Confesso: sou (também) um mau socialista

O texto é do Manuel Alegre e está no Público de hoje. Penso que vale a sua partilha integral:

O bom socialista é aquele que em diferentes circunstâncias diz as coisas sensatas que a direita gosta de ouvir: que é preciso rever a Constituição, fazer um pacto de regime, negociar um consenso com o Governo sobre as medidas de austeridade.

O bom socialista defende que “ o arco da governabilidade” se restringe à direita e ao PS.

O bom socialista revela abertura para um eventual governo de coligação com os partidos da direita, ou só com o CDS, ou uma reedição do “bloco central”.

O bom socialista é sensível, atento e moderno quanto à necessidade de imprescindíveis cortes e mudanças na Saúde, na Educação e na Segurança Social, tendo em vista diminuir o peso do Estado e dar lugar aos privados com apoio público.

O bom socialista aceita as “reformas” que tendem a transformar em assistencialismo a garantia de direitos sociais pelo Estado.

O bom socialista colabora em medidas que desvalorizam o trabalho em nome de um pretenso aumento da competitividade.

O bom socialista dá prioridade à estabilidade financeira em prejuízo do desenvolvimento económico e da coesão social.

O bom socialista aceita o aumento das desigualdades como consequência inevitável da globalização e considera que não há alternativa.

O bom socialista pensa que a divisão entre esquerda e direita não passa de um arcaísmo. [Read more…]

A quebra eleitoral do Bloco de Esquerda: factos

Roubei e adaptei este gráfico ao Pedro Magalhães: dá-nos a tendência das sondagens (neste caso relativas a BE, PCP e CDS) desde Janeiro de 2010. A seta coloquei-a no último pico favorável ao BE; a partir de finais do ano passado foi sempre a descer.

As sondagens valem o que valem (mas no caso do BE até valeram mais do que isso).

A quebra do Bloco de Esquerda e o início da pré-campanha de Manuel Alegre, feita de braço dado com o PS de José Sócrates, é pelo menos uma coincidência, que me parece significativa.

Más companhias…

Actualizando: o Pedro Magalhães teve a amabilidade e curiosidade de ampliar o gráfico de forma correcta, e substituí a mera ampliação gráfica pela sua. “A linha vertical é Novembro de 2010, início aproximado do declínio de Manuel Alegre nas sondagens para as presidenciais.” – fim de citação.

O viúvo alegre – fantasia barroca

A Viúva Alegre, de Franz Léhar

Narra a ópera A Viúva-alegre, a história de uma mulher que, para não sentir pena pelas tristezas da vida, se diverte: pinta-se, as suas roupas são coloridas, ama sem parar nem dar por isso ou propositadamente. Como as suas roupas, os seus amores são de sentimentos trepidantes e usa a artimanha do barulho para chamar a atenção. Conforme a sociedade manda devia estar vestida de preto, a cor do martírio do luto, a quem falece um marido amado. A ópera tem um autor, Franz Lehár (Komárno, 30 de Abril de 1870Bad Ischl, 24 de Outubro de 1948) foi um compositor austríaco de ascendência húngara, conhecido principalmente por suas operetas. Ele foi um dos maiores compositores da Áustria.

[Read more…]

Resultados das Eleições Presidenciais – primeiras previsões

O Aventar divulga em primeira mão as primeiras previsões:
Cavaco Silva – 52 a 58%
Manuel Alegre – 18 a 21%
Fernando Nobre – 14 a 16%
Francisco Lopes – 5 a 8%
José Manuel Coelho – 2 a 4%
Defensor Moura – 1 a 2%

Sondagens leva-as o vento…

Cavaco Silva com quase 60% de intenções de voto e 80% de pessoas que acreditam na sua reeleição mesmo que não votem nele, é desde já vencedor nas presidenciais.

Manuel Alegre muito longe e não fazendo o pleno do PS. Fernando Nobre fica-se pelos 12%. Os dados estão lançados. E para que isto se mantenha assim, Cavaco não mexe um dedo para ajudar o país a sair da situação. O mesmo se diga de Passos Coelho e de Sócrates. Um não sai, o outro não quer entrar.

PSD com 40% à beira da maioria, o PS com 34%, o PCP com 10%, BE com 8% e CDS com 5%, temos uma empate técnico entre a esquerda e a direita. Bonito serviço, só faltava isso, um país numa crise destas e não haver saída política. É o que acontece aos incompetentes!

É muito possível, se Passos não deixar que se enraíze a ideia que possa vir a mexer no Estado Social, que o descontentamento seja uma drenagem de votos do PS para o PSD, o pior está para vir, como a subida do desemprego é sinal.

Passos Coelho muito perto de ser o próximo primeiro ministro!

Mário Soares entre o PS e Fernando Nobre

Mário Soares não é de perdoar, longe disso, há muito que se sabe, um a um foi afastando quem se intrometia no seu caminho, incluindo “compagnons de route” de há muito tempo.

Agora a questão já não é entre Alegre e Nobre, é entre o PS e Nobre, Alegre já não conta para Soares o que não quer dizer que não dê a volta, mas vai manter-se nesta posição ambigua desgastando Alegre. Hoje apareceu com Nobre elogiando o discurso e o homem mas não dando apoio explícito, fica há espera do PS, sabe que há gente no PS que não está com Alegre, por isso só joga as cartas quando perceber o que vai acontecer no PS!

A sua candidatura de há quatro anos contra Alegre e com o apoio do PS redundou num fiasco e numa humilhação que Soares não esquece, vai contar os apoios e depois vai jogá-los quando se colocar a questão da substituição de Sócrates.

Eleições legislativas antecipadas?

Ninguem quer governar nestas condições, até porque tudo indica que a situação é bem pior da que os socristas nos querem fazer crer. O FMI já anda por aí, 50% de possibilidades de intervir, preparam-nos os próprios porta vozes do PS, o que quer dizer que é quase certo. O segundo PEC está em marcha, nos segredos dos gabinetes de Bruxelas, e na semana passada o país esteve novamente à beira de não conseguir fazer os pagamentos imediatos.

Mas o caminho é estreito, para não dizer que a curto prazo não há outro, enquanto não passa o olho do furacão é preciso que Sócrates beba o cálice do seu próprio veneno até ao fim. Pelo meio temos as Presidênciais o que tambem introduz contenção na estratégia de tomada do poder. No meio disto tudo, a identificação da situação com este desemprego e com as medidas que vão tornar-nos mais pobres, com o PS a ser identificado com tudo isto, arruma e destrói, de caminho, a candidatura de Alegre.

Mas logo que as coisas estejam concertadas, que se tenha batido no fundo, é muito possível que o reeleito Presidente da República marque eleições antecipadas. Quase certo, exige-lhe o PSD e a nação.

Entretanto, há vozes que tentam beliscar a candidatura de Cavaco, ameaçando apresentar um novo candidato no centro-direita. Só fazem isto porque sabem que a reeleição são favas contadas e chegam-se à frente por ainda não terem sidos convidados para a festança das mordomias e dos lugares bem pagos.

Há momentos, na SIC, vi Medeiros Ferreira, em directo, passar a extrema unção a Sócrates e a Alegre!

Presidênciais – Ovos no mesmo cesto?

Há quem diga que o povo português é muito intuitivo e sabichão e que será por isso que tem no governo um partido e na presidência o seu contrapeso. Um militante de outro partido.

A ver vamos, como diz o ceguinho, se é por ser prudente ou porque foi assim e ponto. É que o que aí vem é deveras engraçado e vai testar essa particularidade do bom povo. As sondagens indicam a quase maioria absoluta do PSD e, a ser assim, Cavaco não seria eleito, o que aconteceria pela primeira vez na política portuguesa, o Presidente em exercício não ser reeleito.

Há, aqui, uma janela de oportunidade para Manuel Alegre, o povo de esquerda todo à volta do poeta para contrabalançar o governo de Passos Coelho. E os vinte por cento que elegeram Sócrates e que agora lhe escapam para o PSD, vão votar Alegre, mesmo não sendo de esquerda? É que se não for assim Alegre não ganha, poderá ir a uma segunda volta, mas aí a situação será muito complicada. Ainda não haverá governo aquando das presidenciais, será muito dificil que o Presidente em exercício não seja reeleito, Alegre não obtem o pleno na esquerda, única forma de ganhar.

Mas se Cavaco ganhar os votos fogem ao PSD, atendendo à sabedoria do povo que não quer os ovos todos no mesmo cesto? Votam no PS exaurido, desgastado, sem soluções e a quem, nas sondagens, ameçam dar 26% dos votos?

Isto de porreiro não tem nada, pá!

Soares pouco Alegre

Hoje , no Aventar, vários posts falam sobre invejas e maus perdedores. A RDP transmitiu uma notícia afirmando que Mário Soares, convidado a comentar o possível apoio do PS à candidatura presidencial de Alegre, terá manifestado visível má disposição. Será inveja? Será  mau perder? Será outra coisa? Perguntem-lhe quando estiver mais alegre.

O PS desafinado!

Sócrates já não é o “animal feroz”, na sua própria equipa já há muita gente que desafina.

Pedro Adão e Silva : ex-secretariado nacional do PS: ao contrário do que parecia, quem vai sofrer mais com o PEC não são as classes médias, são as mais pobres. É dramático, mas o maior contributo para a diminuição da despesa é dado pela redução das transferências do Orçamento do Estado para a Segurança Social..”

Manuel Alegre, militante do PS e candidato à presidência da república: “Não me parece que haja neste PEC um suficiente esforço de partilha. Não é moralmente aceitável que enquanto se impõe o congelamento de salários na função pública haja gestores de empresas de capitais públicos que se atribuem milhões de euros de prémios e benefícios…”

João Cravinho, ex-ministro PS: ” O PS entrou numa deriva à direita que vai ser muito dificil fazê-la regressar sem que haja grandes alterações na própria direcção do PS. (…) Portas diz que certas privatizações só se podem fazer quando houver um regulador forte ou quando isso não criar situações monopolistas ainda mais graves. O Portas a dar lições de esquerda a Sócrates…”

Enquanto isto, Sócrates diz, com aquele ar de mentiroso patológico, que  vai ajudar a Grécia! Mas ajudar como e com quê?

Vitor Ramalho, presidente do Inatel e militante PS: ” Sou abertamente contra um conjunto de privatizações e de venda de participações em multiplas empresas. Os valores apurados em processo de privatização não vão diminuir o défice.”

Veja o vídeo após a aprovação do PEC !

Sócrates ja tem candidato! Levou-o para Moçambique…

Alegre lá foi com o primeiro ministro para Moçambique, não na qualidade de candidato presidencial, claro está, mas como membro do júri que premiou um escritor Moçambicano. Calculo que dentro do avião viajaram de costas para não haver tentações e de presidenciais nem pó…

Já podemos fazer as contas. Cavaco à direita e no centro, Alegre no centro e à esquerda (toda apesar dos candidatos fantasmas habituais…) e por cima deles, emergindo da sociedade civil, Fernando Nobre! Dito de outra forma temos o leque partidário todo contra o candidato da sociedade civil ! Vamos ver e ouvir muitas pieguices, pois o Nobre sim, é uma boa aposta mas não tem as estruturas partidárias por trás, não tem experiência ( como se algum dos outros tenha experiência dele) e por isto e por aquilo.

Entendamo-nos! Os partidos vão fazer essa conversa porque o pior para eles seria a sociedade civil conseguir derrotá-los, e quem não quer ver isto deve responsabilizar-se e meter a mãozinha na consciência. Muitos se queixam e bem, do autêntico sufoco dos partidos sobre a vida social, política e económica. Pois bem, aqui está uma grande oportunidade de aliviar esse sufoco e obrigar os partidos a serem melhores, nem que seja pelo medo!

