Happy New Year, Feliz Ano Novo, 2010!

O ano está a terminar. Um ano e uma década que ficam para trás. Para mim foi um ano cheio e uma década activa.

Nasceu o Aventar e com ele regressei aos blogues colectivos, conheci outras pessoas e aprofundei a amizade com um dos seus mentores. Ao mesmo tempo, congelei o meu doutoramento e disse “adeus”, por uns tempos, ao jornalismo. Profissionalmente foi um ano intenso, inacreditavelmente enérgico. Um ano com três eleições, imensas inaugurações e outras tantas iniciativas de todo o género. O país, a Europa e o Mundo, sobretudo estes dois últimos, viveram uma das piores crises económicas da história e a pior para a minha geração. Quer dizer, Portugal em crise? Bem, nesta década foi sempre assim, de mal a pior. A minha região continua a bater recordes negativos para desespero de todos. O Douro continua a ser a excepção, crescendo a todos os níveis: económicos, turísticos e culturais. O Douro e o F.C. Porto, o grande vencedor da década (Taça UEFA, Champions League, Ligas, Taças de Portugal, Supertaças, Campeão do Mundo de Clubes, etc.). Nesta década nasceu a minha filha e neste ano começou, a sério, a sua vida escolar. Em termos musicais foi a década dos Sigur Rós; em termos culturais destaco o renascer do movimento cultural portuense cujo expoente máximo é, sem dúvida, a Miguel Bombarda e toda a zona envolvente. Em termos internacionais, o 11 de Setembro vai marcar toda a primeira década do século XX e o que significou, significa e significará de mudança para o Mundo. A eleição de Barack Obama foi um marco em 2009 e veremos como será no futuro. Esta foi a década de crescimento da influência política da Europa no contexto internacional e da afirmação do Euro no mercado doméstico e mundial. A Índia, o Brasil e a China, sobretudo esta última, são os novos gigantes económicos. A internet com a Microsoft, a Apple, o Google, o Youtube e todas  as restantes redes sociais, sem esquecer os telemóveis e toda a imensa panóplia tecnológica que nos rodeia e que marcaram estes últimos anos. Hoje escrevo num computador minúsculo, utilizo um telemóvel sem teclado e mais pequeno que o meu maço de tabaco, ouço música num aparelho do tamanho do meu mindinho que consegue armazenar mais de 1500 músicas!!! Todo um mundo novo. Que década e que ano de 2009.

Esta foi a década mais intensa da nova Era Digital e o princípio do fim da Comunicação Social como nos habituamos a ver ao longo das últimas décadas. Será, porventura, o sector económico mais atingido pelas alterações deste novo mundo. Mas, o que se avizinha é melhor ou pior? Não sei. Penso nos próximos anos, em termos de comunicação social, como uma nova fase do “pensar global, agir local”, ou seja, uma corrente de concentração e uma contra-corrente de dispersão por nichos. As fusões vão continuar e, simultaneamente, teremos uma maior aposta na comunicação de e para nichos. A TDT será, para a televisão, o que a internet foi para a imprensa escrita e o futuro pode, a meu ver, passar pelo suporte global: televisão, telefone, iPod e internet tudo no mesmo dispositivo e sempre bastante portátil. Talvez.

Que venha 2010 e a nova década. Um bom ano para todos os aventadores, leitores e amigos.

Comments

  1. Luis Moreira says:

    …e o eixo já está a mudar da UE e dos US para os BRICS…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.