As ofertas de escola

Não, ainda não – as escolas não estão a oferecer nada!hb29

Trata-se apenas do nome dado ao processo de selecção dos professores contratados pelas escolas nos dias que correm – há um professor que vai para a reforma, que fica doente, etc…, e então a escola abre um processo para escolher o “novo” docente  – a isto foi atribuído o nome de ofertas de escola.

Felizmente (digo eu!) o MEC resolveu colocar alguma ordem nestes processos e minimizou as possibilidades dos  Directores das Escolas e dos Agrupamentos, hoje fortemente envolvidos nas dinâmicas partidárias locais, poderem escolher quem queriam. Uma vezes até poderia ser pelos melhores motivos, mas em parte significativa dos casos conhecidos a amizade era um bom motivo… [Read more…]

Concurso para profs e formadores do IEFP

Se querem a minha opinião, a estratégia do Governo é simples: despedir formadores e colocar nos seus lugares as sobras dos quadros de pessoal docente (horários zero) do MEC. Mas aí está o concurso – acaba amanhã.

Alunos ainda sem professor

E o melhor de Nuno Crato continua a chegar à Escola Pública!

Claro que tudo isto agrada ao Primeiro-Ministro Vitor Gaspar e ao seu adjunto, Pedro Passos Coelho – sempre são uns milhares do lado da d-e-s-p-e-s-a…

Já sei que vão ler isto como o discurso do sindicalista e blá, blá, blá

Mas, pelo menos por uma só vez dediquem  um bocadinho do vosso tempo a olhar para o essencial – Nuno Crato inventou uma nova forma de colocar Professores. Qual é o resultado?

Chegamos ao fim de Novembro e ainda há professores por colocar – deixo-vos um exemplo para não vos incomodar com casos pessoais .

Admito que possam, neste momento, estar a pensar que a culpa é das Escolas ou dos professores – uns porque não desenvolvem os procedimentos mais correctos e outros porque não querem trabalhar! Errado!

[Read more…]

Vinculação Extraordinária – parece que adivinhei!

Hoje foi dia de Negociações no MEC, ou antes, foi dia de reuniões.

Pela manhã escrevi que:

O concurso pode ter as regras mais fantásticas, pode permitir a milhares (muitos, talvez 50 mil!) a apresentação a concurso, mas se não existirem vagas, para que serve o concurso?

Parece que foi em cheio – o MEC vai permitir que todos (ou quase) concorram, mas, pequeno detalhe – continua a não anunciar as vagas.

Já sabemos quem vai poder bater à porta, mas continuamos sem saber quem vai poder entrar.

A culpa é do Pinto da Costa

Confesso que este é o fim de linha da argumentação de qualquer benfiquista que se preze, o que não é o meu caso.

Mas estou tentado a aderir. Palpita-me que na questão em apreço, das duas uma, ou é coisa do Gaspar ou do Pinto da Costa.

E qual é a questão?

Estava a ver que nunca mais perguntavam!

As ilegalidades nos concursos de professores, que tive o cuidado de trazer à cena neste palco e onde procurei explicar mais ou menos a coisa:

Ministério de Nuno Crato deixou as escolas e os Directores às escuras durante dois meses e só esta semana deu indicações sobre os procedimentos a seguir – naturalmente houve escolas que seguiram um caminho e outras que fizeram outras opções. Umas tiveram a sorte de acertar, outras não.

E nesta coisa da sorte e do azar, o Pinto da Costa costuma ter um papel central e daí a minha dúvida.

Para os Directores, a coisa é simples: a culpa é do Crato. Espero que ninguém na ANDE tenha um gato. Quer dizer, não tenho nada contra o felídeo, não me parece é muito correcto que depois de um Gaspar nos apareça outro gato com necessidade de aconselhamento psicológico. [Read more…]

A justiça na Vinculação Extraordinária

Quanto mais penso na proposta do Ministério da Educação para colocar Professores nos quadros através do mecanismo de vinculação extraordinária, mais fico convencido que se trata de uma mão cheia de coisa nenhuma.

Na proposta apresentada o MEC define apenas as regras de um concurso, nada mais que isso. O MEC limita-se a dizer que vai abrir um concurso a que se podem candidatar os professores com 3600 dias (quase 10 anos) de serviço nas escolas públicas, desde que tenham trabalhado num dos três últimos anos.

No entanto, se houver dez mil candidatos, mas só existir uma vaga, só um docente entrará nos quadros, isto é, a proposta do MEC provavelmente não vai dar em nada. No entanto, por mero exercício teórico vamos procurar sistematizar algumas das reacções que se vão conhecendo, também por aqui.

[Read more…]

Ofertas de escola – confirmam-se as ilegalidades

Sim, outra vez as ofertas de escola.

Só numa escola, segundo a SIC, são 40 os docentes que, com um mês de aulas, têm que deixar os seus alunos, uma vez que o concurso aí realizado foi ilegal.

O Ministério de Nuno Crato deixou as escolas e os Directores às escuras durante dois meses e só esta semana deu indicações sobre os procedimentos a seguir – naturalmente houve escolas que seguiram um caminho e outras que fizeram outras opções. Umas tiveram a sorte de acertar, outras não.

Esta foi também a semana da 6ª colocação de professores, no que à Reserva de Recrutamento diz respeito! Imagem, no entanto, que um mês depois das aulas terem começado, o meu filho continua sem Professor de Educação Física.

Durante um mês foi um ai jesus nas Direcções das escolas e um pouco por todos os cantos onde existe um professor desempregado.

Mas, apesar das colocações semanais e dos esclarecimentos há um facto que continua a ser verdade: há alunos nas escolas sem professores e professores em casa, despedidos, sem alunos.

Que Educação é esta Nuno Crato?

Que raio de Plano Inclinado tens tu?

Ofertas de escola – já há colocações canceladas

As denúncias foram sendo feitas das mais diferentes formas e ontem, no Público, foi possível ler que o MEC teria já em curso um processo para resolver a questão das Ofertas de escola.

Hoje mesmo a  DGAE publicou uma Circular que procura colocar alguma ordem na trapalhada geral, havendo mesmo escolas que já foram notificadas para cancelarem as colocações anteriores.

Se me permitem, da Circular destaco esta maravilha:

“Não são admissíveis subcritérios (…) critérios de selecção em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território, religião, convicções políticas ou ideológicas, situação económica, condição social ou orientação sexual. “

Sr. Director de Escola, faça o favor de se chegar à frente

É assim que diz a Lei e só se espera a sua aplicação na íntegra.

Não foi por falta de aviso:

uma vez:

“o respeito pela Lei (nota de curso + tempo de serviço) foi escasso e a norma foi dar a volta à coisa para colocar quem se queria. Nuns casos, por bons motivos. Mas, na maioria simplesmente porque sim. Justificam-se por isso os alertas feitos em tempo útil pela FENPROF, mas, como quase sempre, boa parte dos professores só percebe o incêndio quando o fogo lhes chega ao traseiro”

outra:

Para ajudar à festa, o MEC resolveu obrigar algumas escolas a desenvolverem um concurso interno (ofertas de escola) para os lugares ainda em falta – a confusão estalou

E outras vezes mais!

Parece que afinal havia qualquer coisa de errado e os concursos vão mesmo ser repetidos. Seria EXCELENTE se os Senhores Directores, sempre tão zelosos a dar cabo da vida ao pessoal, tivessem agora que assumir a sua incompetência!

Sr. Ministro Nuno Crato, a minha única exigência é:

– Cumpra a Lei! Faça com que os Senhores Directores paguem as cunhas partidárias, dos amigos, das clientelas…

Professores: A verdade dos números

O consulado Cratino no MEC tem sido marcado por uma enorme capacidade de despedir professores conseguindo desse modo uma mão cheia de nada:

– por um lado não reduz a despesa: os desempregados vão receber subsídio de desemprego, logo, juntando a ausência do pagamento de impostos com o decréscimo do consumo, temos um saldo económico desastroso, tal como a macro-economia tem mostrado;

– a escassez de recursos humanos está a transformar as escolas numa coisa estranha, uma espécie de terra de ninguém – por um lado os desempregados que desesperam por uma colocação e por outro os mais velhos que desesperam por não poderem sair;

E o despedimento de professores, que já vem de longe, não é um slogan de blogue ou uma palavra de ordem de uma qualquer manifestação – é uma realidade. Vejamos alguns números: [Read more…]

Reserva de recrutamento 5

Aí está mais uma lista com colocações de Professores.

E por favor, desta vez, não se esqueçam de fazer a aceitação electrónica!

Ainda há alunos sem professor – é por aqui que está a reduzir a despesa sr. Crato?

Os concursos de professores são um tema tão recorrente que se torna complicado escrever sobre o assunto, mas a realidade consegue sempre surpreender, até os mais atentos. Como por aqui escrevemos há umas semanas, neste momento as escolas estão envoltas numa enorme trapalhada – as ofertas de escola.

Neste processo burocrático, as escolas através da plataforma electrónica do Ministério da Educação, divulgam as suas necessidades e os professores mediante o que cada escola vai pedindo – de um simples (ou nem por isso!) portefólio até uma entrevista – vão tentando obter uma colocação para trabalhar.

Há escolas onde o destino é fatal e o nome do colocado é conhecido antes do concurso abrir – há quem lhe chame cunha. Eu prefiro dizer que é uma ilegalidade e que por isso tem que ser denunciada.

Ironias de outros destinos – as escolas que optaram por fazer tudo direitinho estão metidas num poço sem fundo.

De acordo com a lei (artigo 39º) o Director tem que ir “chamando” os candidatos em “montinhos” de cinco – depois pode acontecer uma de três coisas: [Read more…]

Reserva de Recrutamento 4

Aí está mais uma lista de colocação ou melhor, da falta delas: DGAE acaba de publicitar a Reserva de Recrutamento 4.

Reserva de Recrutamento 3

Aí está a Reserva de Recrutamento, neste caso, a 3ª : retirados, contratados, docentes dos quadros.

Sim, trata-se de mais uma lista de colocações de professores – a primeira e a segunda foram expressões máximas de angústia e de sofrimento – todos queriam ver o nome nas listas de colocação, mas nada…

Não se espera que as listas de hoje possam trazer qualquer tipo de novidade – serão mais do mesmo.

Até ao momento o MEC contratou 9581 docentes, havendo mais uns milhares em ofertas de escola – mas, sempre, muito menos gente a trabalhar do que nos anos anteriores.

Ah! Quase me esquecia – não se esqueçam de aceitar na aplicação.

Concursos de Professores: As ofertas de escola

A maior empresa do nosso país, o Ministério da Educação e Ciência, tem por hábito fazer a contratação dos seus quadros através de um concurso nacional, onde à nota de curso (formação inicial ou estágio profissional) se junta o tempo de serviço, à razão de um valor por cada 365 dias de trabalho. Ou seja, um Professor faz uma licenciatura em ensino com classificação final de 13, quando trabalhar 365 dias, essa graduação profissional sobe para 14 e assim sucessivamente.

Nos tempos de Maria de Lurdes pelo Ministério foi sendo feito um ensaio de modo a transferir parte deste processo de colocação de professores para as Escolas – argumentava-se à época que seria completamente irracional, do ponto de vista da gestão de recursos humanos, que fosse um computador a atribuir o professor à realidade escolar b, quando esta precisava era de um professor com as características b. Ajustar a oferta (professores) à procura (escolas) era a ideia. [Read more…]

Incompetência deste governo

Há muitos sinais, ou antes, há muitos e variados factos que provam a incompetência dos boys que nos dirigem.

No Ministério da Educação, um ex-comentador, voltou a provar que afinal é possível repetir os erros do passado: fazer, nos concursos, um trabalho ao nível de Maria do Carmo Seabra.

Mas há mais.

São ainda milhares os alunos sem professor nas nossas escolas públicas.

Verdade!

Há mais de 40 000 professores desempregados em casa!

E há milhares de alunos nas escolas ainda sem professor!

Alguém entende isto?

 

Hitler explica o que se está a passar nas escolas

A autêntica fraude que têm sido os concursos para professores contratados (que são feitos escola a escola, mas este ano com regras que deveriam impedir os directores de contratar quem muito bem entendem, desprezando a classificação dos professores e cheirando a cunha por todos os lados), muito bem explicada em mais um vídeo hitleriano.

via Arlindo

Continuam as trapalhadas, ilegalidades e imbecilidades nos concursos de professores

Admito, caro leitor, que começa a ser um exagero esta coisa dos concursos de Professores. Mas é tão estranho o momento, que só os dedos nas teclas permitem alguma paz.

No dia 31 o Ministério colocou uns milhares de professores. Sabemos agora que cerca de 1500 estão mal colocados! Há escolas com professores a dobrar, docentes colocados em escolas a centenas de quilómetros da que seria a sua justa colocação e até há um professor aposentado colocado em Braga.

Há de tudo, como na farmácia.

Para ajudar à festa, o MEC resolveu obrigar algumas escolas a desenvolverem um concurso interno (ofertas de escola) para os lugares ainda em falta – a confusão estalou, cresceu e agora chegou a indicação do MEC: tudo suspenso até ordens em contrário.

Já não chegava a vergonha que foi o tratamento aos docentes dos quadros durante o verão.

Já não era suficiente os mais de quarenta mil desempregados.

Ainda era preciso isto!

O que diria o comentador Nuno Crato no Plano Inclinado?

 

Ofertas de Escola estão suspensas?

Nos concursos de Professores, são tantos os erros e as confusões que o MEC acaba de enviar para as escolas uma informação dando nota da suspensão das ofertas de escola. Mais informações em breve.

Colocações de Professores

Na DGAE; No SPN; Na FENPROF; No Arlindo; Nos Profs Lusos;

 

Pelo NOSSO futuro, façam a VOSSA parte

Hoje abdiquei de um dia bem especial por uma causa maior. Aquela a que decido parte da vida há uns anos. Os Professores e a Escola Pública. Saíram as colocações.

Estive na Avenida dos Aliados no Porto para, em tempo real, mostrar ao país a vergonha que Passos Coelho, Paulo Portas e Nuno Crato trouxeram para as nossas escolas.

Sobre o desemprego provocado, por opção, subscrevo integralmente o António Nabais.Voltarei com uma reflexão pessoal mais tarde.

Por agora queria só partilhar a minha tristeza pela TUA ausência! Sim! A TUA que és Professor e que preferes o silêncio da tua casa, ou os likes no face, os comentários nos fóruns e nos blogues e que teimas em não perceber a importância da  rua!

Preferes bater nos sindicatos e em especial na FENPROF – hoje é um bom dia para me dizeres onde andam as outras amostras de sindicato- em vez de fazeres a tua parte.

Hoje é um daqueles dias! Eu faço a minha parte! Posso fazer mal, mas faço! Pode ser uma atitude ingénua e até pouco eficaz. Admito que sim, mas até prova em contrário não estou a ver outra melhor.

Qual foi a tua desculpa para hoje? Dentista? Compras? Micose?

Como costumo dizer, estou “efectivo à porta de casa“, a minha parte está feita, mas nem por isso perco uma (uma que seja!) oportunidade de lutar.

E tu? O que tens feito por ti? Acorda! 

Nota: desculpem lá a azia, mas o power volta na segunda-feira.

 

Listas de colocações de Professores

– No site da DGAE

– No site do SPGL

– No site do SPN

– No Arlindovsky

Um terço do dia já passou e nada

A angústia de milhares de famílias continua.

Eu confesso que votei na pior das maldades – o MEC vai deixar o dia correr e deixar esvaziar a cobertura mediática que o desemprego terá na comunicação social. Além disso, deixar para o último momento do último dia do mês de agosto era coisa para acontecer no tempo em que não havia computadores. Como se vê, agora é tudo muito mais rápido!

No Aventar, está tudo pronto para ajudar uns e outros – os que conseguem trabalho e os que vão ter que seguir outro caminho, mas o que é verdade é que até meio da manhã, nada e palpita-me que a manhã já vai longa em muitas casas.

Será este o Dia D? Seria bom se OS professores ficassem a saber hoje onde vão trabalhar – palpita-me, e já é o segundo – que só ALGUNS, poucos, ficarão a saber.

Continuo a acordar surpreendido com a atitude ingénua do MEC de fazer sair uma notícia de que vai vincular 8 mil professores aos quadros – desta vez é no Diário de Notícias e, neste dia, vem mesmo a calhar.

Como confessa o Governo, com 5 mil docentes dos quadros sem horário, como é que pode haver abertura para efectivar 8 mil?

Professores

No one has the answer we just want more

Boa sorte para todas e para todos!

Professores – o dia mais longo

Nunca o dia 30 de agosto foi tão amargo. E se calhar até foi, mas a memória de professor é mesmo assim – esquece facilmente, tal a quantidade de incompetentes que nos têm transformado a vida num inferno, um ano atrás do outro.

Falta um dia para que meia dúzia de milhares de professores dos quadros saibam uma de duas coisas: em que escola vão trabalhar ou, caso continuem sem horário, que na próxima segunda-feira terão que se apresentar na escola onde estiveram este ano para fazer não se sabe muito bem o quê.

Para os candidatos a um contrato o problema é bem maior e muito pior. Incomparavelmente pior. Uma parte muito significativa vai ficar sem colocação – e quanto a isso, não me parece que escrever por antecipação seja um problema. Como gostaria de amanhã ser desmentido pela realidade.

Os outros, os poucos que conseguirem um lugar, vão vacilar entre o que têm em mãos e outras ofertas a que se candidataram. Ao contrário do que se diz por aí, é possível rescindir e optar por algo melhor.

Tudo isto em cima do acontecimento – o arranque do ano letivo.

De 6ª para 2ª, milhares de portugueses vão ter que fazer as malas, deixar a família e partir. Ainda não sabem se para o Norte ou para o Sul, para mais perto do mar ou de Espanha. Não sabem se vão conseguir alugar casa ou um simples quarto, nem tão pouco o que vão fazer, que turmas ou anos vão leccionar. Nada.

Falta um fim-de-semana para começar o ano lectivo e há mais de 100 mil almas que neste país não sabem o que vão, profissionalmente, fazer na 2ª feira. A Escola Pública merece mais e o país precisa de mais e melhor Escola Pública.

Faz todo o sentido não aceitar este tratamento em silêncio e por isso, na 6ªfeira, às 18h vou estar no Porto, na Praça da Liberdade.

Já saíram as listas de colocação de Professores, vamos para a rua

São conhecidas as listas de colocação dos docentes que concorreram aos Açores.

Mas esta será a mensagem sobre o concurso para o Continente que todos vão querer ouvir e ler nos próximos dias.

A data prevista é a próxima sexta-feira, 31 de agosto e são muitos os milhares de professores que não fazem, ainda, a mais pequena ideia do que vai ser a sua vida na próxima segunda-feira.