Os nossos políticos são maus e oportunistas

Dia dos namorados… Um dia de contradições: o amor entre o povo e os dirigentes não existe e quando há um segundo para um beijo, é para o beijo da morte!

Há muito tempo que tenho defendido que O Problema de Portugal são as nossas elites – não é, ao contrário do que dizem os fazedores de mentes, o povo! Esse, procura sobreviver no meio da selva civilizacional em que nos tentam manter ano após ano.
Os últimos episódios em torno do sr. José Sócrates são a prova disso mesmo.
Há coisas que são factuais:
a) O Governo, através da PT, tentou criar um grupo de comunicação social com o objectivo de controlar a linha editorial;
b) O Governo sabia disto e faltou à verdade ou teve lapsos de memória quando disse que não sabia de nada.

Qualquer destas duas realidades é MUITO má e MUITO mais que suficiente para que a demissão fosse só o primeiro passo antes de um pedido de desculpas ao país.
Mas… eis que vemos o PS a clamar pela justiça… Ai Jesus, que as conversas são privadas (tanto como as do Prof. Charrua!)… E depois a oposição (TODA!) com paninhos quentes… Será que estão com medo de se queimar?
E, já agora, onde está o Manuel Alegre? [Read more…]

Manuel Alegre e Marcha católica dos passadistas

Hoje 31 de Janeiro começaram no Porto as comemorações do centenário da Republica, implantada em 5 de Outubro de 1910. Ali, falaram em sessão oficial o Primeiro Ministro e o Presidente da República.
Mas o mais interessante foi o discurso proferido por Manuel Alegre, num almoço de confraternização, onde disse que não era candidato de “nenhum partido”, que não era “salvador da Pátria”, que não ia interferir na governação quotidiana do Governo e que ia exercer a sua “magistratura de influência”, tã necessária, durante a crise.
Não deixou tambem de referir os jovens, para quem o futuro muitas vezes parece comprometido, mas falou também das “minorias”, o que é importante, e não deixou de referir a importância de Portugal na União Europeia.
Falou sobre as contas públicas que oneram o futuro do país e lembrou que Portugal precisa de um “projecto novo”, que lhe dê futuro.
Passamos agora para um outro tema que está a fazer a cobertura dos midia e que é o anuncio da manifestação promovida pelos antigos anti interrupção da gravidez e que nessa altura já anunciaram o colapso da familia, de que agora querem desfilar em Lisboa, no dia 20 de Fevereiro, em prol da “salvação da familia”, com a benção da Igreja, ou seja, anunciar outra vez mais do mesmo.
Já em Espanha, foi ensaiado também este modelo, aquando dos casamentos com Zapatero, e fracassou. Agora, vai ser reptido cá.
A defesa da famíla que esta manifestação propõe não é a da familia tal como deve ser hoje, com reconhecimento dos direitos da Mulher, no trabalho e em casa, e da paridade no casal. Não é a reivindicação para que se dêem aos jovens casais mais meios para poderem planificar o seu futuro familiar de forma independente, para que as mulheres tenham um papel igual aos homens na sociedade, e os homens em casa partilhar com elas os múltiplos afazeres domésticos.
Nada disso!                                                                                                                                         
É só para impedir o alargamento de um direito civil, o dos casamentos dos homens e mulheres.

Do Que Disse Pouco Interessa

O SENHOR ALEGRE BOTOU FALADURA
.

Já com as Presidenciais à vista, Alegre veio ao Porto discursar.
Diz não querer ser candidato em nome de nenhum partido, mas sem ele, PS, não irá longe. O BE, que o condiciona à esquerda, não chega para o levar para uma campanha ganhadora. O sr Alegre nunca poderá vir a ser um candidato para os Portugueses, embora o possa ser para alguns poucos.
O MIC, não chega para suprir a falta de uma candidatura apoiada pelo centro, que é essencial a um candidato, para vencer.

Por Estes Dias

Propositadamente afastei-me por alguns dias dos problemas nacionais, e deixei de escrever sobre o assunto.

A política, fosse a que nível fosse, cansava-me já. Tudo era a mesma coisa. Cada um a tentar prejudicar o outro, os primeiros a arranjar maneira de se beneficiarem ou aos seus amigos, os segundos a fazer exactamente a mesma coisa. Todos a calarem o que os pode vir a prejudicar, sem se importarem

Mas tive de voltar, não é o meu afastamento que melhora seja o que for. De facto, nada mudou, nem para melhor, nem para pior. E assim, volto a escrever, na esperança de poder mudar qualquer coisinha.

O Orçamento de Estado para 2010, é o que se sabe.

Um conjunto de inverdades, ajustadas com os parceiros políticos e com os adversários. Contas mal feitas ou demasiadamente bem feitas, de modo a que se não notem os buracos, promessas baseadas em números inviáveis, medidas populistas para calar a oposição e apaparicar o povo que, estupidamente, não quer ver as dificuldades que vão sentir logo depois, ou que simplesmente as não sabe ver. A ignorância do povo, ou a  sua incapacidade para decifrar as coisas, é muito boa para quem nos governa.

As despesas públicas não vão parar de aumentar e os proventos não irão deixar de diminuir, pelo que as dificuldades vão crescer e o aumento de impostos, a curto prazo, tem de ser inevitável.

As contas públicas apresentadas sobre o ano de 2009, até ao Governador do Banco de Portugal, surpreendem. Um deficit de 9,3% do PIB, não augura nada de bom para os anos que aí vêm.

A agitação social, é também o que se sabe. [Read more…]

Alegre confusão

O PS apoia Alegre formalmente, tendo à sua frente um ano político tão difícil, assim afrontando Cavaco Silva com quem necessita de ter uma “convergência” de objectivos, ou faz de conta que Alegre não existe e o BE fica com candidato?

Se o PS avançar com outro candidato e, assim repetir, a “dança” de há quatro anos, dá de bandeja a vitória a Cavaco que está em funções e em vantagem.

O PS sabe isto tudo, mas a tentação de “uma maioria, um governo, um Presidente” doença de que também sofre o PSD, faz hesitar muita gente dentro do partido.

As medidas económicas e sociais que o governo vai ser obrigado a tomar, para manter as contas públicas dentro de certos limites, vão levar o “poeta” com a sua voz de barítono, a criticar duramente as medidas. Se não as criticar perde o apoio do BE e de muita gente descontente por atingida pelas políticas de racionamento económico. Se as crítica, o que é sempre fácil para quem está “de fora”, perde o apoio da parte do PS que apoia o governo de Sócrates.

A confusão é tanta que António Costa tentou hoje fazer “a quadratura do círculo” com evidente atrapalhação, metendo as mãos pelos pés, ele que só ganhou Lisboa porque se juntou às tropas de Alegre.

Por outro lado, se o PS avançar já com o apoio, vai ter que intervir nas picardias que Alegre vai lançar, na tentativa vã de fazer Cavaco Silva vir a jogo.

Um ano de distância é tempo demasiado para um governo que está em funções e com uma vida difícil. Alegre sabe isso melhor do que ninguém. Então porque avançou já? Não é certamente para tornar ainda mais difícil a vida ao governo.

Só há uma explicação. Alegre não tem nenhum compromisso por parte de Sócrates que o PS o irá apoiar!

gostos literários não se discutem mas o meu é o maior porque quem lê sou eu

De Manuel Teixeira Gomes li vários livros até à última página. Já de Manuel Alegre não posso dizer o mesmo. Nunca consegui acabar nenhum.

Afinal há um motivo para a escolha do local . Portimão. Comemoram-se a partir deste fim de semana os 150 anos de Manuel Teixeira Gomes. Antigo Presidente da República e também escritor. Um olhar de soslaio pelo programa das comemorações ( a partir de Domingo) revela também que o Presidente da Comissão de Honra é quem? Aníbal. Aníbal Cavaco Silva, o Presidente. E mais? Acompanham Ramalho Eanes e Jorge Sampaio. Dois ex`s. Agora junta-se um ex-quem-sabe-futuro.

Teresa Dias Mendes, correio preto