Aguenta-te Saramago

Há milhões de gajos que estão contigo, admirando a tua coragem. A igreja já não tem puto de credibilidade, no seio de todos aqueles que pensam e consideram a razão a sua maior riqueza. As vozes que da igreja se levantam contra ti, na lenga-lenga do costume, já não chegam ao céu. Ficam pelo caminho, caiem de “estelo” como costuma dizer-se. Os argumentos da igreja, de tão corriqueiros, de tão frágeis quanto absurdos, não se aguentam nas canetas. Classificar, entretanto, as tuas palavras como “operação de publicidade” para aumentar a venda de livros, é baixo e soes, e é uma maneira muito reles de denegrir e diabolizar a mente de um homem que pensa muito a sério pela sua própria cabeça. “Um escritor da craveira de Saramago deveria ir por caminhos mais sérios”, argumentam. Isto é, devia ser politica e religiosamente correcto, dizer amém as todas as patranhas e perversidades da igreja e cantar o Avé. 

Perante tudo o que se vê e tudo o que se sabe, a igreja devia fechar a boca e estar caladinha. Que respeito pode merecer uma comunidade religiosa, que na véspera do julgamento sobre abusos sexuais, decide declarar a falência da diocese de Wilmington, para impedir o julgamento e o pagamento das indemnizações e evitar as escandalosas páginas dos jornais? É a sétima (?!) diocese dos Estados Unidos a recorrer a este expediente. Havia receio de que as indemnizações a dar a oito vítimas fossem tão grandes que inviabilizassem as compensações a mais 133 vítimas (?!). Segundo Thomas Neuberger, advogado de 88 vítimas, a falência é “um esforço desesperado para encobrir a verdade e impedir que milhares de páginas de documentos escandalosos” se tornem públicos. E continua dizendo “este pedido é o mais recente e triste capítulo na história de décadas de encobrimento destes crimes condenáveis, para manter em segredo a responsabilidade e cumplicidade do abuso de centenas de crianças católicas”. Muitos milhares, se incluirmos a irlanda, austrália etc. etc.

 

Outras dioceses já evitaram as indemnizações, declarando falência (a primeira foi a arquidiocese de Boston, em 2002). A diocese de Wilmington, até agora, pagou 6,2 milhões de dólares e a arquidiocese de Los Angeles desembolsou em 2007 a quantia de 660 milhões de dólares, para “compensar” 508 (?!) vítimas. É caso para perguntar o que anda a igreja a fazer neste mundo. E todos sabemos que em matéria de crime aquilo que se vê e se sabe é a pontinha do iceberg. Mais uma vez nos perguntamos se a igreja católica não será a instituição que alberga mais pedófilos e pervertidos sexuais, no mundo. Porque é que ninguém fala disto, (isto sim, que cobre de vergonha a face da igreja) e todos caiem em cima de Saramago, que não faz mal a ninguém, e apenas transmite aquilo que pensa ser a sua verdade?

 

E vêm agora estes senhores dizer que Saramago é um malandreco, que deveria ir por um caminho mais sério (!), que não deveria entrar no caminho da ofensa (!) que Saramago é confrangedoramente ingénuo e incapaz de reconhecer o valor das obras que estão entre os grandes textos do património literário da humanidade. Saramago pode não reconhecer o valor dos grandes textos literários da humanidade, mas reconhece com certeza o valor da dignidade do ser humano. Não me gozem meus senhores. Deixem o Saramago em paz, que sabe muito bem o que está a dizer, e que, apesar da idade, tem uma lucidez e uma dignidade que faz muita falta à mentalidade esclerosada e anquilosada da hierarquia da igreja.

 

 

 

Comments


  1. Como é que um texto tão grande pode ser tão redutor?


  2. Quanto à igreja (hierarquia) estamos completamente de acordo.


  3. que parvoíce de texto. Coisas de blogs colectivos – olho para coluna autoral e tenho pena.


  4. jpt, aqui cada um pode ter opinião. Se vir eu escrevi, sobre o mesmo assunto, coisas bem diferentes. E o José Magalhães tambem.


