Das duas uma:

Ou o Pingo Doce vendeu abaixo do preço de custo e isso é crime, ou então nos outros dias todos anda a roubar os portugueses e isso também é crime.

Qual é a sua opção?

E não me parece que tenha sido o fim do mundo! O fim da vergonha ainda estou como o outro… Ainda bem que o Pingo Doce é uma empresa holandesa.

Os Zombies no Pingo Doce

Os neoliberais contentinhos com o êxito passageiro de Soares dos Santos poderão ser os humanos do futuro, carne para os zombies de agora.

Sérgio Lavos, com ilustração.

E compraram camisinhas?

Ao ouvir a reportagem na televisão, com as repetidas perguntas sobre o que tinham os entrevistados comprado, havia uma questão que não me saía da cabeça. A quem é que raios interessa que a senhora Mirculina tenha comprado fraldas, óleo e alcachofras? Grande jornalismo, sem dúvida.

Bebe, Fuma, Toma, Chupa, Consome, Mata a Fome

Mama mama

Papa papa

Bebe bebe

Fuma fuma

Toma toma

Chupa chupa-upa-upa [Read more…]

De Janeiro a Janeiro, o Ano Inteiro…

Um dia morremos todos atropelados nas compras e nem damos por isso. Gosto disto

A promoção do Pingo Doce explicada aos otários

Pelos próprios que se estão a rir da ignorância, do rebanho formado pelos que hoje se engalfinharam nas lojas Pingo Doce.

Baixa-se de um lado, aumenta-se do outro, e na volta até pode pagar mais caro.

via Miguel Madeira

Dumping ideológico

Os supermercados da cadeia Pingo Doce estão caóticos neste 1.º de Maio graças a uma campanha lançada pela Jerónimo Martins em que compras acima de 100 euros têm um desconto de 50%. in Sol

Depois dizem que os sindicatos é que convocam greves políticas.

Campanha Pingo Doce na Holanda com o casal Cavaco Silva

O Pingo Doce transferiu a sua sede para a Holanda em Janeiro de 2012. O casal Cavaco Silva disponibilizou graciosamente o seu tempo e a sua imagem para protagonizar a campanha publicitária lançada naquele país, com o êxito que era de esperar.

Publicidade Pingo Doce na Holanda

O Rui Unas foi à Holanda e trouxe isto.

Os ricos e leituras recomendadas para pobres

Esta coisa de os ricos terem percebido que a austeridade não lhes dá jeito nenhum e por isso desistiram de investir em Portugal (o mais importante ângulo do caso Pingo Doce/Holanda e por isso mesmo o mais ocultado) deu direito a mais uma enxurrada de púdicas defesas dos criadores de riqueza, generosos inventores de empregos, gente honrada e trabalhadora. Nuns casos falam assim por má-fé, noutros por ignorância.

A estes últimos recomendo mais uma vez a leitura de Os Donos de Portugal. Está lá tudo: na generalidade dos casos em Portugal as grandes fortunas fizeram-se à pala do estado, da capacidade de influenciar governos e outras trafulhices mais variadas. Percebe-se que na maioria é gente sem escrúpulos, para quem negociar com o Hitler ou Pinochet pode ser o ex-líbris da família Espírito Santo e o lado para onde melhor dormem.

Quanto à forma como a comunicação social tem lidado com este e outros casos sugiro a leitura de A subserviência dos jornalistas perante o poder económico, uma boa sistematização do Daniel Oliveira.

Ó pingo doce vais para a Holanda? levas com a popota não tarda nada

Pegar no bocado de cinema mais replicado do youtube e meter-lhe umas legendas mais ou menos com piada é já um ritual português, uma tradição, uma rotina, uma obrigatoriedade.

Mas este além de curto tem a popota e mesmo muita piada.

Pingo Doce: pague aqui, eles pagam os (poucos) impostos lá

A Jerónimo Martins, dona dos supermercados Pingo Doce, anunciou hoje que a sociedade Francisco Manuel dos Santos vendeu a totalidade do capital que detinha no grupo à sua subsidiária na Holanda, mas mantém os direitos de voto.

Não se podia taxar os ricos porque eles fugiam, mas eles fogem na mesma. São estes os responsáveis pela crise. São estes os que mandam trabalhar os outros mas se piram com a massa. Esta é a gordura, é esta que temos de cortar. Uma Europa com sistemas fiscais diferentes não existe, é pura fraude.