Se para uns a questão é saber em que escola vão trabalhar, que alunos e anos vão ter, para a maioria a questão é bem mais grave – há ou não emprego?

Por mais que se concentrem nas ofertas de escola que estão a decorrer, essa é também uma solução pouco interessante porque as vagas podem (e serão!) ocupadas por colegas dos quadros que ainda estão sem serviço atribuído. O que deveria ter acontecido era um bocadinho mais de dignidade do MEC – publicavam as listas de colocações no dia 31 e no dia 3 abriam as vagas, em oferta de escola, que realmente o são.

É que quase todo o trabalho (imenso!!!) que estão a ter agora será simplesmente para nada.

Até por isso e porque 6ªfeira vai ser um dia bem especial penso que fará sentido que todos os professores se juntem, na rua,  ao fim da tarde. É o momento de mostrar ao país o que nos vai na alma!

Vais?

Professores sem férias

O ano de 2012 e o verão em especial ficarão na memória de todos os professores, dos mais novos, aos mais velhos, passando pelos que já não são nem uma coisa nem outra. Pelas características da organização do ano lectivo, em particular devido ao serviço de exames, as férias são uma realidade que só existe no mês de agosto para boa parte dos docentes.

Até aqui nada de anormal, não fosse o facto do patrão se lembrar de concentrar neste mês o processo de concursos, tornando as férias um pesadelo.

Depois das brutal trapalhada do concurso dos professores com horário zero, são ainda mais de cinco mil os professores dos quadros que a duas semanas do arranque do trabalho ainda não sabem onde vão trabalhar. Serão ainda mais os que conhecem a escola, mas não sabem o que vão fazer porque estão na posse de uma só certeza: não vão ter alunos para ensinar.

Como refere a FENPROF, há dez mil professores dos quadros com futuro incerto. Que país é este que se dá ao luxo de dispensar profissionais qualificados deste modo?

Mas há mais. [Read more…]

Concursos de Professores por mail e pelo telefone

E as férias especiais dos professores continuam, ainda que este seja o único mês do ano em que o podem fazer. Sim, isso mesmo – o nosso patrão só nos permite férias em Agosto e mesmo assim centra todo o processo de concursos precisamente neste mês, em mais uma exemplar demonstração de respeito pelos seus colaboradores.

Nos últimos dias, os professores que pediram Destacamento por Condições Específicas receberam uma mensagem de correio electrónico com o resultado desse destacamento – sugiro leitura da nota do ad duo sobre o assunto.

Por agora e até amanhã (dia 14 de agosto) é tempo dos Directores “pescarem” da lista de DACL (Destacamento por ausência de componente lectiva) os professores para quem verifiquem ter serviço. É a angústia, não do guarda-redes no momento do penalty, mas do professor à espera que o telefone toque.

Admito que estarão todos FARTOS destas coisas dos profs, sempre a dizer mal, sempre à volta com queixas, com isto e com aquilo…

Mas, de facto, que país é este que mostra este desrespeito por quem trabalha? Que governo é este que despede aos milhares  e que continua a dizer na televisão que isso são coisas sem sentido?

Durante quanto tempo mais, Mário Nogueira, terá que desmentir o Ministro?

Ainda os horários zero dos professores, uma explicação simples

Este é um verão estranho para os professores – é o único momento do ano em que podem ter férias e nem isso o governo permite. Para os que estão com horário zero (sem serviço atribuído) os últimos dias têm sido passados à volta dos concursos e dos erros, sucessivos, do MEC. Para os contratados é o precipício, com o Nuno Crato a insistir no passo em frente.

Mas porque é que Nuno Crato arriscou perder o capital político que tinha num processo tão complicado como o dos concursos?

Há, basicamente duas teorias, mas antes disso queria formular uma história que ajuda a perceber isto dos horários zero: [Read more…]

A luta dos professores chegou aos Jogos

Este Professor é um entre 13306!