  5. E o Nuno Castelo-Branco também. Chama-se pluralismo. Uma coisa que até nas religiões, nas correntes não fundamentalistas, já há.

  6. maria monteiro says:

    em 1963 –Luther King “… Se a Igreja dos nossos dias não recuperar o espírito de sacrificio da Igreja primitiva, perderá a sua autenticidade, atraiçoará a fidelidade de milhões de pessoas, e será remetida para a posição de clube social irreverente, sem qualquer significado para o século XX. Todos os dias encontro jovens cuja decepção com a Igreja se transforma em desgosto puro e simples….” Neste nosso século XXI parece que tudo vai de mal a pior em relação à Igreja Católica…


  7. Maria, sobre a hierarquia da igreja acho que há acordo. Não há acordo é sobre o que representa a Igreja (casa de Deus) para os desafortunados. Podemos brincar com as centenas de milhar de pessoas que vão todos os anos a pé, a Fátima? Não podemos! Saramago, ofende os crentes para vender livros. Está correcto? Não está!


  8. Luis Moreira Pensando assim, a igreja também ofende quem não é crente. O direito de ser crente é rigorosamente igual ao direito de o não ser. Longe de mim brincar com a fé de quem quer que seja, nomeadamente dos que vão a Fátima! No entanto, se têm o direito de propalar o milagre aos sete ventos, eu tenho o direito de propalar aos sete ventos a negação e o ridículo de tal coisa.


  9. Caro JPT, De que tem pena quando olha para a coluna de autores?

  10. maria monteiro says:

    Luís, dentro da própria Igreja há quem ache as idas a Fátima a pé, andar no recinto de joelhos ou rastejar uma dor desnecessária… prefere-se que as promessas sejam em dinheiro ou velas… Não está correcto, não senhor porque… quem mais ofende os crentes vive intramuros…  


  11. Era o que faltava, Luís, que o Saramago não pudesse criticar e ironizar com a Igreja Católica. Seja para vender livros, seja para o que quiser.

  12. isac says:

    mas há aqui qualquer confusão. as palavras do Saramago não são dirigidas à Igreja Católica, são dirigidas à Bíblia. É uma confusão natural mas totalmente errada misturar religião e Igreja Católica. Muitas religiões têm como fundamento a Bíblia e a Igreja Católica é apenas uma delas. E este é um erro crasso do Saramago. Não está a ofender a Igreja, está a ofender as religiões que têm por base a Bíblia.


  13. Com efeito, ao olhar para a coluna autoral, é mesmo cego quem não vê lá a miséria estampada.

  14. maria monteiro says:

    Isac, isso é verdade … como tal deve ser promovido um encontro Inter-religioso a nível mundial … onde além de se analisar “Caim” se promova a Paz… com alguma sorte até Saramago seria candidato a receber também o Prémio Nobel da Paz


  15. Caro Isac um abraço Estamos na mesma. Saramago é contra as religiões, do mesmo modo que eu, consideradas fenómenos e mundividências nefastas e negativas, em nossa opinião. Qualquer pessoa tem o direito de analisar e contestar qualquer religião seja ela qual for, e da maneira que entender. Mas ninguém tem o direito de ofender quem quer que seja pelo facto de ser crente e religioso. São coisas completamente diferentes. Eu respeito escrupulosamente o pobre mas não tenho qualquer respeito pela pobreza. Respeito escrupulosamente o ignorante mas não tenho qualquer respeito pela ignorância. Apesar de ser ateu e anti-religioso, tenho muitos pacientes e amigos, padres e freiras e até bispos, que sabem o que sou, gostam de mim como eu deles e nunca houve entre nós qualquer desrespeito.

  16. isac says:

    esses encontros já existem há muito tempo. Mas não é para debater o Saramago de certeza. Isto é uma gotinha no oceano das polémicas religiosas.Mas essa do Saramago candidato a Prémio Nobel da Paz, eu pagava para ver!


  17. Achar que Saramago pode fazer publicidade ao livro com um escarcéu à volta da Bíblia, abre caminho à irresponsabilidade e à falta de respeito. Hoje mandaram-me um vídeo com uma banda qualquer a tocar ao vivo em palco, e um jovem casal a fazer sexo em cima do palco em frente da multidão.Devem vender muitos bilhetes, mas aquilo não é música, é pornografia (pode ser música celestial, mas isso é outra coisa…).Não compreendo como defendem a venda de livros, usando estes meios…


  18. Ele não ironizou com a religião, mas sim com a Biblia, como refere o Isac. A Biblia, merece mais respeito. É o mais belo livro que alguma vez li.É o único livro que li mais de uma vez (para além dos que fui obrigado).Saramago é um traste, está cheio de ódio, de mal com a vida. E para além disso a sua vida não é modelo para ninguem.


  19. Adão, se Saramago seguisse esse modelo que aí descreves, a forma como te dás aos teus doentes e amigos, ele não teria tanto ódio acumulado.


  20. Ó Luis, a mim, merece-me mais respeito a Biografia Oficial do FC do Porto do que a Bíblia. É tudo uma questão de perspectiva. E quem goza com a minha Bíblia é um traste.


  21. eu estive em dois encontros Inter-religiosos de Assis … no primeiro foi tudo novidade, tudo muito verdadeiro, tudo muito especial… o segundo teve um sabor a cópia do primeiro…   O esforço que Saramago faz para que as diversas religiões dêem as mãos e caminhem seguindo a Bíblia é de quem merece que ao da Literatura se junte o da Paz Quando isso acontecer eu faço a reportagem :- )


  22. Falando francamente, que é para isso que os blogs existem, o texto é miserável intelectualmente (começando pelo facto de reduzir as declarações de Saramago sobre  Bíblia e Corão) à Igreja Católica (e seus mandos e desmandos actuais) Do que tenho pena é de ver o nome do meu grande professor Raul Iturra, uma das poucas pessoas que em Portugal escreve (muito e bem) sobre religião e sociedade, e obrigatoriamente sobre a Igreja católica, misturado com esta indigència apartizanada. É óbvio que o pluralismo opinativo é salutar. Mas a desqualificação não o é. E as associações deste tipo nada mais são do que isso, desqualificadoras dos qualificados


  23. tentei colocar o comentário em resposta ao meu anterior, lamento o falhanço formal


  24. Luis, conheço mal o Saramago, mas nunca vi, nunca li, nunca ouvi nada que me fizesse ver esse ódio e esse traste que vês nele. Tem alguma contundência, é certo, mas tanto quanto sei, o que diz é fundamentado. Como escritor tenho-o em muito bom conceito. Quanto à bíblia, nem de longe nem de perto lhe devoto o respeito com que a referes. Merece o respeito de um documento histórico, que está longe de traduzir a verdade que atravessou os séculos, tem muitas normas e passagens perversas que não são de aceitar, é um livro que pode ser estudado e contestado por quem quer que seja, e nada tem de sagrado, como é óbvio. A não ser para quem o queira tomar como tal.

  25. maria monteiro says:

    falando francamente gostei do “obrigatoriamente sobre a Igreja Católica”


  26. O qualificado JPT tem pena. É pena.Mas vá lá , finalmente disse qualquer coisa que se veja. Insista JPT, não se faça rogado, aqui os desqualificados estão à espera de mais qualificações. Estamos todos à espera de novas oportunidades.

  27. maria monteiro says:

    (Re)comecei a ler a Bíblia em 2001 e, tal como no principio, continuo a ser muito critica em relação a muitas passagens bíblicas … gosto especialmente de alguns Salmos, do livro da Sabedoria, de Amós, Oseias e Actos dos Apóstolos.   O primeiro livro que o meu filho leu de Saramago foi “as intermitências da morte”  a partir daí ficou cliente… Hoje ele começou a ler “Caim”  enquanto eu procurava as passagens bíblicas para debatermos … às vezes fazemos um trabalho assim colectivo.., é saudável e digo que em nada Saramago me/nos ofendeu com a sua escrita Ps O meu filho no próximo domingo vai fazer o Crisma e toda esta polémica da Igreja é o melhor exemplo do que é não sermos pessoas entre as pessoas