E não se esqueça de continuar a comprar no Pingo Doce. Vá lá.

A problemática do pepino doce

A fotografia, ao que parece, foi tirada recentemente num hipermercado onde sabe bem pagar tão pouco. Esperteza saloia, com o devido respeito pelos naturais do que em tempos foram os arredores da capital.

As autoridades de Hamburgo, não tiveram problemas em picar a credibilidade dos agricultores espanhóis.  Como se Portugal não apanhasse por tabela (há tipos que ainda imaginam fronteiras) nacionaliza-se o pepino dos vizinhos. Mas em vão; diz o ministro da Agricultura estar preocupado “porque numa semana já tivemos prejuízos na ordem dos dois milhões de euros“. Vai daí, vamos pedir uma indemnização à Alemanha? Não.

Portugal vai pedir uma indemnização a Bruxelas devido aos prejuízos que os agricultores estão a ter com os pepinos, depois de as autoridades alemãs terem apontado pepinos espanhóis como causa de uma infecção bacteriana.

A Alemanha morde, tem as unhas afiadas, manda, e as costas de Bruxelas sempre são mais largas. Eterna cobardia dos fracos. Entretanto “há três pessoas com suspeitas de estarem infectadas com a bactéria E.coli sob investigação em Portugal” (Público). Uma bactéria alemã é uma ameaça perigosa. Esta pelos vistos não começou a atacar pela Grécia, mas pela nossa Península. É caso para ficar ainda mais preocupado.

Os grelos

(Pormenor de quadro de adão cruz)

Eu seguia rua abaixo, pelo lado esquerdo de Sá da Bandeira. À minha frente ia um casal, ela de meia idade, gordinha, ele mais velho, hemiplégico, de bengala na mão direita, arrastando a perna esquerda, pendendo sempre para a direita, trajectória que a mulher ia corrigindo com um pequeno toque na mão dele. Se assim não fosse, as sequelas do seu AVC, à semelhança de um GPS, obrigavam-no a tombar para fora do passeio.

Lá mais ao fundo, frente ao Pingo Doce, o homem, como se uma mola o puxasse sempre para aquele lado, faz, com toda a facilidade um rodopio de noventa graus para a direita, ficando em linha recta com a porta do supermercado. A mulher olha para a direita e para a esquerda (look right  and look left, à londrina) e atravessa a rua, tendo o cuidado de pegar na mão do marido, pois de outra forma, com a sua pendência para a direita, ele iria desembocar dez ou vinte metros acima.

Já dentro do Pingo Doce, resolvi seguir os passos daquele par amoroso, ao mesmo tempo que ia dando uma olhadela às prateleiras que me interessavam. A dada altura verifiquei que o homem parou, olhando insistentemente para o sítio onde estavam as carnes de porco. A mulher puxou-o mas ele resistiu. Apoiou-se na prateleira, encostou a bengala, e com a mão direita pegou numa embalagem contendo uma orelha de porco. Imediatamente a mulher gordinha o dissuadiu dizendo-lhe:

 – nem penses, vou-te comprar uns grelinhos que vi ali e que têm um aspecto do carago!

– Que se fodam os grelos, respondeu ele de forma bem entendível, apesar da fala meia entaramelada.

Só tive tempo de dar meia volta e tapar a boca com a mão, a fim de abafar uma explosiva gargalhada, que eu não saberia explicar aos circundantes.

Coisas que só…

….encontra quem anda pelo twitter:

Faltam 422 dias para o Fim do Mundo…

…e enquanto ele não chega vamos ficando a saber que a economia portuguesa perdeu mais uma década, mais dez anos de tempo perdido, mais dez anos de incompetência e laxismo. Por sua vez, os privados continuam a investir forte nas suas marcas e a lutar por um lugar ao sol. Quanto aos responsáveis políticos nacionais, como se pode ler, estão bastante preocupados…na destruição de escutas, no diz que disse e nas mais diversas confusões judiciais.

Por último, como as grandes dores são mudas, não posso deixar de referir dois apontamentos de imprensa sobre a vergonha de ontem.

Mas nada como uma música para animar o dia. Fiquem bem e regalem os olhinhos, meninos e meninas, para a polémica do momento: