Bilhete do Canadá – Olha quem ele é

caa

O PSD, pela voz tronitruante de Carlos Abreu Amorim, pediu explicações sobre o novo cargo da ministra da Justiça como juíza do Supremo. Serena e educada, Francisca van Dunem explicou a situação. O paquidérmico Amorim deve andar a encher-se de vento com o trampismo americano.  Nada racista, como se sabe. A fazer pendant com o passado extrema direita do deputado.

Em contraponto, está o chefe do partido, o Passos Coelho: sempre azedo, sempre casmurro, sempre de trombas, a tartamudear desgraças que aí vêm, a pôr defeitos a tudo. Não há pachorra para aturar estes mecos.

Onde pára? No cartaz!

Parou  e inclinou, Bruno! O cartaz, claro.

inclinado2

Mas, ao que parece vai continuar viagem e não fica por cá.

Um boa notícia.

Não se conseguem umas senhas de almoço

ao senhor Candidato? Com o apoio da Igreja, por exemplo. E descontos para passageiro frequente na A1, entre o Porto e Fátima.

Gaia – Debate no Porto Canal (hoje)

Estas eleições autárquicas têm sido singulares no que ao tratamento televisivo diz respeito  e as últimas notícias confirmam, a três, essa ideia – as televisões não vão cobrir a campanha eleitoral pelo menos da forma tradicional (seja lá o que isso for). Percebo o argumento das televisões, mas tenho alguma dificuldade em os aceitar. Se por um lado admito que uma empresa privada tenha a capacidade de decidir o que faz com os seus recursos, penso que será também importante deixar claro que para o seu funcionamento é necessária uma autorização, certo? Para o exercício de uma função pública, não? Sim, é isso – estamos a falar de um instrumento que procura regular o mercado.

Por outro lado, não fica claro para mim quem sai a ganhar com esta medida – será que poderemos ter uma campanha mais verdadeira, mais pedagógica? Ou, pela falta de visibilidade, a qualidade das propostas e das mensagens vai ficar pior?

Faria algum sentido, até pelo primeiro argumento apresentado, que a SIC e a TVI (privadas) tivessem “coragem” para enfrentar a decisão agora conhecida, avançando com uma cobertura das eleições em função dos seus critérios editoriais.matosinhos

No entanto e antes que o post termine importa aplaudir uma dimensão positiva da decisão – não teremos que ver mais nenhuma argolada da 4ª escolha para Gaia. Infelizmente teremos que continuar a ver o candidato do PSD a discutir futebol, mas isso não é necessariamente mau, em função da cegueira que o caracteriza.

Ou se calhar até podemos – hoje, às 22h, no Porto Canal temos o debate entre os candidatos a Gaia.

Carlos Abreu Amorim

Foi a Fátima almoçar com os velhinhos, mas correu mal…

grijo em fatima com caa

Sondagem em Gaia

As sondagens são bissexuais, só pode  – estou absolutamente convencido que dão para os dois lados, mas servem vários aogaia mesmo tempo, o que as tornam uma espécie de meretriz bissexual. Sim, afinal, os seus préstimos são pagos por várias entidades, ou não?

As Brízidas Vaz da política são usadas por uns, os que estão em cima, como uma confirmação do caminho percorrido. Os outros, os que ficam por baixo, olham e coiso, ela é isto e ela é aquilo. E, são mesmo.

No entanto, não deixa de ser curiosa a parcialidade da análise – quando dá jeito, eis que os números mostram a qualidade de um candidato e da sua máquina. Quando o resultado sai furado, a máquina continua a caminhar para a excelência, o candidato é fantástico, mas a empresa de sondagens é que é uma daquelas que se vende a qualquer um.

E Gaia  – onde sou eleitor e daí a minha insistência na análise da sua realidade autárquica – foi um dos concelhos onde o Jornal de Notícias realizou uma sondagem sobre as intenções de voto para as autárquicas 2013. [Read more…]

Carlos Abreu Amorim: franqueza e liberdade*

482543_4659731492859_1811832316_n

Num mundo ideal, toda a franqueza e liberdade de opinião deveria ser sublinhada. Ou não. Não. Seria tão natural que nem sublinhada seria.

No nosso mundo, nada ideal, um deputado, mesmo independente, que critique um membro do governo que apoia, é logo apelidado de cínico. Mesmo que, a memória tem destas coisas, já o tenha feito antes mesmo de ser candidato ao que quer que fosse – o Carlos Abreu Amorim, no ano passado, tinha escrito (na sua página pessoal) e dito num programa da RTP, que não existia margem para novo erro por parte de Gaspar. Neste nosso mundo, cada vez menos ideal, num programa televisivo, o Carlos defendeu o governo durante 40 minutos e fez uma crítica de menos de um minuto e só essa vale. Só esse minutinho conta. Não é cinismo, são factos.

