That`s why Donald is a Trap

A eleição de Donald Trump é, até pela extensão do significado que tem além fronteiras dos EUA, matéria para todos os receios.

Todavia, convém não esquecer que Trump foi eleito e pelo mesmo sistema eleitoral que antes elegera Obama e, antes deste, Bush Jr., e antes deste, Bill Clinton, etc.

Continuo convencido que a eleição de Trump também se deveu, e muito, a uma  má escolha chamada Hillary Clinton. Fosse o adversário Bernie Sanders, e estou em crer que Trump não estaria na Casa Branca.

Mas foi como foi, e deu no que deu. E Trump o que está a fazer é nada mais do que tentar cumprir o que prometeu. E espero que continue a tentar (mas sem conseguir). Pela simples razão que quanto mais tentar cumprir o que prometeu, mais norte-americanos perceberão o erro que foi elegê-lo. E nestes incluo empresários e banqueiros, que não querem arriscar o fim do multilateralismo comercial e financeiro de que depende fortemente a economia norte-americana e o próprio dólar. Para não falar do mal-estar das relações entre os EUA e seus aliados e parceiros económicos, como é o caso do México e da Austrália, que só prejudica os negócios. Bem como com um dos seus maiores credores internacionais: a China. [Read more…]

Donald Trump anuncia a sua escolha para o Supremo

Aqui, em directo, na página de facebook da CNN. O tal que supostamente julgará Hillary Clinton num sumário pouco ortodoxo. Meanwhile, Hillary is probably pressing “delete”.

Elementar, caro Watson

Hillary teve mais votos do que Trump. Como diria a direita portuguesa, foi a candidata que ganhou as eleições. Aguarda-se a qualquer momento a declaração de Passos Coelho e de Assunção Cristas a apoiar Hilary Clinton, futura presidente no exílio.

image

Obrigado, FBI, deve Trump estar a pensar

Depois de uma América onde se fez caça às bruxas por causa dos comunas, eis um presidente eleito com apoio da Rússia e, possivelmente, no caso dos email, auxiliado pela pátria dos comunistas.

Boa sorte, planeta Terra!

dthc

Estamos a poucas horas de saber em que mundo viveremos nos próximos anos. As alternativas resumem-se a mais do mesmo, com uma Hillary Clinton a representar os interesses do costume, ou à entrada em cena de Donald Trump, um personagem bizarro, xenófobo, racista e mentecapto, preparado para semear o caos e fracturar ainda mais a controversa pátria do Tio Sam. Desolador.

Foto@People

Bilhete do Canadá – Atrás duma grande mulher

Todos sabemos, geralmente de ouvido, que atrás dum grande homem está sempre uma grande mulher. Foi assim com Bill Clinton e com Barak Obama. E aqui chegamos a esta coisa gira: Hillary já foi primeira dama e agora, não havendo azar, passa a ser presidente da República. Jornalistas bem dispostos do Canadá resolveram reinar com a situação e perguntam, deslavados, se Bill Clinton vai ser primeiro cavalheiro.  Mas reconhecem que, sendo ele muito macho, não vai conseguir encher o tempo com chás de caridade, hortinhas orgânicas, galinhas de campo com ovos cheios de saúde (a fazer inveja à Senhora Maria do Salazar, se ela ainda por cá andasse).  Ninguém está a ver o Bill, dizem, na tv a cantar louvores ao mel orgânico e à dieta vegetariana. Para isso, Michelle Obama é que é uma artista, garantem os ditos jornalistas. E solícitos, sugeram que a Hillary deixe o Bill à solta e contrate a Michelle como primeira dama.

Dirão: mas, num momento tão sério, põem-se com estas graçolas?  Bom, é mesmo o momento de as inventar e dizer, assim como quem canta pela estrada deserta ou assobia no escuro.  Para espantar o medo.

A sério que há quem acredite nisto?

loucura

À beira de cavalheiros como aqueles que seguram esta bizarra faixa, os profetas da desgraça que por cá temos são autênticos meninos de coro. Existirem pessoas mentalmente sãs que acreditam que Vladimir Putin e Donald Trump podem fazer do mundo um lugar melhor, é extraordinariamente mais assustador do que a possibilidade de Trump chegar à Casa Branca, considerando que Putin ficará no Kremlin enquanto lhe apetecer e lhe for possível manter o poder. Não quero imaginar o que será viver num mundo em que as duas maiores potências militares são governadas por estes tipos. Não é que Hillary Clinton me inspire grande confiança. Mas entre uma potencial má presidente e um lunático, a escolha torna-se fácil. Resta saber se o mundo está a salvo de pessoas que acreditam em barbaridades como esta. Para maluquinhos já nos chegam os fanáticos religiosos.

Foto: Vittorio Zunino Celotto@Expresso
%d bloggers like this: