e saíu-lhe um “rasga” que tem sido mote para muita conversa.

O Engº Sócrates já tirou a conclusão que o PSD vai retirar os apoios sociais aos mais pobres e aos desempregados. Como se isso fosse possível!

Mas isto recorda-me uma deliciosa estória que se contava na minha juventude, acerca de uns bravos que se tinham enredado nos prazeres do teatro. Numa das cenas a D. Inês de Castro, rodeada pelas suas aias esperava pelo seu amor D. Pedro. Nisto entra um fogoso paio com uma carta, que dá a ler a D. Inês, que muito exaltada, a manda destruir.

Aqui, o nosso paio devia queimar a carta mas, para grande desespero de todos, tinha-se esquecido da tocha para lhe pegar o fogo. A D. Inês percebe o problema e tem uma saída genial para a situação. E grita, rasga-a antes que D. Pedro saiba do que seu pai, El-Rei de Portugal, é capaz!

Rasgada a carta, entra em cena D. Pedro que furibundo, grita:

Cheira-me a papel rasgado!

Enfim, o espectáculo, que era um drama, deu numa gargalhada geral.

Comments


  1. […] mesmo grupo de teatro do “Cheira-me a papel rasgado” estava afadigado em ensaios para a “premiére”. Um dos rapazes, por evidente […]