Egipto, Tunísia e Países Árabes: a Revolução Dominó

Depois de fazer tudo o que os tiranos sempre fizeram nestes casos, -a velhinha repressão musculada, detenções arbitárias, etc. – o regime de Hosni Mubarak avançou com as medidas que os tiranos de hoje em dia tomam e cortou o acesso à internet e telemóveis. Mohamed ElBaradei, que regressou ao Cairo e se colocou ao lado dos protestantes, parece estar em prisão domiciliária (segundo a Antena1 há momentos), ao contrário do que afirmam notícias como estas.

As confrontações estendem-se já a várias cidades do país e vão continuar a alastrar. Depois da Tunísia e do Egipto, as manifestações por uma mudança de poder começam a fazer ouvir-se no Iémen e noutros países árabes.

Sem pretender fazer futurologia e sem arriscar prever o que se seguirá ou que tipos de regime surgirão, é certo que a geografia política do Norte de África e Médio Oriente está a mudar nestes dias. Está a fazer-se história nas ruas e assistimos em directo a uma revolução-dominó.

Adenda: Confirma-se a prisão domiciliária de ElBaradei. Últimas notícias afirmam que acaba de ser instaurado o recolher obrigatório e que viaturas blindadas ocupam agora o centro do Cairo.

Comments


  1. Uma posição interessante e nada invejável a dos EUA.

    O Egipto é o segundo maior receptor de ajuda externa proveniente dos Estados Unidos (logo a seguir a Israel). O Mubarak saiu bastante caro de comprar!

    Temos assim este capital todo empatado que não é de menosprezar. Será que os Americanos estão dispostos a comprar o senhor que se segue? Será que ele é passível de ser comprado? Será que Israel afrouxa um bocado a trela? Muitas perguntas…

    Depois,temos o facto dessa coisa de ter regimes democráticos ser uma chatice, especialmente quando vão contra os nossos objectivos e tudo leva a crer que nestes países os regimes que hipoteticamente irão emergir, se as revoluções tiverem sucesso, não vão ser muito amigáveis das politicas americanas no médio oriente.

    Vamos esperar para ver se o Obama é mesmo pela mudança e apoia a democracia, ou se é apenas fogo de vista e continua a politica dos seus predecessores. Na minha opinião é apenas fogo de vista dado que as políticas americanas são definidas a longo prazo e a cabeça falante que está na casa branca pouco nada influi nessas políticas (o facto de ser democrata ou republicano tb não tem grande importância). Vamos ver…

    Já agora, tenho estado a acompanhar o seguinte recurso que é actualizado quase ao segundo:

    Update on Egypt revolution

    (Refrescar a página para obter novas noticias.)

    Edição:

    O Secretário da Imprensa da Casa Branca está neste momento (20:40) a sofrer um bocado para responder diplomaticamente às perguntas dos jornalistas:

    Briefing by Press Secretary Robert Gibbs

    Isto está a ser extremamente interessante!

    Edição II: O homem acabou de falar. Ao que parece, depois deste tempo todo a administração americana ainda não sabe muito bem o que fazer…

Trackbacks


  1. […] nas ruas oferece.  Se, no caso egípcio, a democracia triunfar, e atendendo à natureza viral destas manifestações, poderemos assistir à democratização-dominó do Norte de África e de alguns países […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.