No mundo ideal, seria natural que quem defende um determinado ministro, lhe exija rigor. No nosso mundo, é uma demonstração de bipolaridade política. Sim, no nosso mundo, o tal não ideal, pessoas com a franqueza do Carlos são criticados por defenderem uma determinada posição e criticados pela liberdade de afirmarem que essa posição deixa de ser defensável se se persistir no erro dos números (e da realidade factual). Ou não fosse neste nosso mundo que o Povo tenha um ditado que é todo um tratado: “preso por ter cão e preso por não ter cão”.

Se tudo isto não é cinismo, é o quê? Eu respondo: Portugal…

*como contraponto ao meu camarada de blogue António Fernando Nabais.

O Regresso:

ng2366999

A escolha de Carlos Abreu Amorim como candidato a Vila Nova de Gaia é uma excelente notícia.

O actual presidente da Câmara Municipal de Gaia, Luís Filipe Menezes, demonstrou estar atento aos sinais e ter “faro” político. Quando Marco António Costa decidiu não ir a Gaia, naturalmente, multiplicaram-se as vontades e as ambições. Qualquer solução interna seria, como se viu noutros concelhos de Norte a Sul, abrir uma guerra de consequências nefastas. Como se viu nos primeiros dias. [Read more…]

CAA contra CAA

O blogger CAA escrevia no Blasfémias mas foi expulso pelo deputado CAA, o qual passou a escrever no seu lugar.

O blogger CAA mantinha os comentários abertos, produzia repetidas diatribes, como esta aqui ilustrada,  sobre as artimanhas de Sócrates e até dissertava num jornal, o CM, sobre o “declive ético e político” do PM de então.

Já o deputado CAA fechou os seus posts aos comentários, assobia para o lado face às trapalhadas do seu ministro Relvas e até se insurge contra um jornal, o Expresso, por causa de um texto humorístico do Comendador Marques de Correira, pseudónimo, o qual tanto malhou em Sócrates como o há-de fazer, suspeito, nos passarões deste governo. Já agora, que ninguém fale ao deputado CAA do Inimigo Público sob risco de lhe dar uma coisa má.

A quem souber do blogger CAA, que o incentive a correr com o deputado CAA por forma a que o blogger retome o seu lugar. “Face ao imparável declive ético e político” de Relvas, o primeiro faz falta. Pá.

Nota: Agora é uma boa altura para ler, ali mais abaixo, sobre a ambivalência dos partidos enquanto governo e oposição. É que os partidos são compostos por pessoas, não são?

72 horas sem ser oposição…

….é complexo. Eu perdi a inspiração. Já para o CAA deve estar a ser um martírio. Compreendam, é da falta de hábito 🙂

O JN, o Aventar e CAA

Como todos sabem, a relação entre o JN e o Aventar nem sempre foi pacífica. Se alguns aventadores não hesitaram em criticar o JN quando este o merecia, igualmente somos os primeiros a aplaudir quando é caso disso. E é.

A recente aquisição de Carlos Abreu Amorim pelo JN (e pelo DN e NS) é uma excelente iniciativa. Independentemente dos laços de amizade que nos unem, o CAA é um dos melhores comentadores políticos da actualidade e sendo um homem do Porto é lógico que a sua “transferência” do Correio da Manhã para o Jornal de Notícias foi uma decisão acertada.

Os meus parabéns ao JN, ao seu Director José Leite Pereira e ao João Marcelino: acertaram em cheio como se pode verificar pelo artigo de hoje.

Pela Liberdade…de todos mesmo quanto alguns se baldam.

Obviamente, eu compreendo a posição dos blogues do situacionismo. Nem deles, em coerência, se podia esperar outra coisa.

Obviamente, eu entendo o alinhar sem reservas do Aventar – um blogue onde convivem pessoas de diferentes ideologias, múltiplas proveniências e diversas experiências de vida só se podia esperar uma decisão em prol da Liberdade.

Obviamente, eu não compreendo a posição da esmagadora maioria dos membros do Arrastão. E menos a entendo quando leio a primeira das razões apontadas. Por me custar ver este tipo de sectarismo, quando no referendo sobre o IVG vi o Daniel ao lado do CAA sem que os parentes de um e de outro caíssem na lama. Não compreendo. Deve ser problema meu.

Obviamente, razões que a razão desconhece. E sim, sim estamos todos a falar do mesmo: LIBERDADE!

Albergue Espanhol

A coisa promete pois o elenco é de luxo! Não é uma casa de tapas mas cheira-me que vai tapear muito. É um novo blogue e que abre a casa aos fregueses já amanhã: Albergue Espanhol de seu nome. Olé!

Venham de lá essas postas!