  28. Miguel Dias acho que há limites para a canelada tonta. Se não aceita que um comentador, ainda que discordante, possa elogiar o gabarito [a “qualificação”] de um dos seus co-bloguistas é uma questão sua (vossa). Mas é lamentável. [Em adenda à comentadora que referiu gostar da minha expressão “obrigatoriamente da igreja católica”, apenas para me melhor exprimir: quis dizer que para quem tanto e tão bem escreveu sobre religião e sociedade portuguesa (a temática) obrigatoriamente tem que o fazer sobre (e muito) sobre igreja católica e sua doutrina. Era uma expressão descritiva, sem implícitos]


  29. Mas , JPT, e então? ficamos assim? A qualificaçaõ esta aonde? Se foi para dizer que foi aluno do Raul, nós já sabíamos que ele é bom, foi por isso que o convidamos.


  30. E, já agora, veja lá o português, fechou ou abriu a destempo os parêntises.. escolha..


  31. Luís Moreira, explicito porque parece que V. não compreende: 1. o texto é uma miséria intelectual. 2. o Raul Iturra não merece estar tão mal – pelo qualidade do texto – e vilmente – pela incapacidade que têm em aceitar um elogio a ele dedicado – acompanhado. Só para si: o gozo com erros ortográficos ou sintácticos para desvalorizar o argumento alheio é o grau zero do intelecto. Tanto faz que seja erro mesmo ou mera falha distraída como agora me aconteceu, que erros também os faço. É recorrente no bloguismo, muito em particular nos simples bloguistas trauliteiros. Mas para quem quer utilizar essa baixaria ao menos, sublinhe lá o ao menos, convém não fazer ele próprio erros ortográficos quando quer amesquinhar outros por distracções que cometem. Aprenda com os “qualificados”: o seu pobre “parêntises” inexiste. É “parêntesis”. Baixa argumentação para mero ridículo seu. Condiz com o ambiente do post, diga-se.


  32. Tenho aqui, no Aventar, criticado negativamente o Saramago pelas algumas das posições que toma, nomeadamente no que se refere à defesa que faz da anexação de Portugal pelo estado espanhol. reconheço que nem sempre as posições públicas dele serão muito defensáveis. No entanto, nunca deixei de dizer, e repito-o, é um grande escritor, dos melhores de sempre em língua portuguesa. Como escritor, tem o direito de falar de tudo. Mesmo dos textos ditos sagrados. A Igreja Católica dá opiniões a respeito de tudo, do profano e do sagrado, mas não tolera que outros comentem o que considera intocável. Parece ter vontade de lançar uma fathwa, como fizeram os iranianos com o Salman Rushdie. Por isso, Adão, no essencial dou-te razão – Deixem o Saramago em paz, deixem-no escrever. Não compreendo tanto rancor. Será que quem diz que os portugueses são invejosos, tem razão? O facto de um de nós ter ganho o Nobel, torna-o alvo do ódiocolectivo? E há outra coisa: bem sei que estamos num blog, mas não suporto que se façam críticas a coberto de pseudónimos ou de iniciais anónimas – revela cobardia e falta de carácter. Um abraço Adão.


  33. Ó Luís, tu já leste a Bíblia? Toda? De seguida? Olha que Deus Nosso Senhor mastiga quem não diz a verdade! E é o mais belo livro que já leste? Andas a ler pouco. Eu, que fui lendo a Bíblia a prestações (já a devo ter lido toda, mas não garanto), gostei bem mais da »Montanha Mágica», do Thomas Mann, ou do «Memorial do Convento». Mas gostos não se discutem.


  34. Caro JPT, Como fundador deste blogue, tenho o máximo orgulho que os comentadores teçam elogios aos nossos autores, seja o professor Raul Iturra ou outro. Mas hás-de compreender que não podemos gostar que se refiram ao Adão ou a qualquer outro autor da da forma que o fizeste.  Uma coisa é discordar da opinião, outra é diminuir, apoucar, rebaixar através de comparações. Aqui, somos mais de 20 e não há duas pessoas iguais. Abraços.

  35. maria monteiro says:

    a “m” sou eu mas com a pressa só ficou o m maria


  36. Carlos, li a Biblia aos solavancos, e depois fui lendo, é um texto extraordinário, não sei como o podes comparar ao Memorial do Convento que é o melhor livro do Ssaramago.


  37. JTD, o Adão, é médico, poeta, pintor, escreve muito bem, tem uma série de talentos que você na sua pressa não conseguiu adivinhar. E saia de cima da burra.


  38. ok. Apouquemo-nos pouco. o meu comentário inicial foi mais do que sucinto. A reacção faca-na-liga e aglutinadora (“a nossa lista mete pena”) decerto que não cabe. De resto a questão de reduzir isto aos padres violadores já foi aqui abordada, mesmo por co-bloguistas. Deus Nosso-Senhor nos perdoe


  39. Obrigado Carlos Loures e um abraço. Já cá faltava algum lenitivo, que diabo!


  40. Obrigado Luis pela elogiosa intervençaão.Mais uma aspirina, neste caso mais um anti-emético. Um abraço


  41. Um abraço Ricardo, sobretudo pela tua correcta e pedagógica “calibração”.


  42. Também não sei como fui comparar uma obra-prima da literatura com um livro escrito aos solavancos, com algumas passagens bonitas, poéticas até, mas cheio de superstições e de conceitos que só são admissíveis por terem sido escritos em épocas tão remotas (e diferentes). A Bíblia, literariamente, é uma manta de retalhos. Quem a lê com devoção, vê coisas que lá não estão. Quem, como eu, a leu sem preconceitos, não pode deixar de lhe notar as falhas e os os remendos que forams sendo feitos ao longo dos tempos. Tens razão, como pude eu comparar a Bíblia com o «Memorial do Convento»!

  43. maria monteiro says:

    nessa escrita aos solavancos é de estranhar que não haja referência à vida de Jesus dos 12 aos 30anos… parece que a manta de retalhos ficou com alguns buracos… só chegou ao número 73 que são os livros da Bíblia  

  44. xico says:

    Saramago não ofendeu a Bíblia nem a Igreja. Dizendo o que disse emitiu uma opinião a que tem direito. Fazendo-o da forma como o fez, ofendeu sim a cultura! Toda a arte e expressão cultural, a moral que norteia os nossos códigos, tudo o que somos ou rejeitamos, são de alguma forma moldados também por esse livro. O teor do mesmo será criticável e deve mesmo ser lido de forma crítica. Saramago ao destruir o valor literário, civilizacional e cultural desses livros, ofendeu a cultura. ALGUÉM LEU OS HORRORES DA ILÍADA? NÃO DEIXA DE SER O MAIS BELO LIVRO QUE ALGUMA VEZ LI E MATRIZ, TAMBÉM, DA NOSSA CULTURA.


  45. “que parvoíce de texto. Coisas de blogs colectivos – olho para coluna autoral e tenho pena.”não há dúvida que em matéria de caneladas tontas vocelência é altamente qualificado. Pena é que não se lhe conheçam mais qualificações. Um argumento, uma refutação minimamente estruturada ao que o Adão escreveu, e ninguém tinha de tirar a faca da liga, acredite.É que ainda por cima, no meu caso, não gosto nada, mesmo nada do texto do Adão. Não comentei porque tenho mais do que pensar do que nas boutades do Saramago (prefiro os livros). Aliás acho toda a polémica tão relevante como as piadas da Maitê.


  46. pensei que abaixo o seu colega teria encerrado este bate-tecla. Mas não, pelos vistos. Fique ciente de algo, a única qualificação que aqui reclamei foi a de não gozar com erros ortográficos alheios enquanto eu próprio os faço. Para símbolo de parvoíce chega. O resto tem a ver com ombrear, nada mais do que isso. Passo …


  47. Caro Luís , não posso disfarçar o interesse que me suscitou o vídeo a que alude. Pedia-lhe o favor de nos indicar o vídeo ou pelo menos a banda. Se não o quiser fazer por aqui pode enviar a informação para albanocoelho@yahoo.com . Gostaria de analisar se é como diz somente pornografia ou se é música com pornografia. Não obstante a música (como qualquer arte) pode ser também pornográfica e a pornografia artística. Pois se até a Bíblia que tanto defende tem passagens pornográficas…

Deixar uma resposta